Diferenças entre edições de "Hugo Grócio"

21 bytes adicionados ,  22h11min de 21 de agosto de 2014
m
Reversão de uma ou mais edições de 187.11.216.228 para a versão 38329383 de NFC (Ver Leida), com Reversão e avisos.
(Substituição de "Universidade de Leida" por "Universidade de Leiden", nomenclatura correta)
m (Reversão de uma ou mais edições de 187.11.216.228 para a versão 38329383 de NFC (Ver Leida), com Reversão e avisos.)
'''Hugo Grócio''', '''Hugo Grotius''', '''Huig de Groot''' ou '''Hugo de Groot'''; ([[Delft]], {{dtlink|10|4|1583}} — [[Rostock]], {{dtlink|28|10|1645}}) foi um [[jurista]] a serviço da [[República dos Países Baixos]]. É considerado o precursor, junto com [[Francisco de Vitória]], do [[Direito internacional]], baseando-se no [[Direito natural]]. Foi também [[filósofo]], [[dramaturgo]], [[poeta]] e um grande nome da [[apologética cristã]].
 
Era filho de Jan de Groot, curador da [[Universidade de Leiden|Universidade de Leida]]. Sua obra mais conhecida é ''De iure belli ac pacis'' (Das leis de guerra e paz, 1625), no qual aparece o conceito de ''guerra justa'' e do Direito Natural.
 
== História ==
Menino prodígio, começou a compor versos aos oito anos e com onze anos entrou para a Universidade de LeidenLeida estudar Direito. Doutourou-se em 1598, em 5 de Maio, na Universidade de Orleans, ao acompanhar a uma missão diplomática à França Johan van Oldenbarnevelt (advogado, então Primeiro Ministro dos Países Baixos Unidos. [[Henrique IV de França|Henrique IV]] , rei da França, comentou que Grócio, que tinha 15 anos, era o verdadeiro "milagre da Holanda").
 
Em 13 de dezembro de 1599 passou a trabalhar como jurista em [[Haia]]. Tornou-se historiador em latim dos assuntos de seu país e praticou direito com os mercadores e comerciantes da Companhia das Índias Ocidentais e com van Oldenbarnevelt. Em 1604 se tornou conselheiro legal do Príncipe [[Maurício, príncipe de Orange|Maurício de Nassau]].
40 396

edições