Quilperico I: diferenças entre revisões

18 bytes adicionados ,  14h42min de 23 de agosto de 2014
sem resumo de edição
Esse assassinato foi a causa da mais longa e sangrenta guerra, intercalada de armistícios, entre Chilperico e Sigeberto. Em [[575]], Sigeberto foi assassinado por Fredegunda no momento que ele tinha Chilperico sob misericórdia. Chilperico então declarou guerra ao protetor da esposa e do filho de Sigeberto, Guntram. Chilperico retomou sua posição, conquistando da Austrásia [[Tours]] e [[Poitiers]] e alguns locais na [[Aquitânia]], e estimulou a discórdia no reino oriental durante a minoridade de [[Childeberto II]].
 
Ele aparentava alguma cultura literária, e foi autor de algumas posias, tomando [[Célio Sedúlio|Sedúlio]] como modelo. Ele inclusive acrescentou letras ao [[alfabeto latino]], ordenando que os manuscristos fossem reescritos com os novos caracteres. A captura de Tours da Austrásia e o seqüestro das propriedades eclesiásticas, além do hábito de Chilperico de apontar como bispos nobres do palácio que não eram clérigos, o que provocou o ódio amargo de [[Gregório de Tours]], por quem Chilperico foi estigmatizado como [[Nero]] e [[Herodes, o Grande|Herodes]] de sua época.
 
Num dia de setembro de [[584]], enquanto retornava de uma caçada para sua vila real de Chelles, Chilperico foi apunhalado até a morte.
198 342

edições