Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais: diferenças entre revisões

Inserido a rede de bibliotecas da CPRM - Rede ametista
(Inserido a rede de bibliotecas da CPRM - Rede ametista)
A CPRM conta com infraestrutura operacional instalada em todo o país, constando de oito Superintendências Regionais, em Manaus - AM, Belém - PA, Recife - PE, Goiânia -GO, Salvador - BA, Belo Horizonte - MG, São Paulo - SP e Porto Alegre - RS. São as unidades executoras dos projetos, onde se concentra o grosso da capacidade operacional da instituição. Além disso, temos três Residências, que são estruturas operacionais menores, localizadas em Porto Velho - RO, Teresina - PI e Fortaleza - CE. Finalmente, contamos com três Núcleos de Apoio, pequenos escritórios de representação e apoio operacional, nas cidades de Natal-RN, Cuiabá-MT e Criciúma-SC. A sede política da empresa localiza-se em Brasília - DF e o escritório central da administração e dos departamentos técnicos situa-se no Rio de Janeiro – RJ. Afora a rede de unidades operacionais, a CPRM tem três centros de treinamento nas cidades de Apiaí – SP, Morro do Chapéu – BA e Caçapava do Sul – RS.
 
'''Rede Ametista - Rede de Bibliotecas'''
 
A Rede Ametista contempla um conjunto de 12 bibliotecas especializadas em geociências, sob a coordenação de analistas em geociências – bibliotecários. Elas estão localizadas em Belém, Belo Horizonte, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Teresina.
 
A rede constitui um referencial de pesquisa para a comunidade geocientífica, expandindo o conhecimento gerado pela instituição e fortalecendo parcerias nacionais e internacionais.
 
Missão
Integrar as bibliotecas do Serviço Geológico do Brasil, promovendo a cooperação entre os seus membros, além de otimizar o intercâmbio de informação geocientífica e ampliar o acesso à pesquisa, subsidiando a demanda informacional da sociedade.
 
Implantação
Criada em 2005 a partir da implantação do Sistema PHL, a Rede Ametista tem por objetivo prover o compartilhamento e o gerenciamento dos acervos institucionais da CPRM especializados em geociências.
 
Vinculação
As bibliotecas integrantes da rede encontram-se vinculadas à Diretoria de Relações Institucionais (DRI), subordinadas administrativamente às superintendências regionais e respectivas Gerências de Relações Institucionais e Desenvolvimento (GERIDEs) de cada unidade. A exceção é a Biblioteca do Rio de Janeiro, que é subordinada ao Departamento de Informações Institucionais (DEINF).
 
Acervo
O acervo físico da rede é formado por livros, anais de congresso, simpósios, periódicos, normas da ABNT, teses, dissertações, monografias, perfis de sondagem, relatórios técnicos diversos, CD-ROMs, DVDs, folhetos, enciclopédias, glossários, tesauros, dicionários, além de uma expressiva coletânea de documentação fotocartográfica envolvendo cartas, mapas, fotoíndices e fotografias aéreas.
 
Desenvolvimento das coleções
O desenvolvimento das coleções é realizado por aquisição, doação, permuta, convênios ou por outros meios admitidos, sendo a documentação obrigatoriamente incorporada ao patrimônio da instituição. As doações são incorporadas ao acervo após a análise de sua pertinência. Os itens não pertinentes são repassados para outras unidades de informação.
 
Atendimento
Congregando dados e informações impressas e digitais, a rede promove o intercâmbio e a interação de um expressivo acervo em geociências, propiciando o atendimento adequado à demanda informacional da sociedade. Além disso, proporciona acesso online à coleção de relatórios técnicos, e-books, periódicos eletrônicos e diversificadas coleções de boletins e mapas pertinentes às geociências. Desde sua implantação, a rede vem se ajustando às tendências tecnológicas, na expectativa de propiciar agilidade ao fornecimento da informação geocientífica, além de fomentar a pesquisa sobre os conhecimentos geológico e hidrológico básicos, necessários para o desenvolvimento sustentável do Brasil.
 
Origem do nome
O nome Rede Ametista foi dado em setembro de 2011, na ocasião da realização, no Rio de Janeiro, do I Encontro de Bibliotecários da Rede de Bibliotecas do SGB. O nome veio em virtude de a ametista ser uma pedra preciosa/gema e também o símbolo do anel de colação de grau do bibliotecário.
 
Integrantes da Rede Ametista
♦ Belém - Nelma Fabrícia da Paixão Ribeiro.
♦ Belo Horizonte - Maria Madalena C. Ferreira.
♦ Fortaleza - Giovania Freire Barros.
♦ Goiânia - Maria Gasparina de Lima.
♦ Manaus - Jean Charles Racene S. Martins.
♦ Porto Alegre - Ana Lúcia Borges Fortes Coelho.
♦ Porto Velho - Terezinha de Jesus Foro.
♦ Recife - Dalvanise Bezerril.
♦ Salvador - Isabel Ângela Matos.
♦ São Paulo - Cláudia Lopes.
♦ Teresina - Mônica Cordulina da Silva.
♦ Rio de Janeiro: Roberta Pereira da S. de Paula, Flasleandro de Oliveira, Roberta Pereira da Silva, Margareth Lopes de Moraes, Sonja Henie da Silva Pinheiro, Priscila Cristina de Faria Ururahy e Teresa Cristina Sampaio Rosenhayme.
 
=={{Links externos}}==
* [http://www.cprm.gov.br Página da Companhia de Pesquisa de Recursos]
* [http://www.redegeochronos.gov.br RedeGeochronos - Rede Nacional de Estudos Geocronológicos, Geodinâmicos e Ambientais]
* [http://www.cprm.gov.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1723&sid=8 Rede Ametista]
 
{{esboço}}
 
1

edição