Diferenças entre edições de "Recessão"

1 128 bytes adicionados ,  14h04min de 3 de outubro de 2014
Recessão
(Recessão)
''Nota: não confundir com [[receção]], que é onde se recebe as pessoas, à luz do novo acordo ortográfico (Portugal).''
 
Em [[economia]], e mais precisamente em econometria, segundo Mario Henrique Simonsen a '''recessão''' é uma fase de contração no [[ciclo econômico]], isto é, de retração geral na [[atividade econômica]] por um certo período de tempo, com queda no nível da [[produção]] (medida pelo [[Produto Interno Bruto]]), aumento do [[desemprego]], queda na [[renda familiar]], redução da taxa de [[lucro]] e aumento do número de [[falência]]s e [[concordata]]s, aumento da [[capacidade ociosa]] e queda do nível de [[investimento]]., caracterizada pela chamada "elasticidade preço - custo" (considerando ai o chamado custo - benefício, econômico - financeiro), o sendo época em que o único que se benificia e o fabricante da moeda, que é o governo, uma vez que a moeda aumenta e o dinheiro diminui, demonstrado em cálculos econométricos por derivadas e integrais dos agregados econométricos, vide econometria<ref>[[Paulo Sandroni|SANDRONI, Paulo]] (org.) [http://www.scribd.com/doc/6965717/Paulo-Sandroni-NOVISSIMO-DICIONACIRIO-DE-ECONOMIA''Novíssimo Dicionário de Economia'']. São Paulo: Abril Cultural, 1985.]</ref><ref>[[Dicionário Houaiss]]</ref><ref>{{cite web |url= http://www.merriam-webster.com/dictionary/recession|title=Recession |accessdate=19 November 2008 |publisher= ''Merriam-Webster Online Dictionary''}}</ref><ref>{{cite encyclopedia |url= http://encarta.msn.com/encnet/features/dictionary/DictionaryResults.aspx?refid=1861699686|title= Recession definition|accessdate=19 November 2008 |work= Encarta World English Dictionary [North American Edition]|publisher= Microsoft Corporation|year= 2007}}</ref><ref>{{cite web |url=http://www.bloomberg.com/invest//glossary/bfglosr.htm |title= Financial Check Glossary|accessdate=19 November 2008 |publisher= Bloomberg.com|year= 2000}}</ref><ref>{{cite web |url= http://www.businessdictionary.com/definition/recession.html|title= Recession definition |publisher= BusinessDictionary.com|date= 2007–2008}}</ref>
 
De maneira um tanto simplista, costuma-se considerar que uma economia entra em recessão, "Matemática" ou "econômica - tecnicamente" ou "Econométrica", após dois trimestres consecutivos de queda no [[PIB]] - REAL, sem inflação, que costuma disfarçar e agravar esse fato, segundo Mario Henrique Simonsen.
De maneira um tanto simplista, costuma-se considerar que uma economia entra em recessão após dois trimestres consecutivos de queda no [[PIB]]. Tal idéia surgiu a partir de um artigo de Julius Shiskin, publicado em [[1974]] pelo [[New York Times]].<ref>Shiskin, Julius (1974-12-01), "The Changing Business Cycle", New York Times: 222</ref> Entretanto, a "regra prática" mostrou-se falha, por exemplo, na recessão de [[2001]] (estouro da [[bolha]] das [[empresas ponto com]] e o surpreendente colapso da chamada "nova economia"), quando desapareceram 2,7 milhões de empregos - mais do que em qualquer recessão pós-guerra.<ref>[http://money.cnn.com/2008/05/05/news/economy/recession/index.htm The risk of redefining recession], por Lakshman Achuthan e Anirvan Banerji, do ''Economic Cycle Research Institute''. [[CNN|CNNMoney.com]], 7 de maio de 2008.</ref> Da mesma forma, acredita-se que a recessão seja causada por uma queda generalizada nos gastos, e, assim, os governos costumam responder à recessão com políticas [[macroeconômica]]s expansionistas - expansão da oferta de [[política monetária|meios de pagamento]] e do [[política fiscal|gasto público]]; redução de [[tributos]] - o que, entretanto, pode resultar em nova crise, a exemplo do que ocorreu após o colapso das ''pontocom'', quando uma grande expansão do crédito inflou uma outra bolha, a das [[hipoteca]]s, dando lugar à [[crise do subprime]],<ref>[http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u498118.shtml Recessão atinge economias europeias e recuperação só deve chegar no fim do ano]. [[Folha de São Paulo]], 3 de fevereiro de 2009.</ref> enquanto que a expansão do gasto público engendrou, algum tempo depois, a crise da [[dívida soberana]] na [[zona euro]].
 
De maneira um tanto simplista, costuma-se considerar que uma economia entra em recessão após dois trimestres consecutivos de queda no [[PIB]]. Tal idéiaideário surgiu primeiramente a partir de um artigo de Julius Shiskin, publicado em [[1974]] pelo [[New York Times]].<ref>Shiskin, Julius (1974-12-01), "The Changing Business Cycle", New York Times: 222</ref> Entretanto, a "regra prática" mostrou-se falha devido a chamada INFLAÇO EMBUTIDA em Gradualismo e Tratamento de Choque publicado no Brasil desde 1955 e que segundo Mario Henrique Simonsen, uma vez que no Brasil se estuda o fenômeno desde 1955, nos chamados Planos Governamentais de Desenvolvimento Econométricos, nos Planos de soerguimento do Japão e Alemanha por exemplo,. naJa recessão de [[2001]] (estouro da [[bolha]] das [[empresas ponto com]] e o surpreendente colapso da chamada "nova economia" sem o estudo da inflação - embutida), quando desapareceram 2,7 milhões de empregos - mais do que em qualquer recessão pós-guerra.<ref>[http://money.cnn.com/2008/05/05/news/economy/recession/index.htm The risk of redefining recession], por Lakshman Achuthan e Anirvan Banerji, do ''Economic Cycle Research Institute''. [[CNN|CNNMoney.com]], 7 de maio de 2008.</ref> Da mesma forma, acredita-se que a recessão seja causada por uma queda generalizada nos gastos, e, assim, os governos costumam responder à recessão com políticas [[macroeconômica]]s expansionistas - expansão da oferta de [[política monetária|meios de pagamento]] e do [[política fiscal|gasto público]]; redução de [[tributos]] - o que, entretanto, pode resultar em nova crise, a exemplo do que ocorreu após o colapso das ''pontocom'', quando uma grande expansão do crédito inflou uma outra bolha, a das [[hipoteca]]s, dando lugar à [[crise do subprime]],<ref>[http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u498118.shtml Recessão atinge economias europeias e recuperação só deve chegar no fim do ano]. [[Folha de São Paulo]], 3 de fevereiro de 2009.</ref> enquanto que a expansão do gasto público engendrou, algum tempo depois, a crise da [[dívida soberana]] na [[zona euro]], que geralmente se configuram erros sem a chamada de "Correção Monetária", usada em Planos de Desenvolvimento do Japão e Alemanha.
 
==Tipos de recessão==
Utilizador anónimo