Diferenças entre edições de "Folheto embrionário"

80 bytes adicionados ,  19h39min de 18 de outubro de 2014
m
Reversão de uma ou mais edições de 197.218.65.140 para a versão 40111932 de Lijealso, com Reversão e avisos.
m (Removendo excesso de negritos e ajustes na formatação.)
m (Reversão de uma ou mais edições de 197.218.65.140 para a versão 40111932 de Lijealso, com Reversão e avisos.)
A classificação dos animais levando em conta os folhetos embrionários, pode ser:''' Diblásticos '''ou''' Triblásticos.''' Nos animais''' ''diblásticos'',''' as camadas formadas são a ''endoderme'' e a ''ectoderme'''''. '''Já nos''' ''triblásticos'',''' as camadas são a ''endoderme'', a ''mesoderme'' e a ''ectoderme''.
 
=== Formação dos ''Folhetos Embrionários'' ===
Na segunda semana da gestação dos humanos, o blastocisto vai enterrando-se gradativamente no endométrio uterino. O embrioblasto torna-se bidérmico. A camada de células mais próxima ao polo de implantação é denominada de '''''epiblasto''''', e a outra, '''''hipoblasto'''''.
 
 
A linha primitiva regride e desaparece na quarta semana do desenvolvimento.
Uma parte da '''''mesoderme''''' formará duas bandas espessas e contínuas de um e de outro lado da notocorda, as quais segmentarão em somitos, dando origem ao esqueleto axial e seus músculos correspondentes. Outra parte formará o mesoderma intermediário, lateralmente disposto ao longo daquele, originando o sistema urogenital do individuo; e finalmente, o outro mesoderma, denominado lateralmente, delamina-se em dois folhetos: '''''esplâncnico (visceral) ''''' e '''''somático (parietal)'''''. Entre o visceral e o parietal forma-se a ''''' cavidade celomática embrionária.'''''
 
Uma parte da '''mesoderme''' formará duas bandas espessas e contínuas de um e de outro lado da notocorda, as quais segmentarão em somitos, dando origem ao esqueleto axial e seus músculos correspondentes. Outra parte formará o mesoderma intermediário, lateralmente disposto ao longo daquele, originando o sistema urogenital do individuo; e finalmente, o outro mesoderma, denominado lateralmente, delamina-se em dois folhetos: '''esplâncnico (visceral)''' e '''somático (parietal)'''. Entre o visceral e o parietal forma-se a '''cavidade celomática embrionária.'''
 
De uma forma resumida, a mesoderme divide-se em quatro sub-tipos na neurulação:
: '''A) ''Mesoderme axial: ''': Dá origem a notocorda.
: '''B) ''Mesoderme paraxial:''': desenvolve-se ao longo do eixo do embrião, formando somitos a volta da notocorda e ao tubo neural. Esses somitos dão origem ao esqueleto axial e músculos e tecidos conectivos do esqueleto central.
: '''C) ''Mesoderme intermédia: ''': dará origem ao sistema urogenital.
: '''D) ''Mesoderme lateral:''': divide-se em duas placas: a placa somática (parietal) e a placa esplâncnica (visceral) e, entre as duas, o celoma (nos animais celomados).
''' D-1)Somática:''' dá origem a ossos, ligamentos, tecido conectivo e vasos sanguíneos dos membros.
 
::''' D-12)Esplâncnica: ''Somática'': dá origem a ossoscoração, ligamentos,vasos tecido conectivosanguíneos e vasosmusculatura sanguíneoslisa dos membrospulmões e sistema digestivo.
::''' D-3)Celoma: ''Celoma'': dá origem às cavidades do corpo (pleural, pericárdica e pericôndrica)
:: D-2) ''Esplâncnica'': dá origem a coração, vasos sanguíneos e musculatura lisa dos pulmões e sistema digestivo.
:: D-3) ''Celoma'': dá origem às cavidades do corpo (pleural, pericárdica e pericôndrica)
 
No final da gastrulação, a região dorsal da gástrula origina a placa neural. As bordas se encurvam, constituindo o sulco neural e, posteriormente, o tubo neural, precursor do encéfalo e da medula espinhal. O tubo neural origina-se de células ectodérmicas.
 
 
== O que cada folheto nos vertebrados origina: ==
 
=== '''O que cada folheto origina (nos vertebrados origina):''' ===
{|
|'''Folheto '''
* Derme
* Músculos lisos e esqueléticos;
* Sistema circulatório (coração, vasos sanguíneossangüíneos, tecido linfático, tecido conjuntivo);
* Sistema esquelético (ossos e cartilagem);
* Sistema excretor e reprodutor (órgãos genitais, rins, uretra, bexiga e gônadas)
*
 
=== Bibliografia ===
* '''CATALA, M. Embriologia – Desenvolvimento Humano Inicial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2003.'''
 
* '''GILBERT, S. F. Developmental Biology. 5a.ed. Sinauer Associates, Inc. Suunderland, Massachusetts.U.S.A.,1997.'''
* '''JUNQUEIRA, L. C., CARNEIRO, J. Noções Básicas de Citologia, Histologia e Embriologia.São Paulo: Nobel, 1998.'''
* LANGMAN, S.T.; SADLER, W. Embriologia Médica. 9a ed. Rio de Janeiro Guanabara Koogan. 2005.
* MAIA'''LANGMAN, GS.T.; SADLER, DW. Embriologia HumanaMédica. 9a ed. Rio de Janeiro: Atheneu,Guanabara Koogan. 19982005.'''
* MELLO'''MAIA, RG. AD. Embriologia Humana. SãoRio Paulode Janeiro: Atheneu, 2000.1998'''
* MOORE'''MELLO, KR. L.; PERSAUD, T. V. NA. Embriologia ClínicaHumana. 7aSão ed., Rio de JaneiroPaulo:Guanabara KooganAtheneu,2005 2000.'''
* FERNANDEZ'''MOORE, CASIMIROK. GARCIAL.; GARCIAPERSAUD, SONIAT. MARIA LAUERV. DEN. Embriologia Clínica.2 7a ed., EditoraRio Artmed.de 2001Janeiro:Guanabara Koogan,2005.'''
* '''FERNANDEZ, CASIMIRO GARCIA; GARCIA, SONIA MARIA LAUER DE. Embriologia.2 ed. Editora Artmed. 2001. '''