Diferenças entre edições de "Ifigénia"

11 bytes adicionados ,  04h00min de 19 de outubro de 2014
sem resumo de edição
Ifigênia e Orestes não se reconhecem imediatamente, mas durante os ritos pré-sacrifício, ao descobrir que ele é de Micenas, questina-o se Orestes ainda está vivo. Ele diz que sim, então ela propõe que poupará sua vida caso ele entregue uma carta a Orestes. Orestes pede a seu amigo que retorne a Micenas para entregar a carta deixando lá para ser sacrificado sozinho, mas este se recusa e revela a identidade de Orestes. Após esclarecimentos, Ifigênia planeja uma fuga com sua sagacidade e engana os outros sacerdotes dizendo que o estrangeiro não serve como sacrifício por ser um matricida e por seu amigo ser cumplice e que agora deverá levar a estátua maculada para ser purificada no mar. Com a ajuda de Atenas os três conseguem fugir de volta para [[Micenas]] e derrotar quem os perseguia. Quando chegam ao palácio, Electra reencontra Ifigênia que conta o ocorrido. Quando menciona que deveria sacrificar o irmão Electra ameaça matar sua irmã, mas Orestes se revela e a salva do mal entendido. Orestes recupera sua sanidade e se torna rei, casando-se com sua prima [[Hermíone]]. Ifigênia se casa com Pílades e segue como sacerdotisa de Ártemis onde vivem em paz.<ref name=Mito>Robert Graves. O grande livro dos mitos gregos. Ifigênia em Táurida.</ref> O destino da estátua de Ártemis ainda é disputado por mais de cinco cidades diferentes. Existem relatos de que por muitos anos diversos rituais onde eram aplicadas chicotadas em jovens até cobrir a estátua de sangue foram feitos diante dessas estátuas na tentativa de agradar a deusa.
 
{{Referências|col=2}}[[Categoria:Sacerdotisas da mitologia grega]]
[[Categoria:Princesas da Mitologia grega]]
 
[[Categoria:Mitologia grega]]
[[Categoria:Sacerdotisas da mitologia grega]]