Resistência à tração: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
Resistência à [[tracção]], junto com o módulo de [[elasticidade]] e resistência à corrosão, é um parâmetro importante de [[engenharia de materiais]] utilizados nas estruturas e dispositivos mecânicos. É especificado para os materiais, como ligas metálicas, materiais compósitos, cerâmicas, plásticos e madeira. A resistência à tração não é o mesmo que [[Esforço de compressão|resistência à compressão]] e os valores podem ser bastante diferentes.
 
Alguns materiais quebram, sem [[deformação plástica]], no que é chamado de [[Fratura dos materiais|fratura frágil]]. Outros, que são mais [[dúctil|dúcteis]], incluindo a maioria dos metais, experimentarão alguma deformação plástica e, possivelmente, [[Estiramento (engenharia)|estiramento]] (formação de "pescoço") antes da fratura.
 
O [[limite de resistência à tração]] (LRT) é usualmente encontrado pela realização de um [[teste de tração]] e registrando-se a [[tensão aplicada]] ''versus'' a [[deformação]]. O máximo ponto da [[curva de tensão-deformação]] <!-- (see point 1 on the engineering stress/strain diagrams below) --> é o LRT.<ref>A. Garcia, J.A. Spim & C.A. dos Santos, Ensaios dos Materiais, LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., Rio de Janeiro, RJ, 2000.</ref><ref>S.A. de Souza, Ensaios Mecânicos de Materiais Metálicoss: Fundamentos teóricos e práticos. 5.ed., Ed. Edgard Blucher Ltda, São Paulo, SP, 1982.</ref> É uma [[propriedades intensivas e extensivas|propriedade intensiva]]; portanto, seu valor não depende do tamanho do corpo de prova. No entanto, é dependente de outros fatores, tais como a preparação da amostra, a presença ou ausência de defeitos de superfície, e a temperatura do ambiente de teste e do material.