Mahavira: diferenças entre revisões

2 bytes removidos ,  30 de outubro de 2014
m (Robô: ja:マハーヴィーラ é um artigo bom)
A narrativa afirma que o Mahavira vivia num ambiente de luxo que mais tarde abandonou, num relato que se assemelha ao da vida do [[Buda]], do qual se julga ter sido contemporâneo. Estes dois homens viveram numa época em que as práticas religiosas tradicionais começavam a entrar em crise; em particular, o sacrifício de animais e o sistema de castas eram postos em causa e quer o Mahavira, quer o [[Siddhartha Gautama|Buda]], rejeitaram-nos.
 
Por volta dos trinta anos, Mahavira deixou a sua vida confortável para se entregar a práticas ascéticas na esperança de alcançar a iluminação espiritual. Durante um ano, usou roupa, mas, depois, passou a andar nu, deixou que insectosinsetos o atacassem, sofreu ataques físicos e verbais, dormiu em locais inóspitos, praticou jejuns extremos, num período total de doze anos. Teve, também, particular cuidado em não fazer mal a qualquer forma de vida, desenvolvendo, assim, a teoria do ''[[ahimsa]]'' ou não violência. O Mahavira dedicou as seguintes décadas da sua vida a ensinar às pessoas as suas doutrinas.
 
== Ensinamentos ==
Mahavira ensinou que os humanos podem libertar-se das partículas que se agregam às suas almas, uma crença do jainismo actualatual, seguindo uma vida de [[ascetismo]] extremo. A tradição afirma que ele recomendou aos seus adeptos que tomassem cinco votos (''mahavratas''), que são os seguintes:
# ''Ahimsa'' - não causar mal ou sofrimento a qualquer ser (não violência);
# ''Satya'' - evitar a mentira;
Utilizador anónimo