Diferenças entre edições de "Caio Avídio Cássio"

Sem alteração do tamanho ,  18h56min de 17 de novembro de 2014
Em 175, Avídio Cássio foi proclamado [[imperador romano]] depois que notícias falsas sobre a morte de [[Marco Aurélio]]{{sfn|Birley|2001|p=184}}{{sfn|Canduci|2010|p=44}} terem chegado ao Egito. As fontes indicam também que ele teria sido encorajado pela esposa de Marco Aurélio, [[Faustina, a Jovem|Faustina]], que estava preocupada com o estado de saúde do marido e acreditava que ele estivesse à beira da morte. Por isso, ela teria confiado em Cássio para agir como protetor dela e do jovem [[Cômodo]], que tinha apenas treze anos na época{{sfn|Birley|2001|p=184}}{{sfn|Smith|1870|p=441}}. Faustina também queria alguém que pudesse atuar como contraponto às alegações de [[Tibério Cláudio Pompeiano]], que estava em posição favorável para tomar o posto de [[príncipe (Roma Antiga)|príncipe]] (o imperador) caso Marco Aurélio morresse{{sfn|Birley|2001|p=185}}. As evidências, incluindo as "[[Meditações]]", do próprio Marco Aurélio, dão suporte à ideia de que o imperador de fato estava bastante adoentado na época{{sfn|Birley|2001|p=185}}, mas, quando ele se recuperou, Cássio já havia sido aclamado pela legião egípcia, a [[Legio II Traiana Fortis|II ''Traiana Fortis'']].
 
A princípio, segundo [[Dião Cássio]], Marco Aurélio, que estava em [[Guerras Marcomanas|campanha contra os marcomanos]] no norte, tentou esconder a revolta de seus soldados{{sfn|Birley|2001|p=187}}, mas, depois que todos descobriram, ele fez um discurso. Nele, um texto que Dião Cássio atribui ao imperador, ele lamenta a deslealdade de ''"um querido amigo"'' e, ao mesmo tempo, expressa sua esperança de que Cássio não seja morto ou cometa o suicídio para que ele próprio possa mostra-lhe sua misericórdia{{sfn|Smith|1870|p=441}}. Em paralelo, o Senadosenado Romanoromano declarou Cássio [[inimigo público]]{{sfn|Birley|2001|p=185}}{{sfn|Canduci|2010|p=44}}.
 
No início da revolta, Cássio estava numa posição razoável. Em sua terra natal, a [[Síria romana|Síria]], e, de forma mais ampla, em todas as províncias orientais, Cássio tinha um bom número de seguidores. Eles eram inspirados por uma combinação da ascendência real de Avídio e suas vitórias sobre os partas, além da supressão da revolta dos ''bucoli''{{sfn|Birley|2001|p=185}}. Ele também tinha laços matrimoniais com um importante grupo de nobres da [[Lícia]].
41 483

edições