Diferenças entre edições de "Luísa Ulrica da Prússia"

966 bytes adicionados ,  19h37min de 18 de novembro de 2014
sem resumo de edição
(+Categoria:Casa de Hanôver; ± 2 categorias usando HotCat)
|{{Info/Monarca
[[Imagem:Lovisa Ulrika by Lundberg.png|thumb|left|Lovisa Ulrika by Gustaf Lundberg.]]
| nome =Rainha Consorte da Suécia
[[Imagem:Luise Ulrike in blue.jpg|thumb|Louisa Ulrika of Prussia by [[Lorens Pasch the Younger]].]]
| titulo = Rainha Consorte da Suécia
| imagem =LuiseUlrikevonPreußen01.jpg
| legenda =Retrato por [[Antoine Pesne]] (c. [[1744]])
| reinado =[[25 de março]] de [[1751]] - [[12 de fevereiro]] de [[1771]]
| consorte =[[Adolfo Frederico da Suécia]]
| filhos =[[Gustavo III da Suécia]]<br />[[Carlos XIII da Suécia]]<br />[[Frederico Adolfo da Suécia|Frederico Adolfo, Duque de Östergötland]] <br />[[Sofia Albertina da Suécia|Sofia Albertina, Abadessa de Quedlimburgo]]
| casa real =[[Casa de Hohenzollern]]<br />[[Casa de Holstein-Gottorp]]
| pai =[[Frederico Guilherme I da Prússia]]
| mãe =[[Sofia Doroteia de Hanôver]]
| nascimento ={{dni|lang=br|24|7|1720|si}}
| cidadenatal =[[Berlim]], [[Alemanha]]
| morte ={{morte|lang=br|16|7|1782|24|7|1720}}
| cidademorte =[[Palácio de Svartsjö]], [[Suécia]]
|}}
 
[[Imagem:Lovisa Ulrika by Lundberg.png|thumb|left|LovisaRetrato Ulrika bypor Gustaf Lundberg.]]
[[Imagem:Luise Ulrike in blue.jpg|thumb|LouisaRetrato Ulrika of Prussia bypor [[Lorens Pasch the Younger]].]]
[[Imagem:Luise Ulrike von Preußen - Queen of Sweden.jpg|thumb|right|210px|Luísa Ulrica da Prússia, por [[Alexander Roslin]] (1775).]]
'''Luísa Ulrica da Prússia''', em [[língua sueca|sueco]] '''Lovisa Ulrika''' ([[Berlim]], {{dni|lang=br|24|7|1720|si}} — Palácio de Svartsjö, {{morte|lang=br|16|7|1782}}), foi a [[rainha consorte]] da [[Suécia]], de 1751 até 1771, aquando do falecimento do seu marido, [[Adolfo Frederico da Suécia|Adolfo Frederico]]. Era filha de [[Frederico Guilherme I da Prússia]] e da sua esposa, [[Sofia Doroteia de Hanôver]], por sua vez filha de [[Jorge I da Grã-Bretanha]].
 
Em 1744, Ulrica casou com Adolfo Frederico de [[Holstein-Gottorp]], eleito príncipe da [[Suécia]] em 1743 e que, depois da sua sucessão ao trono em 1751, reinou como Rei [[Adolfo Frederico da Suécia]]. Luísa Ulrica foi recebida com grande entusiasmo na corte sueca, como a esperança da resolução dos problemas de sucessão ao trono, e ganhou popularidade pela sua beleza e pelo nascimento dos ses filhos; Nenhuma criança nasceu no seio da casa real sueca durante quase cinquenta anos até ao nasciemnto do seu primeiro filho.
Luísa Ulrica dominou fortemente o seu marido e a corte, exercendo também o poder executivo enquanto o seu marido se manteve no trono. Entretanto, o rei era na Suécia mera decoração, tendo a monarquia um único nome, Luísa Ulrica. Mesmo assim, as suas ambições era maiores. Luísa havia nascido numa [[monarquia absoluta]], e procurava seguidores com quem planeou um [[golpe de estado]] que derrubasse o governo e fizesse florescer no país o [[absolutismo]]. O golpe tomaria lugar em 1756, mas o plano foi descoberto. A rainha foi reprimida e repreendida fortemente pelo governo, e os seus seguidores, que a ajudariam na execução do golpe, foram executados.
 
Entretanto, Ulrica tornou-se novamente numa figura dominante, com numerosas querelas contra o governo durante vários anos. Em 1763, o governo pressionou-a a escrever ao irmão, entretantoo rei da [[Prússia]], para impedir que a província sueca da PomeraniaPomerânia, na Germânia, fosse anexada à [[Prússia]], após a [[Guerra dos Sete Anos]].
 
A sua figura é notavelmente relembrada na Suécia como a fundadora do Witterhetsakademin,
uma academia à qual pertenceram membros como [[Carl von Linné]]. Fez e influenciou um notório patronato artístico e científico, protegeu o trabalho de vários cientistas e artistas, incuindoincluindo a pintora [[Ulrica Pasch]], e, no âmbito da literatura, [[Hedvig Charlotta Nordenflycht]].
 
O novo rei, em 1772, seu filho, incorporou a monarquia absoluta na Suécia, apóso seu falhado golpe de 1756, depondo a [[democracia]] para satisfação da [[mãe]]. Todavia, a sua relação com o filho deteriorou-se com o facto de este não querer submeter-se aos seus desmandos.