Abrir menu principal

Alterações

7 168 bytes adicionados, 21h56min de 23 de novembro de 2014
sem resumo de edição
| nomes_anteriores =
| pago = não
| gênero = [[Música]] [[Revista eletrónica]]
| cadastro = não
| país = {{EUA}}
| estado_atual =
}}
A '''Pitchfork Media''', comumente conhecida como '''Pitchfork''' e ocasionalmente abreviada para '''P4K''' ou '''pfork''', é uma [[publicação]] diária [[online]] [[estadunidense]], com sede em [[Chicago]], devota à [[crítica]] e comentários [[Música|musicais]], [[notícia]]s sobre música e [[entrevista]]s a [[artista]]s. Foca-se na [[música independente]], no entanto, cobre também [[música electrónica]], [[música pop|pop]], [[hip hop]], [[dance]], [[folk]], [[jazz]], e [[música experimental]].
 
Fundado por  [[Ryan Schreiber]] <nowiki/>em  [[1995]], em  [[Minneapolis]],  [[Minnesota]], o site centra-se em resenhas e criticas sobre lançamentos musicais, mas os jornalistas da  ''Pitchfork'' também fazem críticas sobre as reedições e "box sets". O site tem publicado  [[listaLista|listas]]s <nowiki/>de "melhores álbuns" - como os melhores dos  [[décadaDécada de 60|anos 60]],  [[décadaDécada de 1970|70]],  [[décadaDécada de 80|80]],  [[décadaDécada de 90|90]], [[década ede 2000|00]]<nowiki/>e [[décadaDécada de 2010|10]], assim como em todos os anos, desde  [[20011999]], publicam listas de melhores  [[singleSingle|singles]]s <nowiki/>e  [[álbuns]] <nowiki/>do ano. A publicação é considerada de significativa influência no mundo da música independente,  <ref>{{citar web|url = http://the.honoluluadvertiser.com/article/2005/May/08/il/il22p.html|titulo = Pitchfork e-zine tells indie fans what's hot and not|autor = Greg Kot|data = 8 de Maio de 2005|publicado=|acessodata=6 de Fevereiro de 2010}}</ref> apesar de também ser criticada pelos seus critérios de atribuição de notas, devoção a tendências e [[moda]]s, e por focar-se em [[banda musical|banda]]s e [[Estilos musicais|estilos de música]] obscuros, ou desconhecidos do grande público. <ref>{{citar web|url=http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/04/28/AR2006042800457.html|titulo=Giving Indie Acts A Plug, or Pulling It |autor=J.acessodata Freedom du Lac|data=30 de Abril de 2006|publicado=|acessodata=6 de Fevereiro de 2010}}</ref> <ref>{{citar web|URL = http://oglobo.globo.com/cultura/pitchfork-um-site-que-todos-amam-ou-odeiam-3005333|título = Pitchfork: Um site que todos amam. Ou odeiam|data = 21.05.2010|acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = |publicado = O Globo}}</ref>
</ref>apesar de também ser criticada pelos seus critérios de atribuição de notas, devoção a tendências e [[Moda|modas]], e por focar-se em [[Banda musical|bandas]]<nowiki/>e [[Estilos musicais|estilos de música]]<nowiki/>obscuros, ou desconhecidos do grande público. <ref name=":0">{{citar web|url = http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/04/28/AR2006042800457.html|titulo = Giving Indie Acts A Plug, or Pulling It|autor = J. Freedom du Lac|data = 30 de Abril de 2006|publicado = |acessodata = 6 de Fevereiro de 2010}}
</ref><ref>{{citar web|URL = http://oglobo.globo.com/cultura/pitchfork-um-site-que-todos-amam-ou-odeiam-3005333|título = Pitchfork: Um site que todos amam. Ou odeiam|data = 21.05.2010|acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = |publicado = O Globo}}
</ref>
 
Desde 2008, a Pitchfork também possui um canal de  [[Web TV|TV online]] <nowiki/>via  [[streaming]], o Pitchfork.tv.  <ref>{{citar web|url = http://info.abril.com.br/aberto/infonews/042008/08042008-15.shl|titulo = Pitchfork estréia canal de TV online|autor = Felipe Zmoginski|data = |publicado = 8 de Abril de 2008|acessodata = 5 de Fevereiro de 2010}}</ref>
</ref>
 
Em 2009, o fundador Ryan Schreiber foi destacado pela revista  [[Time (revista)|Time]] <nowiki/>como uma das pessoas mais importantes do ano.  <ref>{{citar web|url = http://www.time.com/time/specials/packages/article/0,28804,1883644_1883653_1885468,00.html|titulo = Ryan Schreiber - The 2009 TIME 100 Finalists - TIME|autor = Brian Raftery|data = |publicado = |acessodata = 5 de Fevereiro de 2010}}</ref>
</ref>
== Histórico ==
No final de [[1995]], Ryan Schreiber, então aluno do colegial, criou o sítio Pitchfork. Influenciado por [[Fanzine|fanzines]] locais e por uma estação de rádio universitária local, Schreiber, que não tinha experiência de escrita anterior, teve como objetivo fornecer à [[Internet]] um espaço regularmente actualizado sobre música independente. A princípio com o nome ''Turntable'', o site era mensalmente atualizado com entrevistas e comentários. Em maio de 1996, o site começou a publicar diariamente e foi rebatizado de "Pitchfork", uma referência à tatuagem de [[Tony Montana]] do filme [[Scarface]], de [[Scarface (filme de 1983)|1983]]. <ref name=":0" />
Fundado por [[Ryan Schreiber]] em [[1995]], em [[Minneapolis]], [[Minnesota]], o site centra-se em resenhas e criticas sobre lançamentos musicais, mas os jornalistas da ''Pitchfork'' também fazem críticas sobre as reedições e "box sets". O site tem publicado [[lista]]s de "melhores álbuns" - como os melhores dos [[década de 60|anos 60]], [[década de 1970|70]], [[década de 80|80]], [[década de 90|90]] e [[década de 2010|10]], assim como em todos os anos, desde [[2001]], publicam listas de melhores [[single]]s e [[álbuns]] do ano. A publicação é considerada de significativa influência no mundo da música independente, <ref>{{citar web|url=http://the.honoluluadvertiser.com/article/2005/May/08/il/il22p.html|titulo=Pitchfork e-zine tells indie fans what's hot and not|autor=Greg Kot|data=8 de Maio de 2005|publicado=|acessodata=6 de Fevereiro de 2010}}</ref> apesar de também ser criticada pelos seus critérios de atribuição de notas, devoção a tendências e [[moda]]s, e por focar-se em [[banda musical|banda]]s e [[Estilos musicais|estilos de música]] obscuros, ou desconhecidos do grande público. <ref>{{citar web|url=http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/04/28/AR2006042800457.html|titulo=Giving Indie Acts A Plug, or Pulling It |autor=J. Freedom du Lac|data=30 de Abril de 2006|publicado=|acessodata=6 de Fevereiro de 2010}}</ref> <ref>{{citar web|URL = http://oglobo.globo.com/cultura/pitchfork-um-site-que-todos-amam-ou-odeiam-3005333|título = Pitchfork: Um site que todos amam. Ou odeiam|data = 21.05.2010|acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = |publicado = O Globo}}</ref>
 
No início de [[1999]], Schreiber desvinculou a Pitchfork da sua base em Minneapolis e se mudou para Chicago, [[Illinois]]. Até então, o site havia se expandido sua publicação de conteúdo para quatro comentários de discos por dia, bem como entrevistas esporádicas, especiais e colunas. O site também começou a conquistar sua adiência em decorrência de sua extensa cobertura de [[música underground|música ''underground'']] e seu estilo de escrita, livre das convenções do [[jornalismo impresso]]. Em outubro do mesmo ano, o site criou uma seção de notícias musicais diárias.
Desde 2008, a Pitchfork também possui um canal de [[Web TV|TV online]] via [[streaming]], o Pitchfork.tv. <ref>{{citar web|url=http://info.abril.com.br/aberto/infonews/042008/08042008-15.shl|titulo=Pitchfork estréia canal de TV online|autor=Felipe Zmoginski|data=|publicado=8 de Abril de 2008|acessodata=5 de Fevereiro de 2010}}</ref>
 
== Influência ==
Em 2009, o fundador Ryan Schreiber foi destacado pela revista [[Time (revista)|Time]] como uma das pessoas mais importantes do ano. <ref>{{citar web|url=http://www.time.com/time/specials/packages/article/0,28804,1883644_1883653_1885468,00.html|titulo=Ryan Schreiber - The 2009 TIME 100 Finalists - TIME|autor=Brian Raftery|data=|publicado=|acessodata=5 de Fevereiro de 2010}}</ref>
 
=== Publicidade e popularidade dos artistas ===
{{Referências}}
As opiniões publicadas na Pitchfork têm ganhado crescente relevância no meio cultural digital nos últimos anos. Alguns dos principais meios de comunicação veem o site como um medidor da cena musical independente, e citações positivas de suas resenhas são cada vez mais utilizadas nos comunicados de imprensa e afixadas em encartes de discos.
 
Algumas publicações <ref name=":0" /> já acusaram a Pitchfork de desempenhar importante papel na popularização e valorização de mercado de bandas como [[Arcade Fire]], [[Sufjan Stevens]], [[Clap Your Hands Say Yeah]], [[Interpol]], [[The Go! Team]], [[Broken Social Scene]], [[Cold War Kids]], e [[Titus Andronicus]] embora o verdadeiro impacto do sítio no desenvolvimento da popularidade desses artistas permaneça ainda sendo um assunto em debate.
 
Por outro lado, a Pitchfork também já foi vista como uma influência negativa para alguns artistas independentes. Como sugere um artigo do [[Washington Post]] de 2006, resenhas da Pitchfork podem ter influência significativa sobre a popularidade de um álbum, especialmente se ele só estivera anteriormente disponível para um público limitado ou lançado em uma gravadora independente. Por outro lado, um endosso da Pitchfork - que atribui notas de um décimo de um ponto de cada vez, até um máximo de 10 pontos - é muito valioso para um artista independente. <ref name=":0" />
 
Exemplos do impacto da Pitchfork incluem:
* Arcade Fire está entre as bandas mais citadas por ter sido beneficiada por uma avaliação da Pitchfork. Em um artigo de 2005 do [[Chicago Tribune]], um funcionário da [[Merge Records]] declarou: "Depois da resenha da Pitchfork, [[Funeral (álbum)|Funeral]] saiu de catálogo em cerca de uma semana porque tivemos muitos pedidos de compra disco." <ref>{{citar web|URL = http://the.honoluluadvertiser.com/article/2005/May/08/il/il22p.html|título = Pitchfork e-zine tells indie fans what's hot and not|data = 08.05.2005|acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = |publicado = The Honolulu Advertiser}}</ref>
* [[Bon Iver]] foi alçado ao status de banda pop e conquistou sucesso de crítica após a resenha de 2007 da Pitchfork para o disco [[For Emma, Forever Ago]]. Pitchfork foi a única publicação a ter incluído o álbum em sua lista de melhores do ano, enquanto mais de dezesseis publicações populares incluíram o re-lançamento do álbum em suas listas de 2008. No verão de 2011, a Pitchfork deu ao [[Bon Iver, Bon Iver|álbum homônimo]] de Bon Iver o selo "Best New Music", e, mais tarde, escolheu-o como o melhor álbum de 2011. A aclamação crítica da Pitchfork a Bon Iver é amplamente vista como o alavanca do artista para o sucesso ''mainstream'' comercial, que culminou no prêmio de Artista Revelação e Melhor Álbum de Música Alternativa do [[Grammy Awards de 2012]]. A revista [[Time (revista)|Time]] nomeou Bon Iver como Personalidade do Ano em 2012, observando a resenha de 2007 da Pitchfork como a fonte de "credibilidade independente" que "levou a banda ao sucesso mainstream". <ref>{{citar web|URL = http://content.time.com/time/specials/packages/article/0,28804,2107952_2107953_2109947,00.html|título = The 2012 TIME 100 Poll - Bon Iver|data = 29.03.2012|acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = |publicado = Time}}</ref>
* Lee Sargent, membro da banda Clap Your Hands Say, discutiu o impacto da influência da Pitchfork em seu álbum, dizendo: "A questão sobre uma publicação como a Pitchfork é que eles podem decidir quando isso acontece. Você sabe o que eu quero dizer? Eles podem dizer, 'Nós vamos acelerar o processo de sucesso e isso vai acontecer... agora!' E isso foi um grande impacto para nós, porque perdemos o controle de tudo." <ref>{{citar web|URL = http://www.tinymixtapes.com/features/clap-your-hands-say-yeah|título = Clap Your Hands Say Yeah: Interview|data = 01.2006|acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = Chris Ruen|publicado = Tiny Mix Tapes}}</ref>
 
== Críticas ==
Uma queixa comum sobre a Pitchfork é a de que a linha editorial do sítio sofre de uma visão estreita quanto à música independente, favorecendo o [[lo-fi]] e muitas vezes o [[indie rock]] obscuro e dando tratamento superficial para outros gêneros. <ref name=":1">{{citar web|URL = http://www.citypages.com/2006-06-14/news/the-pitchfork-effect/|título = The Pitchfork Effect|data = 14.06.2006|acessadoem = 23 de novembros e 2014|autor = |publicado = City Pages}}</ref> Alguns críticos têm sugerido que o site classifica álbuns de cenas musicais particulares ou certos artistas de forma mais favorável, a fim de reforçar a sua influência quando tal música se torna popular. <ref>{{citar web|URL = http://www.slate.com/articles/arts/music_box/2006/11/die_pitchfork_die.html|título = Die, Pitchfork, Die!|data = |acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = Matthew Shaer|publicado = Slate}}</ref>
 
A maioria das críticas, no entanto, foca no estilo de resenhar álbuns do sítio. Os críticos argumentam que o site com frequência enfatiza a própria escrita do resenhista no lugar da música real que está sendo resenhada, às vezes nem mesmo resenhando o álbum e, em vez disso, criticando a integridade do artista. <ref name=":1" /> A Pitchfork é também conhecida por dar nota "0.0", considerando o trabalho resenhado como totalmente sem valor. Um crítico escreveu que a nota "0.0" da Pitchfork para um álbum específico pode ser tida como não mais do que um "golpe de publicidade barata" para um site que "vive da controvérsia". <ref>{{citar web|URL = http://www.dustedmagazine.com/features/651|título = All Y'All Haters|data = |acessadoem = 23 de novembro de 2014|autor = Charlie Wilmoth|publicado = Dusted Magazine}}</ref>
*{{Referências}}
 
== {{Ligações externas}} ==
{{esboço-internet}}
{{Portal3|Música}}
 
[[Categoria:Sites de música]]
[[Categoria:Revistas eletrônicas]]
[[Categoria:Sites de multimídia]]
[[Categoria:Revistas de música dos Estados Unidos]]
20 450

edições