Abrir menu principal

Alterações

2 bytes adicionados, 02h29min de 6 de dezembro de 2014
Durante o reinado de Lethuoc (ou Leti, daí o nome da dinastia) os lombardos se fixaram na [[Nórica]] graças aos esforços de Lamicão de evitar a assimilação perante os hunos. Com Leti a monarquia lombarda tomou uma forma mais estável e, sobre tudo, hereditária; o sucessor de Lethuoc foi seu filho [[Hilduoc]]. O sucessor de Hilduoc, [[Guduoc]], guiou os lombardos no trajeto final de sua migração. No final do século V, mais especificadamente em {{DC|489|x}}, conduziu os lombardos através da [[Boêmia]] e [[Morávia]] povoando as terras evacuadas pelos [[rúgios]]. Seu sucessor foi [[Clafão]]. [[Tatão]] (cerca de {{DC|500|x}} - {{DC|510|x}}), seu sucessor, conduziu os lombardos de onde até então estavam assentados ao ''[[Feld]]'' ([[planície da Morávia]], região compreendida entre [[Viena]] e [[Bratislava]]).
 
[[Imagem:Lombard state 526-es.pngsvg|thumb|upright=1.35| A [[Panônia]] lombarda no ano 526.]]
 
Segundo [[Procópio de Cesareia|Procópio]], os lombardos estavam sujeitos aos [[hérulos]] mediante o pagamento de tributos. Tatão guiou seu povo contra os hérulos e, na sangrenta batalha que teve lugar em {{DC|508|x}}, venceu e matou em combate o líder dos hérulos, [[Rodolfo (hérulo)|Rodolfo]]. A derrota dos hérulos significou o desaparecimento desse povo da história. Os lombardos de Tatão, pelo contrário, emergiram como uma potência local: tomaram o tesouro dos vencidos, reformaram o seu exército incluindo nele guerreiros de outras tribos já submetidas pelos hérulos (ou ao menos os hérulos sobreviventes) e ocuparam uma vasta área em torno do curso médio do [[Danúbio]].
39 386

edições