Diferenças entre edições de "Tomografia computadorizada"

808 bytes adicionados ,  16h41min de 9 de dezembro de 2014
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 95.136.121.223 para a última revisão de Salebot, de 14h22min de 15 de outubro de 2014 (UTC))
A '''tomografia computadorizada''' <math>(TC)</math>, originalmente apelidada '''tomografia axial computadorizada''' / '''computorizada''' <math>(TAC)</math> - {{lang-en|''X-ray computed tomography''}} - é um [[exame complementar de diagnóstico]] [[diagnóstico por imagem|por imagem]], que consiste numa imagem que representa uma secção ou "fatia" do corpo. É obtida através do processamento por [[computador]] de informação recolhida após expor o corpo a uma sucessão de [[raios X]]. Seu método principal é estudar a atenuação de um feixe de raios X durante seu trajeto através de um segmento do corpo; no entanto, ela se distingue da radiologia convencional por diversos elementos.<ref name=TC>[http://www.playmagem.com.br/tomografia/intro_tc_computadorizada.PDF Tomografia computadorizada]</ref>
 
== Obtenção da tomografia ==
=== Princípios físicos ===
[[Ficheiro:Ct-internals.jpg|thumb|250px|Interior de um tomógrafo]]
A TC baseia-se nos mesmos princípios que a conografia[[radiografia|convencional]], segundo os quais [[tecido]]s com diferentes composições absorvem a [[raios X|radiação X]] de forma diferente. Ao serem atravessados por raios X, tecidos mais densos (como o [[fígado]]) ou com [[Elemento químico|elementos]] mais pesados (como o [[cálcio]] presente nos ossos), absorvem mais radiação que tecidos menos densos (como o [[pulmão]], que está cheio de ar).<ref name=TC /><ref>[http://www.cenapcascavel.com.br/cursosonline/artigos/radioI/Claudinei%20dos%20Santos%20Bicalho.pdf CURSO TÉCNICO EM RADIOLOGIA]</ref>
 
Assim, uma TC indica a quantidade de [[radiação]] absorvida por cada parte do corpo analisada ([[radiodensidade]]), e traduz essas variações numa escala de [[cinzento]]s, produzindo uma imagem. Cada [[pixel]] da imagem corresponde à [[média]] da absorção dos tecidos nessa zona, expresso em unidades de Hounsfield (em homenagem ao criador da primeira máquina de TC).
 
=== Procedimento de segurança ===
[[File:Belangrijke ontwikkeling in röntgenonderzoek dankzij 'computer-tomograaf' Weeknummer, 77-12 - Open Beelden - 21994.ogv|right|thumb|Documentário de 1977 sobre tomografia computadorizada]]
 
Entre as características das imagens tomográficas destacam-se os '''pixeis''', a '''matriz''', o '''campo de visão''' (ou ''fov'', “field{{lang-en|''field of view”view''}}), a escala de cinza e as janelas.<ref name=TC />
 
O pixel é o menor ponto da imagem que pode ser obtido. Assim uma imagem é formada por uma certa quantidade de pixeis. O conjunto de pixeis está distribuído em colunas e linhas que formam a matriz. Quanto maior o número de pixeis numa matriz melhor é a sua resolução espacial, o que permite um melhor diferenciação espacial entre as estruturas. E apos processos de reconstrução [[matemática]], obtemos o Voxel (unidade 3D) capaz de designar profundidade na imagem radiológica.
 
O '''campo de visão''' <math>(FOV)</math> representa o tamanho máximo do objeto em estudo que ocupa a matriz, por exemplo, uma matriz pode ter 512 pixeis em colunas e 512 pixeis em linhas, e se o campo de visão for de 12&nbsp;cm, cada pixel vai representar cerca de 0,023&nbsp;cm (12&nbsp;cm/512). Assim para o estudo de estruturas delicadas como o ouvido interno o campo de visão é pequeno, como visto acima enquanto para o estudo do abdômen o campo de visão é maior, 50&nbsp;cm (se tiver uma matriz de 512 x 512, então o tamanho da região que cada pixel representa vai ser cerca de quatro vezes maior, ou próximo de 1&nbsp;mm). Não devemos esquecer que FOV grande representa perda de foco, e consequentemente radiação x secundaria.
 
Em relação às imagens, existe uma convenção para traduzir os valores de voltagem detectados em unidades digitais. Dessa forma, temos valores que variam de –1000, onde nenhuma voltagem é detectada: o objeto não absorveu praticamente nenhum dos fótons de Rxraio-X, e se comporta como o ar; ou um valor muito alto, algo como +1000 ou mais, caso poucos fótons cheguem ao detector: o objeto absorveu quase todos os fótons de RXraio-X. Essa escala onde –1000 é mais escuro, 0 é um cinza médio e +1000 (ou mais) é bem claro. Dessa forma quanto mais RXraio-X o objeto absorver, mais claro ele é na imagem. Outra vantagem é que esses valores são ajustados de acordo com os tecidos biológicos.
 
A escala de cinza é formada por um grande espectro de representações de tonalidades entre branco, cinza e o preto. A escala de cinzas é que é responsável pelo brilho de imagem. Uma escala de cinzas foi criada especialmente para a tomografia computadorizada e sua unidade foi chamada de '''unidade Hounsfield''' <math>(HU)</math>, em homenagem ao cientista que desenvolveu a tomografia computadorizada. Nesta escala temos o seguinte:
 
* zero unidades Housfield (0 HU) é a [[água]],
* [[ar]] -1000 (HU),
* [[osso]] de 300 a 350 HU;
* [[gordura]] de –120 a -80 HU;
* [[músculo]] de 50 a 55 HU.
 
As '''janelas''' são recursos computacionais que permitem que após a obtenção das imagens a escala de cinzas possa ser estreitada facilitando a diferenciação entre certas estruturas conforme a necessidade. Isto porque o olho humano tem a capacidade de diferenciar uma escala de cinzas de 10 a 60 tons (a maioria das pessoas distingue 20 diferentes tons), enquanto na tomografia no mínimo, como visto acima há 2000 tons. Entretanto, podem ser obtidos até 65536 tons – o que seria inútil se tivéssemos que apresentá-los ao mesmo tempo na imagem, já que não poderíamos distingui-los. A janela é na verdade uma forma de mostrar apenas uma faixa de tons de cinza que nos interessa, de forma a adaptar a nossa capacidade de visão aos dados obtidos pelo tomógrafo.
== História ==
[[Ficheiro:RIMG0277.JPG|thumb|right|Protótipo para a obtenção de TCs]]
A construção da primeira máquina de tomografia ocorreu em [[1972]] no "''THORN EMI Central Research Laboratories''", na Inglaterra, por [[Godfrey Newbold Hounsfield]] .<ref name=TC />
 
==Ver também==
 
* [[Anexo:Lista de medicinas nucleares]]
{{div col}}
* [[Anexo:Lista de medicinas nucleares|Lista de medicinas nucleares]]
* [[Diagnóstico por imagem]]
* [[Radiografia]]
* [[Imagem por ressonância magnética]]
* [[Radiação ionizante#Uso da radiação na medicina|Uso da radiação na medicina]]
* [[Degradação de materiais por radiação]]
* [[Radiodensidade]]
 
{{div col end}}
 
{{Referências}}
 
== Ligações externas ==
 
* [http://www.ctcases.net/ Tomografia computadorizada do CT Cases.net]
 
{{Portal-tecnologia}}
{{Portal3|Tecnologia}}
 
{{DEFAULTSORT:Tomografia computadorizada}}
{{esboço-tecnologia}}
 
[[Categoria:Radiologia]]
Utilizador anónimo