Diferenças entre edições de "Revisionismo (marxismo)"

1 byte adicionado ,  12h51min de 24 de dezembro de 2014
ajustes
(Termos de ciência política)
 
(ajustes)
{{social-democracia}}
DentroA dopalavra '''revisionismo''', no movimento [[Marxismo|marxista]], a palavra '''revisionismo''' é usada para se referir a várias idéiasideias, princípios e teorias que se baseiam em uma significativa ''revisão'' das premissas marxistas fundamentais.<ref>[[Oxford English Dictionary]] Revisionism 1. "A policy first put forward in the 1890s by Edward Bernstein (1850-1932) advocating the introduction of socialism through evolution rather than revolution, in opposition to the orthodox view of Marxists; hence a term of abuse used within the communist world for an interpretation of Marxism which is felt to threaten the canonical policy." with the first use in English "1903''Social-Democrat VII.'' 84 (''heading'') Revisionism in Germany."</ref>
 
O termo é mais freqüentementefrequentemente usado por marxistas que acreditam que tais revisões são injustificadas e representam um "nivelamento por baixo" ou abandono do marxismo. Como tal, o revisionismo muitas vezes carrega conotações pejorativas. Os identificados como "revisionistas" tem criticado o marxismo "ortodoxo" por ter desconsiderado a visão de [[Karl Marx]], da necessidade de evolução do capitalismo para alcançar o socialismo, e por desrespeitar a ênfase do mesmo sobre o papel da democracia parlamentar em alcançar o mesmo objetivo, bem como criticar [[Karl Kautsky]] pela sua idéiaideia de [[socialismo estatal]].<ref>Michael Harrington. ''Socialism: Past and Future''. Reprint edition of original published in 1989. New York, New York, USA: Arcade Publishing, 2011. Pp. 43-59.</ref>
O termo "revisionismo" tem sido utilizado numa série de diferentes contextos e de se referir a um número de diferentes revisões (ou reivindicadas revisões) de teoria marxista:
[[Image:Eduard Bernstein.jpg|thumb|200px|[[Eduard Bernstein]], autor do original Revisionismo.]]
 
*No final do século XIX, o ''revisionismo'' foi usado para descrever escritores [[Socialismo democrático|socialistas democráticos]] como [[Eduard Bernstein]] e [[Jean Jaurès]], que procuraram [[Reformismo (marxista) | rever as idéiasideias de Karl Marx]] sobre a transição do capitalismo para o socialismo e afirmaram que uma revolução através da força não era necessária para alcançar uma sociedade socialista.<ref>Vgl. Wolfgang Eichhorn: Über Eduard Bernstein. Gegensatz und Berührungspunkte zu Rosa Luxemburg und W. I. Lenin, em: Jahrbuch für Forschungen zur Geschichte der Arbeiterbewegung, No. I/2002.</ref> Os pontos de vista de Bernstein e Jaurès deram origem a teoria gradualista, que afirma que o socialismo pode ser alcançado através de reformas pacíficas graduais e dentro de um sistema capitalista.<ref>Philip P. Wiener (ed). [http://etext.virginia.edu/DicHist/dict.html Dictionary of the History of Ideas], Charles Scribner's Sons, New York, in 1973-74. R. K. Kindersley[http://etext.virginia.edu/DicHist/dict.html Marxist revisionism: From Bernstein to modern forms], website of the [[University of Virginia]] Library. Accessed 28 April 2008</ref>
 
*Nas décadas de 1920 e 1930, a Internacionalinternacional [[Oposição de Esquerda]] liderada por [[Leon Trotsky]], que tinha sido expulsa da [[Comintern|Internacional Comunista]], acusou a liderança da [[União Soviética]] de rever os princípios internacionalistas do marxismo e do [[leninismo]] em favor das aspirações da uma elite burocrática que havia chegado ao poder na União Soviética.<ref>Leon Trotsky.[http://www.marxists.org/archive/trotsky/1928/3rd/index.htm The Third International After Lenin], The Militant, 1929. Accessed 14 March 2010</ref> Os trotskistas viam a nascente [[burocracia]] [[Stalinismo|stalinista]] como um obstáculo no caminho do proletariado para a revolução socialista mundial, e para as mudanças do [[stalinismo]] propuseram a [[Teoria da revolução permanente|teoria marxista da Revolução Permanente]]. As autoridades soviéticas rotularam os trotskistas como "revisionistas" e os expulsaram do [[Partido Comunista da União Soviética]], como represália os [[Trotskismo|trotskistas]] fundaram na [[França]], em 1943, a sua [[Quarta Internacional]].<ref name="mani">{{citar web |url=http://www.marxists.org/history/etol/document/fi/1938-1949/ww/1943-ww04.htm |título=Manifesto of the Fourth International on the Dissolution of the Comintern |acessodata=28 de novembro de 2013 |autor=Quarta Internacional |data= |ano=1943 |obra=Marxists.org |língua=en }}</ref>
 
*Na década de 1940 e 1950 dentro do movimento [[Comunismo|comunista]] internacional, o ''revisionismo'' foi um termo usado pelos [[Stalinismo|stalinistas]] para descrever os comunistas que se concentraram na produção de [[bens de consumo]] em vez da [[indústria pesada]]; ou que aceitavam [[Nacionalismo|diferenças nacionais]] em vez de promover o proletário internacionalista, também eram denominados de "revisionistas" os que incentivavam [[Socialismo liberal |reformas liberais]] em vez de permanecer fiel a doutrina estabelecida. Revisionismo foi uma das acusações dirigidas a [[titoísmo|titoístas]] como punição por sua busca de uma forma relativamente independente da ideologia comunista,<ref>http://www.marxists.org/archive/cliff/works/1958/07/hungary.htm Backgound to Hungary; From Socialist Review, July 1958; acessado em 28 novembro 2013</ref> durante uma série de expurgos na [[Europa Oriental]] pela administração Soviética. Após a morte de Stalin uma forma mais participativa e mais democrática do socialismo tornou-se [[Revolução Húngara de 1956|brevemente aceitável]]<ref>{{citar web |url=http://www.nytimes.com/1989/01/29/world/hungary-in-turnabout-declares-56-rebellion-a-popular-uprising.html?src=pm/ |publicado= New Your Times |título= ''Hungary, in Turnabout, declares 56 rebellion a popular uprising''|data=29 de janeiro de 1989 |acessodata=29 de novembro 2013 |língua= en}}</ref> durante os governos de [[Imre Nagy]] na [[Hungria]] (1953-1955) e de [[Władysław Gomułka]] na [[Polônia]], que continham idéias que o resto do [[bloco soviético]], e o própria União Soviética consideravam revisionista, embora nem Nagy nem Gomułka se descreveram como revisionistas, uma vez que isso teria sido auto-depreciativo.
*[[Eurocomunismo]]
 
{{referências|col=2}}
 
[[Categoria:Comunismo]]
41 863

edições