Abrir menu principal

Alterações

913 bytes adicionados, 01h58min de 29 de dezembro de 2014
sem resumo de edição
|área = 232.1
|altitude = 529
|população = 7861883 334 habitantes
|censo = 20072014
|densidade =
|latG = 39| latM = 51| latS = 00| latP =N
Entre 1085 e 1100, a população de Toledo se tornou [[Homogeneidade|homogênea]] etnicamente e culturalmente, antes, cerca de 5% da população toledana era composto de muçulmanos e judeus. As populações indígenas de religião cristã e [[Paganismo|pagã]] foram bastante maltratadas pelo governo islâmico, com impostos abusivos, tentativas de conversão forçada, [[servidão]] (em alguns casos [[escravidão]]), e privilegiando muçulmanos e judeus, mas quando [[Castela]] reconquistou a região, esses dois grupos passaram a ser perseguidos. Por volta do ano 1300, um grupo de judeus chegaram a cidade, mas foram expulsos novamente em 1492.
 
Durante a guerra civil castelhana, Toledo lutou ao lado de [[Pedro I]], e depois de sofrer um longo cerco, foi tomada em janeiro de 1369. Ao longo da [[Idade Média]], a cidade foi crescendo, especialmente a partir do século XIV.
Toledo era famosa por sua produção de [[aço]], especialmente espadas, e a cidade ainda é um centro de manufatura de facas e pequenas ferramentas de aço. Após [[Filipe II de Espanha]] mudar a [[corte]] de Toledo para [[Madrid]] em [[1561]], a cidade entrou em lento declínio, do qual nunca se recuperou.
 
Toledo era famosa por sua produção de [[aço]], especialmente espadas e armaduras, e a cidade ainda é um centro de manufatura de facas e pequenas ferramentas de aço. Após [[Filipe II de Espanha]] mudar a [[corte]] de Toledo para [[Madrid]] em [[1561]], a cidade entrou em lento declínio, do qual nunca se recuperou.
 
A Rainha Isabel I de Castela (1451 - 1504) ampliou a cidade, e na Catedral de Toledo os reis católicos proclamaram Juana como herdeira à coroa espanhola em 1502, a [[Espanha]] se tornava o primeiro Estado oficialmente unificado. A participação ativa na unificação do primeiro Estado moderno da Europa e do Mundo foi na presença dos nobres castelhanos, especialmente os aristocratas da família [[Álvarez de Toledo]]. Isabel tinha construído em Toledo o Mosteiro de San Juan de los Reyes, para comemorar a batalha de Toro e ser enterrada lá com o marido, mas, depois decidiu enterrar-se na segunda cidade, onde seus restos mortais hoje descansam.
 
=== Artes e cultura ===
214

edições