Diferenças entre edições de "Camargo Guarnieri"

33 bytes removidos ,  20h52min de 13 de janeiro de 2015
sem resumo de edição
m (Dantadd moveu Mozart Camargo Guarnieri para seu redirecionamento Camargo Guarnieri)
|principais_críticos = [[Academia de Artes]]
}}
'''Mozart Camargo Guarnieri''', ou simplesmente '''Camargo Guarnieri''', como preferia ser chamado em respeito ao compositor '''Wolfgang Amadeus Mozart''', ([[Tietê]], {{dtlink|lang=br|1|2|1907}} — [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], {{dtlink|lang=br|13|1|1993}}) foi um [[compositor]] e [[Maestro|regente]] [[brasil]]eiro.
 
== Biografia ==
=== Os anos de formação (até 1935) ===
Camargo Guarnieri nasceu na cidade do Tietê, no [[interior de São Paulo]], em 1 de fevereiro de 1907.<ref name="Revista de teatro">''Revista de teatro, Edições 397-408''. Sociedade Brasileira de Autores Teatrais, 1974. pp. 14.</ref> Seu pai era um [[Imigração italiana no Brasil|imigrante italiano]] e sua mãe vinha de uma tradicional família paulista. O pai, Miguel Guarnieri, era barbeiro e músico, e tocava [[flauta]]. A mãe, Gécia Camargo, tocava [[piano]]. O pequeno Guarnieri aprendeu música em casa.<ref name="Algo Sobre">{{citar web |url=http://www.algosobre.com.br/biografias/camargo-guarnieri.html |título=Camargo Guarnieri |acessodata=13 de janeiro de 2013 |autor= |coautores= |data= |ano= |mes= |formato= |obra=R7 |publicado=Algo Sobre |páginas= |língua= |língua2=pt |língua3= |lang= |citação= }}</ref>
 
Teve aulas de piano a partir dos dez anos de idade com Virgínio Dias. Para este professor dedicou sua primeira composição, a valsa ''Sonho de artista'' (1918). A obra foi desdenhada pelo professor, mas seu pai julgou que a obra era fruto de promissor talento, pagando sua publicação em 1920.
Em 1928 foi apresentado a [[Mário de Andrade]], a quem mostrou suas obras recém compostas ''Canção Sertaneja'' e ''Dança Brasileira''.<ref>Neves, José Maria. ''Música contemporânea brasileira''. Ricordi Brasileira, 1981. pp. 66.</ref> O escritor modernista tornou-se seu mestre intelectual. Guarnieri passou a frequentar a casa de Mário de Andrade, com quem discutia estética, ouvia obras musicais e tomava livros emprestados. Tendo cursado até então apenas dois anos do curso primário, o contato com o escritor foi muito importante para a formação intelectual de Guarnieri. O contato entre ambos tornou-se uma grande amizade e também uma parceria artística. Muitas das canções escritas por Camargo Guarnieri foram sobre textos de Mário de Andrade, incluindo a ópera ''[[Pedro Malazarte]]''.<ref>Pereira, Maria Elisa. ''Lundu do escritor difícil: canto nacional e fala brasileira na obra de Mário de Andrade''. UNESP, 2006. pp. 88. ISBN 8571397287</ref> Exercendo atividade como crítico musical na imprensa, Mário de Andrade foi um dos principais responsáveis pela aceitação e pela divulgação da obra de Camargo Guarnieri.
 
Em 1931 Camargo Guarnieri teve a estréiaestreia de sua primeira composição sinfônica, ''Curuçá'', regida por Villa-Lobos em concerto da Sociedade Sinfônica de São Paulo. Entretanto, a peça jamais foi executada novamente, nem teve sua partitura publicada. Outras experiências de composição sinfônica foram tentadas por Camargo Guarnieri, incluindo transcrições de sua música composta para piano (das quais a ''Dança Brasileira'' se tornaria a mais célebre, chegando a ser gravada a versão orquestral por [[Leonard Bernstein]] com a Filarmônica de Nova York na década de 1960) e a composição do ''Concerto n° 1'' para piano e orquestra. Esta obra foi estreada em 1935 tendo o compositor como regente e o solo executado por [[Souza Lima]].
 
=== Profissionalização (1935-1950) ===
Em 1935 a prefeitura de São Paulo criou o [[Departamento de Cultura de São Paulo|Departamento de Cultura]], cujo primeiro diretor, Mário de Andrade, convidou Guarnieri como regente do [[Coral Paulistano]].<ref name="Revista de teatro"/> Este deveria ser um conjunto de câmera, pois o município também iria manter o Coral Lírico para dedicar-se ao repertório operístico. O Coral Paulistano tinha também como objetivo fomentar o canto em língua nacional, e Camargo Guarnieri compôs para ele diversas obras corais. Foi também no Departamento de Cultura que Guarnieri passou a reger a [[Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo]], e o trabalho nesta instituição pública foi sua principal atividade profissional ao longo de toda a década de 1940.
 
Em 1938 o compositor foi selecionado em concurso pela Comissão do [[Pensionato Artístico do Estado de São Paulo]], recebendo uma bolsa de estudos de dois anos, renovável por mais um, para estudar em [[Paris]]. Na capital francesa teve aulas de contraponto, harmonia, orquestração e composição com [[Charles Koechlin]], e de regência com [[François Rühlmann]]. Além das aulas, realizou concertos, a travou conhecimento com [[Nádia Boulanger]], figura central da chamada escola neo-clássicaneoclássica. A temporada parisiense foi abortada prematuramente por causa de vários fatores, entre eles a instabilidade financeira sofrida pelo compositor quando mudanças políticas no [[município de [[São Paulo]] levaram à perda de uma bolsa complementar, e também a ecolsãoeclosão da guerra e a iminência da ocupação alemã.
 
Em retorno a São Paulo, em 1939, Guarnieri manteve-se de forma incerta, terminando por ocupar outras funções no Departamento de Cultura, visto que seu cargo de regente tivesse sido ocupado quando de sua ausência. Mário de Andrade já não estava na direção do Departamento de Cultura, e vivia no [[Rio de Janeiro]]. Outros intelectuais passam apoiar e divulgar a música de Guarnieri, especialmente [[LuizLuís Heitor]]. Desde 1934 Camargo mantinha também estreita correspondência com [[Curt Lange]], musicólogo alemão radicado no Uruguai. Este provavelmente tomou contato com sua música por indicação de Lamberto Baldi, que agora trabalhava na capital uruguaia.
 
Em decorrência das gestões para intercâmbio cultural entre Estados Unidos e Brasil, no âmbito da [[Política da Boa Vizinhança]] de Roosevelt, Camargo Guranieri se tornou o principal compositor brasileiro a atrair a atenção do meio musical norte-americano. O compositor [[Aaron Copland]] veio ao Brasil como enviado do Departamento de Estado para sondar compositores que receberiam bolsas de estudo nos Estados Unidos.<ref name="Algo Sobre"/> Ele e Camargo Guarnieri tornaram-se amigos pessoais, e o compositor norte-americano tornou-se posteriormente um dos principais divulgadores da música de Guarnieri nos Estados Unidos. Além de Copland, Guarnieri travou contato com o flaustisa e musicólogo [[Carleton Sprague Smith]], que residiu muitos anos no Brasil como uma espécie de representante musical dos Estados Unidos. Outro importante personagem norte-americano com quem Guarnieri travou contato foi o diretor da Divisão de Música da União Panamericana, o compositor Charles Seeger. O contato entre ambos deu-se a partir de Luiz Heitor, que trabalho como secretário da Divisão de Música em Washington, em 1941.
A década de 1950 também marca o início do que vai ficar conhecido como ''Escola Paulista'' - com Camargo Guarnieri tornando-se um dos principais professores de composição no país. Entre seus alunos destacaram-se os nomes de [[Osvaldo Lacerda]], [[Lina Pires de Campos]], [[Marlos Nobre]], [[Almeida Prado]], [[Villani-Côrtes]], [[Nilson Lombardi]], [[Maria José Carrasqueira]].
 
Entre janeiro de 1956 e janeiro de 1961 o compositor exerceu o cargo de Assessorassessor Artísticoartístico-Musicalmusical do Ministério da Educação, durante a gestão de [[Clóvis Salgado]], no governo de [[Juscelino Kubitschek]].
 
Sua reputação internacional continuou crescente, sendo sempre executado nos Estados Unidos. Foi também muitas vezes convidado a participar de jurisjúris internacionais em concursos.
 
Em 1975 assumiu a direção da recém-criada [[Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, [[OSUSP]] (OSUSP), cargo que exerceu até o fim da vida.
 
Foi condecorado pela Presidência da República Portuguesa com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique (Junhojunho de 1992).
 
== Obra ==
A obra musical de Camargo Guarnieri é formada por mais de 700 obras e é provavelmente o segundo compositor brasileiro mais executado no mundo, superado apenas por Villa-Lobos. Pouco antes de sua morte recebeu o prêmio "Gabriela Mistral", sob o título de "maior compositor das Américas".
 
O acervo pessoal de Camargo Guarnieri (correspondência pessoal, partituras, discos, recorte de jornal, etc.) está depositado no arquivo do [[Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo|]] (IEB-USP]]), e consiste no principal arquivo para pesquisa sobre o compositor.
 
* Projeto Camargo Guarnieri 3 concertos para violino e a Missão em DVD, patrocínio da [[Petrobras]] - Selo CCSP ([[Centro Cultural São Paulo]]), 2008, Lua Music 324
{{Portal3|Brasil|São Paulo|Biografias|Música|Música Erudita}}
 
{{NF|1907|1993|Camargo Guarnieri}}
[[Categoria:Naturais de Tietê]]
[[Categoria:Compositores eruditos do Brasil]]
127 082

edições