Diferenças entre edições de "Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul"

25 bytes adicionados ,  00h56min de 4 de fevereiro de 2015
|fim das atividades = 1993
|hubs_primários =
|frota = juntandoNo todosencerramento osde aviõesoperações queeram possuiu6 são727-100 30e 6 737-200
|sede = [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[Rio de Janeiro|RJ]]
|pessoas_importantes =
Em 4 de setembro de 1967, a Cruzeiro recebeu o primeiro de 12 YS-11A operados até 1975, mais uma aeronave introduzida no Brasil graças à companhia.
 
Em 1968, encomendou 4 [[Boeing]]s 727-100, iniciando serviços com os mesmos em 03/01/1970 nas rotas Rio-Brasília e Rio-Buenos Aires. Em 1969, Leopoldino Amorim asssume a presidência, deixada vaga pela morte de Dr.José Bento Ribeiro Dantas, presidente da empresa desde 1942.
 
== Venda ==
A [[década de 1970|década de 70]] começou mal para a empresa, sendo que a mesma encontrou crescentes dificuldades para competir com a [[Varig]], [[VASP]] e com o crescimento da [[Sadia]]/[[Transbrasil]]. EmQuando finalmente obteve a chance de renovação de sua frota com a aquisição de 6 Boeing 737-200, a CRUZEIRO se viu envolvida em negociações onde VASP e VARIG disputaram seu controle acionário, sendo que em 22/05/1975 a Cruzeiro foi adquirida pela [[Fundação Rubem Berta]], controladora da [[Varig]]. Deixava de existir uma das pioneiras de nossa aviação.
A marca e o nome, porém, foram mantidos e a [[Varig]] usava a Cruzeiro para ter direitos a mais rotas e obter um faturamento de 2 empresas. Como na compra dos 4 Airbus A300/B4, que foram negociados com o consórcio Airbus Industries pela Cruzeiro inicialmente, entretantoaté foipor decididoser queum produto desconhecido, os dois primeiros seriamaviões com matriculamatriculados PP-CLA &e PP-CLB fizeram tanto sucesso na rota para Miami, poisque o grupoFAA fez questão de pilotoslembrar a VARIG que voariama eramrota era da Cruzeiro.VARIG Ose não da CRUZEIRO, então os outros 2dois A-300/B4aviões vieramchegaram compara matriculasa VARIG e pinturareceberam daos Varigprefixos paraPP-VND e PP-VNE. Outra situação em que osa pilotosCRUZEIRO dafoi Varigusada pudessemcomo voa-los,laboratório possibilitandofoi assimno umaexperimento expansãode maiormeses com umo mesmoMD82, faturamento.matriculado ForamPP-CJM, criadasno novasentanto linhas,o contrataçõesavião echegou promoçõesa deter pilotos6 unidades prospectadas pela CRUZEIRO, comissáriosmas uma alta do dólar enterrou os planos e funcionárioso PP-CJM foi devolvido após o período de terraexperiência.
O novo MD-80 foi emprestado pela Mc Donnell Douglas para ser avaliado nas linhas domesticas, pois havia uma previsão de compras de mais aeronaves. A Varig decidiu após as avaliações em aumentar a frota doméstica com B737/300, devolvendo o MD 80 após 1 ano de uso.
A marca Cruzeiro durou até 1997, quando os últimos 737-200 da Cruzeiro foram pintados nas cores da [[Varig]]. Os últimos traços da empresa desapareceram em Setembro de 2001, quando os 4 Boeings 737-200 remanescentes (CJN/CJR/CJS/CJT) foram desativados.
 
== Cruzeiro como subsidiária da Varig ==
Embora Varig e Cruzeiro do Sul foram mantidas como empresas separadas que funcionam como um consórcio, na realidade frequências e frotas foram integrados e racionalizados, a fim de evitar a duplicação de serviços. Desde que em 1975 havia apenas quatro companhias aéreas nacionais que operam no Brasil (Varig, Cruzeiro, Vasp e Transbrasil) e o mercado era rigidamente regulados, o governo destinou um máximo de 45% da quota de mercado para o consórcio Varig/Cruzeiro sendo o restante dividida entre as outras duas linhas aéreas. O consórcio teve, porém, o monopólio das rotas internacionais e operado em todas as grandes cidades brasileiras.
Em 1979, a Cruzeiro comprou dois Airbus A300B4. Em 14 de junho, 1983 Cruzeiro usando suas concessões abriu novos serviços internacionais para Port of Spain e Bridgetown e mantidos os existentes para Montevidéu, Buenos Aires, La Paz, Santa Cruz de la Sierra, Iquitos, Paramaribo e Caiena. Em 1986, a frota de Cruzeiro consistia de dois Airbus A-300, 6 Boeing 727-100 e 6 737-200.
Na área econômica no entanto, o déficit, desde a compra da Varig nunca deixou de crescer. Finalmente, no dia 1 de janeiro de 1993 Cruzeiro do Sul deixou de existir quando foi totalmente absorvido Varig. Em 1997, o último 737-200 ainda pintados com o esquema de cores do Cruzeiro e com o registro Cruzeiro recebeu as cores da Varig. EstaSeus aeronavetraços deixoudesapareceram em 2001 quando os aviões PP-CJN, CJO, CJR, CJT. Por ironia do destino o PP-CJT ainda voltou a VARIG quando esta teve severos problemas de funcionarfrota em 20012002.
 
== Aeronaves Operadas ==
Utilizador anónimo