Diferenças entre edições de "Romeo Niram"

126 bytes adicionados ,  20h55min de 18 de fevereiro de 2015
sem resumo de edição
m (A migrar 3 interwikis, agora providenciados por Wikidata em d:q7363116)
'''Romeo Niram''' (nascido em [[1974]]), é um pintor [[judeu]] com actividade em [[Portugal]]. Realizou várias exposições em Portugal e está representado em colecções particulares da [[Turquia]],[[Espanha]], [[Israel]], [[Alemanha]], [[Portugal]], [[Roménia]].
 
== Actividade jornalística ==
Em 2004, fundou o primeiro jornal cultural bilingue de [[Portugal]]: '''DiasporaDiáspora''', cuja contribuição para a cultura lusófona foi evidenciada no Dicionário Temático da Lusofonia.
 
Em 2005, fundou a revista '''[http://www.niramart.espacioniram.com/ Niram Art]''', que publica artigos, crónicas e informações do mundo da arte em [[Língua Espanhola|espanhol]], [[Língua Portuguesa|português]], [[Língua Inglesa|inglês]] e [[Língua Romena|romeno]]. O objectivo da revista é a criação de relações privilegiadas entre artistas, coleccionadores e galerias de toda a Europa, mediante apresentações e entrevistas com artistas, com galeristas, e divulgação de galerias de arte. Em 2007, a revista Niram Art foi distinguida com o Troféu MAC Imprensa, [http://movimentoartecontemporanea.com/mac/ Movimento Arte Contemporânea de Lisboa] (MAC).
Em 2004, fundou o primeiro jornal cultural bilingue de [[Portugal]]: '''Diaspora''', cuja contribuição para a cultura lusófona foi evidenciada no Dicionário Temático da Lusofonia.
 
 
Em 2005, fundou a revista '''[http://www.niramart.espacioniram.com/ Niram Art]''', que publica artigos, crónicas e informações do mundo da arte em espanhol, português, inglês e romeno. O objectivo da revista é a criação de relações privilegiadas entre artistas, coleccionadores e galerias de toda a Europa, mediante apresentações e entrevistas com artistas, com galeristas, e divulgação de galerias de arte. Em 2007, a revista Niram Art foi distinguida com o Troféu MAC Imprensa, [http://movimentoartecontemporanea.com/mac/ Movimento Arte Contemporânea de Lisboa] (MAC).
 
== Obras ==
A série de pinturas intitulada “Ensaio sobre a Lucidez”, representa uma incursão complexa no mundo da [[arte]]. São abordadas várias formas de expressão artística, tão diferentes entre si mas justapostas pelo pincel do pintor: [[pintura]], [[literatura]], [[filosofia]], [[arquitectura]], [[cinematografia]].
 
Desde a pintura inicial “Crime e Castigo”, uma expressão plástica do mundo decadente do livro homónimo de [[Dostoievski]], a série cresceu com obras evocando [[Luís de Camões]], [[Fernando Pessoa]], [[ José Saramago]]. As telas do pintor Romeo Niram transformaram-se numa abreviada [[história]] dos momentos mais importantes da [[literatura]] portuguesa. A série continua com a evocação do grande pintor português [[Lima de Freitas]], na paisagem arquitectónica moderna da [[Praça Dom Pedro IV]] e com um retrato da pintora portuguesa [[Paula Rego]].
 
“Ensaio sobre Oliveira e Tréfaut” fala sobre a sétima arte, a cinematografia, vista com os olhos de um pintor e centrando-se nas figuras do cineasta [[Manuel de Oliveira]] e do realizador de documentários Sèrge[[Sérgio TréfautTréffaut]].
A série de pinturas intitulada “Ensaio sobre a Lucidez”, representa uma incursão complexa no mundo da [[arte]]. São abordadas várias formas de expressão artística, tão diferentes entre si mas justapostas pelo pincel do pintor:[[pintura]],[[literatura]],[[filosofia]], [[arquitectura]],[[cinematografia]].
 
Destaca-se "O Retrato de Fernando Pessoa", (apresentado ao público português na exposição organizada pela [[Câmara Municipal (Portugal)|Câmara Municipal]] de [[Lisboa]], em Outubro de 2006) uma visão pictórica fragmentada de modo a evidenciar a complexa personalidade do poeta. Estamos perante, aparentemente dois retratos, reunidos pela técnica pictural comum, mas diferenciados tanto pelo espaço de água azul que os separa, como pela simbologia escondida atrás de cada um destes retratos.
Desde a pintura inicial “Crime e Castigo”, uma expressão plástica do mundo decadente do livro homónimo de [[Dostoievski]], a série cresceu com obras evocando [[Luís de Camões]], [[Fernando Pessoa]],[[ José Saramago]]. As telas do pintor Romeo Niram transformaram-se numa abreviada [[história]] dos momentos mais importantes da [[literatura]] portuguesa. A série continua com a evocação do grande pintor português Lima de Freitas, na paisagem arquitectónica moderna da Praça Dom Pedro IV e com um retrato da pintora portuguesa [[Paula Rego]].
 
O primeiro [[retrato]] é o de [[Fernando Pessoa]], sendo a figura do poeta o que parece ter imposto a escolha da forma de fragmentação da figura humana. O porquê desta escolha reside na complexa personalidade do poeta, conhecido pela criação dos seus heterónimos ([[Alberto Caeiro]], [[Ricardo Reis]], [[Álvaro de Campos]]).
“Ensaio sobre Oliveira e Tréfaut” fala sobre a sétima arte, a cinematografia, vista com os olhos de um pintor e centrando-se nas figuras do cineasta [[Manuel de Oliveira]] e do realizador de documentários Sèrge Tréfaut.
 
Transpondo em [[pintura]] estas características de [[Fernando Pessoa]], Romeo Niram cria uma ligação estreita entre palavras e imagens, entre [[poesia]] e [[pintura]], mediante as figuras fragmentadas, e também mediante a construção do próprio quadro, que também é fragmentado em dois." A fragmentação do quadro leva ao segundo retrato.
Destaca-se "O Retrato de Fernando Pessoa", (apresentado ao público português na exposição organizada pela Câmara Municipal de [[Lisboa]], em Outubro de 2006) uma visão pictórica fragmentada de modo a evidenciar a complexa personalidade do poeta. Estamos perante, aparentemente dois retratos, reunidos pela técnica pictural comum, mas diferenciados tanto pelo espaço de água azul que os separa, como pela simbologia escondida atrás de cada um destes retratos.
 
O primeiro [[retrato]] é o de [[Fernando Pessoa]], sendo a figura do poeta o que parece ter imposto a escolha da forma de fragmentação da figura humana. O porquê desta escolha reside na complexa personalidade do poeta, conhecido pela criação dos seus heterónimos (Alberto Caeiro, Ricardo Reis, Álvaro de Campos).
 
Transpondo em [[pintura]] estas características de [[Fernando Pessoa]], Romeo Niram cria uma ligação estreita entre palavras e imagens, entre [[poesia]] e [[pintura]], mediante as figuras fragmentadas, e também mediante a construção do próprio quadro, que também é fragmentado em dois." A fragmentação do quadro leva ao segundo retrato.
 
== Referências ==
 
* [http://www.aacadigital.com/contenido.php?idarticulo=164 Revista da Associação Aragonesa dos Críticos de Arte (Nº. 6) Espanha]
 
* [http://www.vigometropolitano.com/news/178/ARTICLE/2187/2007-11-20.html Vigometropolitano Artigo "Brancusi, Einstein y el origen del universo" por Prof. dr. Begoña Fernández Cabaleiro, Españha]
 
* [http://www.margencero.com/romeoniram/romeoniram_presenta.html Revista Almiar, Margen Cero : Artículo "Ensayo sobre la lucidez", Espanha]
 
* CRISTOVÃO, Fernando, ''et al''; '''Dicionário Temático da Lusofonia'''; 1.ª Edição; Lisboa; Editorial Texto Editores; 2005.
 
== {{Ligações externas}} ==
 
* [http://romeoniram.comyr.com/ Site oficial, Galeria de obras]
 
* [http://www.niramart.espacioniram.com Site da revista Niram Art]
 
* [http://www.niramarteditorial.espacioniram.com Site da Editora Niram Art]
 
{{DEFAULTSORT:NF|1974||Niram, Romeo}}
 
[[Categoria:Judeus de Portugal]]
{{DEFAULTSORT:Niram, Romeo}}
[[Categoria:Pintores da Espanha]]
[[Categoria:Judeus de Portugal]]
Utilizador anónimo