Diferenças entre edições de "Gramática de estrutura frasal"

3 bytes adicionados ,  19h01min de 25 de fevereiro de 2015
sem resumo de edição
O termo '''Gramática de estrutura frasal''' foi originalmente introduzido por [[Noam Chomsky]] como o termo para gramáticas definidas por [[regras de estrutura frasal]],<ref>Veja Chomsky (1957).</ref> i.e. Regras de reescrita do tipo estudado previamente por [[Emil Post]] e [[Axel Thue]] (veja Sistemas Canônicos de Post). Alguns autores, porém, reservam o termo para gramáticas mais restritas na hierarquia de Chomsky: gramáticas sensíveis ao contexto, ou gramáticas livres de contexto. Em um sentido mais amplo, gramáticas de estrutura frasal são conhecidas também como gramáticas constituintes. A característica que define uma gramática de estrutura frasal é deste modo sua aderência
aà relação de constituição, em oposição aà relação de dependência entre gramáticas de dependência.
 
==Relação de constituição==
Em linguística, gramáticas de estrutura frasal são aquelas baseadas na relação de constituição, em oposição aà relação de dependência associada com gramáticas de dependência; por isso gramáticas de estrutura frasal são também conhecidas como gramáticas constituintes. <ref>Matthews (1981:71ff.)
fornece uma discussão esclarecedora da distinção entre essas gramáticas. Veja também Allerton (1979:238f.), McCawley (1988:13), Mel'cuk (1988:12-14), Borsley (1991:30f.), Sag and Wasow (1999:421f.), van Valin (2001:86ff.).</ref> Muitas teorias relacionadas ao parsing de linguagens naturais se utilizam de gramáticas de estrutura frasal, e a maioria delas foi desenvolvida a partir do trabalho de Chomsky, incluíndo
 
Utilizador anónimo