Diferenças entre edições de "Santuário dos grandes deuses de Samotrácia"

sem resumo de edição
===A organização do santuário===
[[Imagem:Samothraki Arsinoe rotunda.jpg|300px|esquerda|thumb|Fundações da rotunda''Arsinoé'' (15)]]
A planta do santuário de Samotrácia pode parecer confusa a primeira vista, isso é resultado da topografia muito particular do local, assim como da sucessão de diferentes etapas de construção repartidas por dois séculos. O santuário ocupa, na face ocidental do monte Hagios Georgios, três terraços estreitos, separados por dois canais de água. A entrada é pelo lado leste através do [[propileu]] (''propylaeum'') de Ptolomeu II, conhecido como '''Ptolémaion''' (20) que protege o lado ocidental e funciona como ponte. Imediatamente a oeste, no primeiro terraço, uma depressão cercada de degraus circulares, com um altar no centro, devia servir de área de sacrifícios, embora não se possa saber com precisão sua função. Um caminho tortuoso descia pelo terraço principal onde se encontravam os principais monumentos do culto. Um grande [[tolo (arqueologia)|tolo]], o '''Arsinoéion''', ou como é chamada, a rotunda de Arsinoé (15), a maior sala circular coberta do mundo grego (20 metros de [[diâmetro]] ), servia para acolher os ''theóres'', os embaixadores sacros delegados pelas cidades ou associações às grandes festas do santuário. A decoração com rosetas e [[bucrânio]]s (cabeças de boi ornadas com guirlandas) faz pensar que sacrifícios podiam também acontecer. A [[Rotunda (arquitetura)|rotunda]] foi construída sobre uma base mais antiga ainda, mesmo que dela só sobreviveram as fundações. A direita do páteo aberto a direita do santuário, acha-se o maior edifício, O ''Prédio do friso das bailarinas'' (14), as vezes chamado '''Têmenos''', local que corresponde a uma área fechada monumental muito mais antiga. A reconstituição de sua planta varia consideravelmente, segundo o autor. É em essência um salão precedido por um [[propileus|propileu]] jônico, decorado com o bem conhecido friso das bailarinas é atribuído ao celebrado arquiteto [[Escopas de Paros|Escopas]].
 
O edifício mais importante para o culto, o ''epoptéion'', está localizado ao sul do ThemenosTêmenos. Ele ostenta o nome de '''Hierão''' (13). Não se sabe quem dedicou este edifício, mas dada a magnificência foi certamente real. é uma espécie de templo, mas não tem periptério (filas de colunas) e só um simples ''próstilo'' (em parte restauradas). Os ornamentos arquitetônicos da fachada revelam grande elaboração. O espaço interior corresponde ao maior vão livre (11 metros) do mundo grego. a construção termina ao sul por uma abside inscrita, que constitui, como o altar de uma igreja, a parte mais sacra. Esta abside pode representar-segundo o estudioso R.Ginouvés-uma gruta destinada a rituais ctônicos. O altar principal, e a construção que abriga as ofertas votivas estão localizados a oeste do Hierão (11 e 12).
 
[[Imagem:Samothraki propylon griffin.jpg|300px|thumb|Capitel da fachada oeste do ''Propileu'' de [[Ptolomeu II]] (20)]]
 
O '''Anaktoron''', edifício onde ocorria a ''myésis'', localiza-se ao norte da rotunda de Arsinoé, e segundo as versões correntes é da era imperial.