Abrir menu principal

Alterações

1 262 bytes removidos ,  06h25min de 27 de fevereiro de 2015
m
Reversão de uma ou mais edições de 201.17.179.95 para a versão 41044730 de Erico Tachizawa (sem fontes), com Reversão e avisos.
}}
'''Eduardo de Almeida Navarro''' é um [[filólogo]] e [[lexicógrafo]] [[brasil]]eiro, especialista em [[tupi antigo]]. É [[catedrático]] da [[Universidade de São Paulo]] e autor do "Método Moderno de Tupi Antigo" (2004) e do "Dicionário de tupi antigo" (2013), importantes obras sobre a língua tupi antiga.
== Biografia ==
[[Graduação|Graduou-se]] em [[geografia]] pela [[Universidade Estadual Paulista]] e em [[letras clássicas]] pela [[Universidade de São Paulo]]. Escreveu três livros sobre o padre [[Companhia de Jesus|jesuíta]] [[José de Anchieta]]: "José de Anchieta: teatro" e "Poemas: lírica portuguesa e tupi", livros nos quais adaptou a [[ortografia]] original dos textos de Anchieta e redigiu notas explicativas;<ref>''Tupi. ''Disponível em <a href="http://tupi.wikispaces.com/Como+aprender+tupi" style="font-size: 1em; line-height: 1.5em;">http://tupi.wikispaces.com/Como+aprender+tupi</a>. Acesso em 16 de dezembro de 2013.</ref> e "Anchieta: Vida e Pensamentos" (1977).<ref>''Submarino. ''Disponível em <a href="http://www.submarino.com.br/produto/207162/anchieta-vida-e-pensamentos" style="font-size: 1em; line-height: 1.5em;">http://www.submarino.com.br/produto/207162/anchieta-vida-e-pensamentos</a>. Acesso em 16 de dezembro de 2013.</ref> [[Doutorado|Doutorou-se]] em 1995 com uma [[tese]] sobre a questão das [[Língua natural|línguas]] no [[Renascimento]]. Desde 2000, tem formado [[Educação indígena|professores indígenas]] de língua tupi antiga para escolas indígenas nos [[Unidades federativas do Brasil|estados brasileiros]] da [[Paraíba]] e [[Espírito Santo (estado)|Espírito Santo]]. Em 2004, lançou o "Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos".
 
Em 2005, fez [[Pós-doutorado|pós-doutoramento]] na [[Índia]], onde foi estudar as origens do [[mito]] de [[são Tomé]] no [[Brasil]]. Redigiu o [[prefácio]], [[notas de rodapé]] e traduziu um trecho da reedição do livro "Uma Festa Brasileira", de [[Ferdinand Denis]]. A primeira edição desse livro havia sido lançada em 1850, em Paris. A reedição foi lançada em outubro de 2007, com versão bilíngue em [[Língua francesa|francês]] e [[Língua portuguesa|português]]. O trecho do livro traduzido pelo professor Navarro diretamente da língua tupi antiga foram os "Poemas Brasílicos", do padre Cristóvão Valente. Em 2013, lançou o "Dicionário de Tupi Antigo - A língua indígena clássica do Brasil". Atualmente, está preparando um dicionário da [[Língua geral (Brasil)|língua geral]].<ref>NAVARRO, E. A. ''Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil.'' São Paulo. Global. 2013. 620p.<br>
</ref><ref>NAVARRO, E. A. ''Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos". São Paulo. Global. 2005. 463 p.</ref>
 
Complementação da biografia, com adição de pequeno texto da colega professora universitária e doutora, da UFMG,em Belo Horizonte, que o conhecia pouco, mas que soube, com o tempo , conhecer melhor esse brasileiro notável. O Professor Eduardo Navarro, é ,também ,um poliglota, coisa rara no Brasil, que domina dez idiomas. É um admirador da natureza brasileira, como rios e cachoeiras, cavernas e grutas calcárias ,uma noite estrelada. É um homem notável, educado, inteligente; tem um senso crítico aguçado e, simples, ele não revela nem a sua personalidade caridosa para com os amigos pobres, para com os empregados, nem as suas competências na ciência ,na filosofia, no conhecimento sobre a história do Brasil, sobre a cultura brasileira, em especial a dos indígenas, e de sociedades de diversos países do mundo. Gosta de conversar com as pessoas e é simpático com todos. Aprecia a música popular brasileira ,dos anos 1950 a 1970;sabe cantar com a linda voz que ele tem. Além disso, declama, de cor ,mais de 500 poemas de brasileiros e portugueses.É uma pessoa com um bom coração, sabedoria e sensibilidade aguçada, que lhe confere uma grande percepção da beleza ,da ética ,do amor e dos sentimentos que os amigos emanam.
{{Referências}}