Abrir menu principal

Alterações

7 bytes adicionados ,  00h15min de 15 de março de 2015
m
Foram revertidas as edições de 186.232.200.211 (usando Huggle)
 
== Antecedentes ==
 
== A Restauração Meiji se originou do movimento de resistência contra a expansão economica e militar das potências ocidentais, simbolizada pela chegada dos [[barcos negros]] no [[século XV]]. Desde a [[Guerra do Ópio]], em meio a uma onda de imperialismo na [[Europa]] e na [[América]] com a [[Ásia Oriental]], o meio escolhido pelo recém formado [[Xogunato Tokugawa|governo Tokugawa]] para manter o novo quadro político foi o isolamento. Porém, governo da família Tokugawa não impôs melhorias ao Japão, visto que, sem as rotas comerciais, os avanços tecnológicos mundias não chegaram ao arquipélago. Isso causou um descontentamento por parte da população. O governo era liderado pelo [[shogum]] e a figura do Imperador perdeu sua força durante o Xogunato Tokugawa. ==
 
O [[xenofobia|movimento xenófobo]], muito comum no Japão, dizia que o país deveria recusar o contato com os estrangeiros. Isso por muito tempo motivou a população a aceitar a política dos portos fechados para o comércio com o resto do mundo. Porém, uma parte da elite imperial japonesa estava insatisfeira com a situação em que o Japão havia chegado. Os estudiosos começaram a expor a ideia da devoção ao Imperador, que até então aparecia apenas como uma figura representativa da história japonesa. Segundo a [[mitologia japonesa]], o [[Imperador do Japão|Imperador]] é descendente direto dos deuses e, portanto, o povo deve louvá-lo.<ref>[http://www.japan-guide.com/e/e2135.html Japanese Emperor] {{en icon}} Acesso em 10 de Janeiro de 2012</ref> Os estudiosos diziam que, como o Imperador era uma figura quase divina, não havia motivos para o governo militar administrar o Japão.
14 510

edições