Diferenças entre edições de "António Carreira"

5 198 bytes adicionados ,  19h19min de 29 de março de 2015
sem resumo de edição
 
==Vida==
'''António Carreira''' foi organista da '''Capela Real''' portuguesa, em [[Lisboa]]. As suas composições ([[fantasia]], [[tentos]], [[canções]]) testemunham o seu domínio perfeito da linguagem contrapontísitca. A maioriatotalidade de suas composições para órgão encontra-se emnum manuscritosmanuscrito musical depositados na Biblioteca Geral da [[Universidade de Coimbra]], o MM 242.
 
Uma das mais interessantes e originais composições de Carreira é a Canción "Con qué la lavaré", em que o acompanhamento pelo órgão desta canção popular é escrito na forma de "Tento". Esta composição conta-se entre os primeiros exemplares portugueses de uma canção com acompanhamento instrumental escrito.
 
==Bibliografia==
 
Apel, Willi (1972), The History of Keybord Music To 1700, Bloomington/London, Indiana University Press. [pp. 195-196]
 
Alvarenga, João Pedro de (2005), Polifonia Portuguesa Sacra Tardo-Quinhentista: Estudo de Fontes e Edição Crítica do Livro de São Vicente, Manuscrito P-LF FSVL 1P-H-6, 2 volumes, Tese de Doutoramento, Universidade de Évora, Policopiado.
 
Bernardes, J. M. R. e Bernardes, I. R. S. (2003), Uma Discografia de Cds da Composição Musical em Portugal: Do Século XIII aos Nossos Dias, INCM. [100-104]
 
Dalton, James (1998), “Iberian organ music before 1700”, in Thistlethwaite, Nicholas e Webber, Geoffrey (ed.), The Cambridge Companion to the Organ, pp. 164-175, Cambridge, Cambridge University Press.
 
Kastner, Macário Santiago (1950), “Los manuscritos musicales n.º 48 y 242 de la Biblioteca General de la Universidad de Coimbra”, Anuário Musical, Barcelona, CSIC, vol. V, pp. 78-96.
 
Kastner, Macário Santiago (1966), “Vestigios de la Arte de Cabezón en Portugal”, Anuário Musical, Barcelona, CSIC, vol. XXI, pp. 105-121.
 
Kastner, Macário Santiago e Fernandes, Cremilde Rosado (1969), Antologia de Organistas do Séc. XVI, Portugaliae Musica, vol. XIX, Fundação Calouste Gulbenkian.
 
Kastner, Macário Santiago (1973), Kompositionen fur Tasteninstrumente: Antonio de Cabezón und Zeitgenossen, Antonio de Cabezón y Contemporáneos, Composiciones para Instrumentos de Tecla, Musikverlag Wilhelm Zimmermann.
 
Kastner, Macário Santiago (1973), “Orígenes y evolución del tiento para instrumentos de tecla”, Anuário Musical, Barcelona, vol. XXVIII, pp. 11-86. [ver em especial pp. 52-56]
 
Kastner, Macário Santiago (1979), Três Compositores Lusitanos: António Carreira, Rodrigues Coelho, Pedro de Araújo, Fundação Calouste Gulbenkian. [pp. 11-26]
 
Kastner, Macário Santiago (1980), “Carreira, António”, The New Grove Dictionary of Music and Musicians, London, MacMillan, volume 3, pp. 824-825.
 
Lessa, Elisa (1992), A Actividade Musical na Sé de Braga no Tempo do Arcebispo D. Frei Agostinho de Jesus (1588-1609), Tese de Mestrado em Ciências Musicais, Coimbra, Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra, Policopiado [pp. 69-73].
 
López-Calo, José (1972), Catálogo musical del Archivo de la Santa Iglesia Catedral de Santiago, Cuenca, Instituto de Música Religiosa. [pp. 43-44 e pp. 323-324]
 
Mazza, José (1944-1945), Dicionário Biográfico de Músicos Portugueses, ed. e notas de José Augusto Alegria, Ocidente, Lisboa, Tipografia da Editorial Império.
 
Nery, Rui Vieira (1984), A Música no Ciclo da Bibliotheca Lusitana, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.
 
Nery, Rui Vieira (1992), “António Carreira, o Velho, Fr. António Carreira e António Carreira, o Moço: Balanço de um Enigma por Resolver”, Livro de Homenagem a Macário Santiago Kastner, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, pp. 405-430.
 
Nery, Rui Vieira (2002), António Carreira: Tentos e Fantasias, Notas ao Disco de João Vaz, Lisboa, Portugaler, Audiopro Lda, Portugal, DDD 2004-2 SPA.
 
Oliveira, Filipe Santos Mesquita de (2011), A Génese do tento no testemunho dos manuscritos P-Cug MM 48 e MM 242: com uma edição crítica dos ricercari de Jacques Buus e das suas versões recompostas, Tese de Doutoramento, Évora, Universidade de Évora, Policopiado.
 
Pinho, Ernesto Gonçalves de (1981), Santa Cruz de Coimbra: Centro de Actividade Musical nos Sécs. XVI e XVII, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.
 
Rees, Owen (1995), Polyphony in Portugal c. 1530-1620: Sources from the Monastery of Santa Cruz, Coimbra, New York and London, Garland Publishing.
 
Rees, Owen (2001), “Carreira, António”, The New Grove Dictionary of Music and Musicians, London, MacMillan, 2ª Edição, Volume 5, pp. 886-888.
 
Sousa, D. António Caetano de (1948), Provas da História Genealógica da Casa Real Portuguesa, ed. M. Lopes de Almeida e César Pegado, Tomo II, Parte II, Coimbra, Atlântida Livraria Editora. [p. 457 e p. 460]
 
Talésio, Pedro (1618), Arte de Canto Chão com huma breve instrucção, pera os sacerdotes, diaconos, subdiaconos, & moços de coro, conforme ao uso romano, Coimbra, Na Impressão de Diogo Gomez de Loureyro.
 
Valença, Manuel (1990), A Arte Organística em Portugal: c. 1326-1750, volume I, Braga, Província Portuguesa da Ordem Franciscana.
 
Vasconcelos, Joaquim de (1870), Os Músicos Portuguezes: Biografia, Bibliografia, 2 volumes, Porto, Imprensa Portugueza.
 
Vieira, Ernesto (2007/1900), Diccionario Biographico de Musicos Portuguezes, Lisboa, Lambertini, Edição Facsimilada de Arquimedes Livros.
 
Viterbo, Francisco Marques de Sousa (1907), Os Mestres da Capella Real nos Reinados de D. João III e D. Sebastião, Lisboa, Separata do Arquivo Histórico Portuguez, volume 4. [pp. 20-30]
 
Viterbo, Francisco Marques de Sousa (1907), Os Mestres da Capella Real desde o dominio filipino (inclusivé) até D. José I, Lisboa, Extracto do Arquivo Histórico Portuguez, volume 5. [pp. 5-7]
 
Viterbo, Francisco Marques de Sousa (2008/1932), Subsídios para a História da Música em Portugal, Coimbra, Imprensa da Universidade, Edição Facsimilada de Arquimedes Livros.
 
{{Mínimo}}
{{Compositores lusófonos}}
Utilizador anónimo