Diferenças entre edições de "António Carreira"

2 269 bytes adicionados ,  01h15min de 30 de março de 2015
 
==Vida==
'''António Carreira''' foi organistamenino do coro, cantor da Capela Real, professor de canto, e mestre da '''Capela Real''' portuguesa, em [[Lisboa]]. As suas composições ([[fantasia]], [[tentos]], [[canções]]) testemunham o seu domínio perfeito da linguagem contrapontísitca. A totalidade de suas composições para órgão encontram-se num manuscrito musical depositado na Biblioteca Geral da [[Universidade de Coimbra]], o MM 242.
 
Uma das mais interessantes e originais composições de Carreira é a Canción "Con qué la lavaré", em que o acompanhamento pelo órgão desta canção popular é escrito na forma de "Tento". Esta composição conta-se entre os primeiros exemplares portugueses de uma canção com acompanhamento instrumental escrito.
 
Acerca de António Carreira, a páginas 70, do seu tratado, diz-nos Pedro Talésio (1618), Arte de Canto Chão com huma breve instrucção, pera os sacerdotes, diaconos, subdiaconos, & moços de coro, conforme ao uso romano, Coimbra, Na Impressão de Diogo Gomez de Loureyro, p. 70: “[...] segundo observou (entre outras cousas que excellentemente acentuou & reformou) Antonio Carreira, Mestre dignissimo que foy da Capella Real de Sua Magestade em Lisboa, cuja opinião, como milhor & mais segura, vou d'ordinario seguindo na Instrucção do Presbytero, Diacono, Subdiacono, Moços de Coro, & na mayor parte dos Cantos chãos que aqui se acharão appontados, que sam os que me parecerão mais necessarios pera o ornato, e perfeição desta Arte presente, & pera o exercicio, & comodidade de todo Sacerdote & ministro Ecclesiastico. E tudo conforme se usa gêralmente no Officio Romano”.
 
Existem porém três músicos de nome António Carreira. A. Carreira (ca. 1530- ca. 1594), mestre da Capela Real teve um filho, com o seu nome, que era Eremita de S. Agostinho, e igualmente compositor. Ignora-se a data de nascimento, mas sabe-se que morreu no Convento da Graça, em Janeiro de 1599, vitima da peste, e que guardava o desejo de publicar as obras musicais de seu pai.
 
Existe também um António Carreira, ou António Carreira Mourão (m. 1637) que era sobrinho, do mestre da Capela Real. A Carreira Mourão foi concedida a vigararia de São Vitorino, e é referindo também aqui como Mestre de Capela da Sé de Braga, datado de 6 de Maio de 1606. Carreira Mourão foi assim Mestre na Sé Catedral de Braga, e posteriormente na Sé Catedral de Santiago de Compostela (dando entrada ao serviço a 2 de Julho de 1613). Terá ocupado esta função até a data da sua morte, a 19 de Março de 1637. Sabemos igualmente que que Carreira Mourão (ou Morán, na espanholização do apelido), era licenciado (talvez pela Universidade de Coimbra, ou pela Universidade de Évora), e que tinha ascendido à dignidade de cónego da Catedral de Santiago. Teve cinco filhos, sendo quatro religiosos (um deles também chamado António Carreira), excepto o primogénito. De Carreira Mourão nos chegaram dois motetos.
 
==Bibliografia==
Utilizador anónimo