Diferenças entre edições de "Duque da Terceira"

12 bytes adicionados ,  03h50min de 12 de abril de 2015
O 11.º conde de Vila Flor e V conde de Azarujinha, D. Francisco Xavier Manoel de Vilhena Dias de Freitas, Cavaleiro Tauromáquico, Cavaleiro de São Miguel da Ala, Administrador da Fábrica Ápis, S.A., senhor com seus irmãos do Palácio Vila Flor e do Palácio do Conde de Azarujinha, e ainda do Chalet Azarujinha no Estoril, foi representante do título de duque da Terceira, tendo desde logo autorizado o uso ao seu filho D. Lourenço. Casou na capela do Palácio de Queluz com D. Maria Cristina Freire Bandeira Barata, tendo presidido à cerimónia Frei Vitor Melícias, OFM, actual Ministro Superior Provincial. D. Maria Cristina Freire Bandeira Barata era filha de José Alfredo Barata, Industrial, Sócio-gerente da fábrica de laníficios José Alfredo Barata (filho de Francisco Barata, Industrial e neto de Francisco Pereira Espiga, Industrial de Lanificios, Sócio-gerente da fábrica Baiúca e de outras duas fábricas de lanifícios, etc.) e de D. Maria Henriqueta Freire Bandeira Duarte.
 
=== Dom Lourenço da Bandeira Manoel de Vilhena de Freitas ===
O actual duque é Doutor em Direito e Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Membro fundador e membro do Conselho Fiscal do Instituto da Nobreza de Portugal, organismo regulador dos assuntos nobiliárquicos em Portugal, é advogado e foi membro de diversos gabinetes governamentais.
 
Utilizador anónimo