George Sand: diferenças entre revisões

932 bytes adicionados ,  18 de abril de 2015
Na ocasião de sua morte Victor Hugo escreveu; Je pleure une morte, et je salue une immortelle- Eu choro uma morta e saúdo uma imortal. VHli
(Na ocasião de sua morte Victor Hugo escreveu; Je pleure une morte, et je salue une immortelle- Eu choro uma morta e saúdo uma imortal. VHli)
[[Imagem:George_Sand_by_Nadar,_1864.jpg|100px|right|thumb|direita|200px|George Sand em sua maturidade, fotografada por [[Felix Nadar]].]]
[[Imagem:Die junge George Sand.jpg|thumb|right|200px|George Sand em sua juventude.]]
'''George Sand''' é o pseudônimo de '''Amandine''' (também '''Amantine''') '''Aurore Lucile Dupin''', baronesa de Dudevant ([[Paris]], [[1 de Julho]] de [[1804]] — [[Nohant]], [[8 de Junho]] de [[1876]]), aclamada [[romancista]] e [[memorialista]] [[francesa]], considerada a maior escritora francesa e uma das precursoras do [[feminismo]].<ref>[http://www.enotes.com/george-sand-criticism/sand-george George Sand 1804-1876]</ref>
 
== Biografia ==
George Sand nasceu no n°15 da rua Meslay, no dia 1 de julho de 1804. Era, filha de Maurice e SofiaSophie Dupin. Seu pai faleceu quando ela era ainda criança, após uma queda de cavalo, quando acompanhava o príncipe Murat em campanhas armadas. Amandine é então mandada para [[Nohant]], aos cuidados de sua avó, Marie-Aurore de Saxe.
 
EraSua bisnetaavó era neta do célebre [[Marechal de França]], o [[conde]] [[Maurício de Saxe]], sendo este, filho [[bastardo]] de [[Augusto II da Polónia|Augusto II]], rei da [[Polónia]] e de [[Saxe]], e da sua amante, a condessa Maria Aurora von Königsmark.
 
Durante sua infância, ao lado de sua avó, -Amandine Mariepassava Auroreos dedias Saxebrincando -e Amandinedescobrindo passavacada oscanto diasda correndo pelos jardinspropriedade de Nohant e brincando com seu meio- irmão Hippolyte (filho do seu pai com uma amante da região), companheiro de suas brincadeiras e parceiro em todas as suas aventuras e travessuras. Os dois estudavam em casa com um preceptor, quando não desapareciam nas profundezas da região. Sua avó preocupada com a educação e o comportamento de sua neta, a matriculou no ''Couvent des Anglaises'' em Paris e enviou Hippolyte para uma grande escola de cavalaria de uma cidade vizinha. Acontece que a menina se apaixonou pela vida silenciosa e introspectiva que levava dentro das paredes de pedra do convento e começou então a desejardesejou ser freira. ParaLá, se interessou também por música e teatro e para alegrar suas amigas, decidiu criar pequenas peças de teatro e montar um grupo de meninas para representá-las. As peças eram um sucesso, e Amandine gostava cada vez mais da vida no convento. Sua avó, ao sabendo disso, retiroulevou a neta do convento, e elade voltouvolta a Nohant.
 
De volta ao convívio com Aurore de Saxe, ela começou a meninacompreender começoue amar cada vez mais a amar sua avó e quando esta morreu, pouco tempo depois, Amandine sofreu de maneira inconsolável. Para que herdasse Nohant seria preciso que se casasse, assim, pouco tempo depois, ela se casou com François-Casimir Dudevant,em [[1822]]. Desse casamento nasceram dois filhos - Maurice e Solange. Essa união, devido a amantesinfidelidades e bebidasalcoolismo de Casemir, passou pordesencadeou incontáveis problemas, culminando com o divorcio- fato incomum para a época - em 1836.
 
George começou a escrever para o jornal Le Figaro, com a colaboração de Jules Sandeau. Usavam, então, o pseudônimo de Jules Sand – inspirado no nome de Sandeau. Em 1831, lançaram o livro Rose et Blanche. Passou a usar o pseudônimo de George Sand em 1832, quando escreveu, sozinha (obrigada a usar um pseudônimo masculino, para ser aceita no meio literário), o romance Indiana, queseu fezprimeiro livro, grandeseu primeiro sucesso. De 1832 a 1837, escreveu romancesmuitos deoutros amorromances, notadamente,que aléminvariavelmente deeram Indianapublicados, Valentina (Valentineprimeiramente, 1832)como efolhetins Léliano (1833)jornal. Esses romances refletemrefletiam seus próprios desejos e frustrações, advogamadvogando o direito da mulher de ter um amor sincero e dirigir sua própria vida.
 
Além de seus comentados relacionamentos, Sand também tinha outros hábitos incomuns para sua época. Vestia-se com roupas masculinas por diversão ou praticidade e comodidade (como dizia). Também tinha o costume de fumar em público num tempo em que isso era inaceitável para uma mulher. Comentava-se, ainda, sobre a grande quantidade de obras que produzia como sendo uma característica pouco feminina.
 
George Sand teve uma vida amorosa agitada, com paixões que a influenciaram consideravelmente, como o escritor Jules Sandeau, que lhe deu o pseudônimo literário, o poeta [[Alfred de Musset]], o advogado Michel de Bourges (entre 1835 e 1837), que a converteu aos ideais [[republicano]]s e [[socialista]]s, o músico [[Frédéric Chopin]], a quem esteve ligada entre [[1838]] e [[1847]]. e seu ultimo amante Alexandre Manceau, gravador e dramaturgo. Depois de Jules Sandeau e antes de Alfred de Musset, teve também uma breve aventura com o escritor e arqueólogo [[Prosper Mérimée]].
 
De 1838 a 1845, Sand expressou suas preocupações com os problemas sociais em romances como Consuelo (1842-1843) e O Companheiro da Viagem pela França (Le Compagnon du Tour de France, 1840). Sonhava com um mundo em que o amor fraterno unisse as classes sociais. Teve participação ativa na [[revolução de 1848]]. De 1846 a 1853, escreveu romances leves, idealizando a vida nas províncias francesas. Estes incluem Francisco, o Bastardo (François le Champi, 1847-1848), A Pequena Fada (La Petite Fadette, 1849) O Charco do Diabo (La Mare au Diable, 1846), Mauprat, (1837 entre tantos outros de igual sucesso. Finalmente, de 1854 a 1876, escreveu contos simples, à maneira das histórias de fadas. Desse período destaca-se Contos de uma Avó (Contes d'une Grand-Mère, 1873), com histórias que ela escreveu para seus netos.
 
Os personagens de George Sand são super idealizados e suas histórias são repletasinvariavelmente repletos de ingenuidade, poesia e otimismo. Como dizia a escritora: "O romance não precisa ser necessariamente a representação da realidade." Suas memórias constituem suas obras de maior interesse, especialmente A História de Minha Vida (Histoire de Ma Vie, 1854-1855) e Ela e Ele (Elle et Lui, 1859), referência à sua vinculaçãoligação acom Musset.
 
George Sand faleceu no dia 8 de junho de 1876, em Nohant, na França. Alguns dos seus romances se transformariam em filmes e séries de tv, como; Mauprat (1926) Mauprat (1972) Les Beaux Messieurs des Bois Dorées (1976) La Petite Fadette (2004), La Mare au Diable (1972), Les Enfants du Siècle (1999), comentre Julietteoutros. BinocheSeus eromances Benoît Magimel, que contacontinuam a históriaserem doversionados relacionamentopara amorosoo de Sandteatro e Alfredrealizados demuitos Musset.filmes Seuse romanceslivros continuamsobre asua seremvida, teatralizadosassim como nagrupos Françade eestudo realizadossobre muitosela, filmesseu sobretempo e sua vidaobra.
 
Considerada a maior escritora francesa e a primeira mulher a viver de direitos literários,. sua casapropriedade em Nohant foi doada ao governo francês, por sua neta Aurore e está aberta a visitação publica.Seus restos mortais e de quase toda a sua família está no pequeno cemitério ao lado de sua casa em Nohant.
 
Na ocasião de sua morte Victor Hugo escreveu; ''Je pleure une morte, et je salue une immortelle- Eu choro uma morta e saúdo uma imortal. VH''
 
{{referências|extra = Histoire de ma vie (G.SAND), George Sand - Joseph Barry,}}
 
= MUSÉE GEORGE SAND =
 
http://www.berryprovince.com/visiter-et-profiter/parcs-et-jardins/maison-de-george-sand-et-parc-nohant-vic
 
http://www.berryprovince.com/visiter-et-profiter/histoire-et-savoir/musee-george-sand-et-de-la-vallee-noire-la-chatre
 
http://www.rosadoc.be/citytrips_parijs/vwsand.htm
 
http://www.musee-delacroix.fr/en/activities-events/recent-acquisitions-41/letter-from-george-sand-to-eugene-delacroix-october-11-1846
 
http://www.pays-george-sand.fr/
 
http://www.lanouvellerepublique.fr/Indre/Loisirs/Patrimoine-tourisme/n/Contenus/Articles/2015/02/22/Le-Musee-George-Sand-en-pleine-evolution-2233502
 
https://www.centrepompidou.fr/
 
== Obras ==
=== Romances ===
Utilizador anónimo