Diferenças entre edições de "Ereção canónica"

1 byte removido ,  20h55min de 18 de maio de 2015
(Corrigi erros de ortografia.)
Chama-se '''ereção canónica''' ao ato através do qual uma autoridade eclesiástica - geralmente, o [[bispo]], a [[conferência episcopal]] ou o próprio [[Papa]] - reconhece e aprova os estatutos de uma dada instituição religiosa, como seja uma [[diocese]], uma [[paróquia]], um [[cabido]], um instituto de vida consagrada (por exemplo, [[seminário]]s ou [[abadia]]s) ou de associações públicas de fiéis.
 
== ErecçãoEreção canónica de mosteiros ==
 
Para fundar um mosteiro ou abadia como "casa regular formada" de acordo com uma dada [[Ordem religiosa]], é necessária a permissão da [[Santa Sé]], pelo menos no caso dos países indicados na ''[[Constitutio Romanos Pontifices]]''. É também necessária a confirmação do Ordinário do lugar (isto é, da autoridade episcopal ou sua representante), tal como foi estabelecido no [[Concílio de Calcedónia]] em [[451]] e restaurado no [[Concílio de Trento]], depois de algumas violações da letra de lei pelas Ordens mendicantes, que receberam alguns privilégios no que a isso tocava. Para que se dê a permissão, é geralmente exigido que as instalações estejam preparadas para a acomodação de pelo menos 12 monges.