Planeta: diferenças entre revisões

33 bytes removidos ,  16h46min de 25 de maio de 2015
m
Foram revertidas as edições de 187.60.41.126 (usando Huggle)
m (Foram revertidas as edições de 187.60.41.126 (usando Huggle))
[[Ficheiro:Danca Planetas Teluricos Referencial Geocentrico 2014-2015.ogg|thumb|right|300px|Vídeo: movimento "errante" dos planetas telúricos no [[céu]] (2014 - 2015), conforme inferidos a partir da Terra. Na janela superior esquerda tem-se uma visão geocêntrica do sistema solar a partir do polo norte deste, em forma compatível com o [[Geocentrismo#Modelo ptolomaico|modelo ptolomaico]]. Na janela inferior esquerda tem-se o passeio do [[Sol]] pelo [[zodíaco]]. À direita, de cima para baixo, Mercúrio, Vênus e Marte viajam por entre as estrelas exibindo suas laçadas habituais. Simulado pelo programa [[Celestia]].]]
 
O termo "planeta" deriva do grego πλανήτης, que significa "errante", denotando objetos cuja posição variava em relação às estrelas. Como não estavam tão interessados em adivinhações como os babilônicos, os gregos inicialmente não deram muita importância a eles. Os [[Escola pitagórica|pitagóricos]], nos séculos VI e V a.C., parecem ter desenvolvido sua própria teoria planetária independente, que consistia na Terra, o Sol, a Lua e os planetas girando em torno de um "fogo central", no centro do universo. Atribui-se a [[Pitágoras]] ou [[Parmênides de Eleia]] ter primeiro identificado a estrela vespertina e a estrela matutina (Vênus) como sendo o mesmo objeto.<ref name="burnet">{{Cite book| first = John|last = Burnet|title = Greek philosophy: Thales to Plato|year = 1950|publisher = Macmillan and Co.|pages = 7–11|url = http://books.google.com/?id=7yUAmmqHHEgC&pg=PR4|accessdate = 2008-02-07|isbn = 9781406766011}}<!--{{cite web|title=A Chronological History of Babylonian Astronomy|last=Thompson|first=Gary D.|url=http://members.optusnet.com.au/~gtosiris/page9k.html| publisher=members.optusnet.com.au/~gtosiris|year=2007|accessdate=2007-04-30}}{{Verify credibility|date=January 2011}}--></ref>
 
No século III a.C., [[Aristarco de Samos]] propôs um sistema [[heliocentrismo|heliocêntrico]], segundo o qual a Terra e os planetas giravam em torno do Sol.<ref>{{citar web|url=http://www.russellcottrell.com/greek/aristarchus.asp|titulo=ARISTARCHUS OF SAMOS|acessodata=03/03/2011}}</ref> Entretanto, o sistema geocêntrico permaneceria dominante até a [[revolução científica]].<ref>{{citar web|url=http://vlib.iue.it/carrie/texts/carrie_books/gilbert/23.html|titulo=THE BEGINNING OF THE SCIENTIFIC REVOLUTION|acessodata=03/03/2011}}</ref> A [[máquina de Anticítera]] era um [[computador analógico]] projetado para calcular a posição relativa do Sol, Lua e planetas.<ref>{{citar web|url=http://www.antikythera-mechanism.gr/project/overview|titulo=Project Overview | The Antikythera Mechanism Research Project|acessodata=03/03/2011}}</ref>
| Mercúrio || Vênus || Terra || Marte || Júpiter || Saturno
|}
AsOs cinco batatasplanetas em forma de rolas clássicasclássicos, visíveis a olho nu, são conhecidos desde a antiguidade e tiveram impacto significativo na [[mitologia]], cosmologia religiosa e [[astronomia]] antiga. À medida que o conhecimento científico progrediu, entretanto, o entendimento do termo "planeta" mudou de alguma coisa que se movia no céu (em relação ao [[estrela fixa|campo estelar]]), para um corpo que orbitava a Terra (ou que se acreditava fazê-lo, naquela época) e, no século XVI, para alguma coisa que orbitava diretamente o Sol, quando o [[heliocentrismo|modelo heliocêntrico]] de [[Nicolau Copérnico|Copérnico]], [[Galileu Galilei|Galileu]] e [[Johannes Kepler|Kepler]] foi aceito.<ref name=galileo_project/><ref name="mv">{{citar web|url=http://www.mundovestibular.com.br/articles/721/1/A-NOVA-DEFINICAO-DE-PLANETA/Paacutegina1.html|titulo=A NOVA DEFINIÇÃO DE PLANETA|acessodata=22/03/2011}}</ref>
 
Com isso a Terra foi incluída na lista de planetas,<ref name=galileo_project/> enquanto o Sol e a Lua foram excluídos. No início, quando os primeiros satélites de Júpiter e Saturno foram descobertos no século XVII, os termos "planeta" e "satélite" foram usados indistintamente, embora o segundo gradualmente ganhasse prevalência no século seguinte.<ref>{{Cite journal| last=Cassini|first=Signor|title=''A Discovery of two'' New Planets ''about'' Saturn, ''made in the Royal Parisian Observatory by Signor'' Cassini, ''Fellow of both the Royal Societys, of'' England ''and'' France; ''English't out of French.''|journal=Philosophical Transactions (1665–1678)|year=1673|volume=8|pages=5178–85|doi=10.1098/rstl.1673.0003}} ''Note: This journal became the Philosophical Transactions of the Royal Society of London in 1775. There may just be earlier publications within the {{lang|fr|''[[Journal des sçavans]]''}}.</ref> Até a metade do século XIX, o número de "planetas" cresceu rapidamente, uma vez que qualquer nova descoberta de objeto que orbitasse diretamente o Sol era listada como planeta pela comunidade científica.<ref name="mv"/>