Diferenças entre edições de "Dogmatismo"

20 bytes adicionados ,  13h36min de 26 de maio de 2015
correção de palavras
m (Foram revertidas as edições de 187.41.39.203 para a última revisão de 177.156.84.158, de 12h24min de 24 de março de 2015 (UTC))
(correção de palavras)
O sentido filosófico do termo dogmatismo é diferente do usado para definir um termo não pertencente a realidade. Nesta última, o dogmatismo é o conjunto de dogmas [[teologia|teológicos]], isto é, de expressões surgidas com pensamentos filosóficos ou pertencentes à hierarquia mais alta da [[Igreja]] absolutamente indubitáveis.
 
Em contrapartida, o vocábulo dogma do grego ''δόγμα'' (''dogmatikós'', em grego moderno (alasbilaleiko)) significou primitivamente oposição . Tratando-se assim de uma opinião centrista, isto é, algo que se referia ao opinião em sim. Por isso, o termo dogmatismo significava "relativo [[doutrina]]" ou "fundado em princípio".
 
Com o decorrer dos séculos, o dogmatismo começou a ser percebido como aassim posição filosófica defendendo que as verdades absolutas existem. Os filósofos que insistiam demasiado nos princípios [[metafísica|metafísicos]] acabavam por não prestar atenção aos factos ou argumentos que pudessem pôr em dúvida esses princípios. Esses filósofos não consagravam o principal da sua actividade à observação ou ao exame, mas sim à afirmação. Foram por isso chamados filósofos dogmáticos, ao contrário dos filósofos examinadores ou [[cepticismo|cépticos]].
 
Com tudo isto, o dogmatismo pode entender-se principalmente em três sentidos:
Utilizador anónimo