Diferenças entre edições de "Código de Manu"

1 byte adicionado ,  21h55min de 31 de maio de 2015
sem resumo de edição
{{Sem-fontes|data=abril de 2011| angola=| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=|1=|2=|3=|4=|5=|6=}}
'''O Código de Manu''' (do [[sânscrito]].... मनुस्मृति, "''Manu Smriti''") é parte de uma coleção de [[bramanismo|livros bramânicos]], enfeixados em quatro compêndios: o ''[[Mahabharata]]'', o ''[[Ramayana]]'', os ''[[Puranas]]'' e as ''Leis Escritas de Manu''. Inscrito em [[sânscrito]], constitui-se na legislação do mundo indiano e estabelece o sistema de castas na sociedade Hindu[[Hindu|Hinduísmo]]. Redigido entre os séculos [[séculos II a.C.|II a.C.]] e [[século II d.C.|II d.C.]] em forma poética e imaginosa, as regras no Código de Manu são expostas em versos. Cada regra consta de dois versos cuja metrificação, segundo os indianos, teria sido inventada por um santo eremita chamado Valmiki, em torno do ano 1500 a.C.
 
Existem estudos indicando que originalmente o Código era composto por mais de cem mil dísticos (grupo de dois versos) e que, através de manipulações e cortes feitos em épocas diferentes, tenham sido reduzidas para tornar menos cansativa a leitura integral do texto; nas edições hoje conhecidas constam 2.685 dísticos distribuídos em doze livros.
Utilizador anónimo