Planeta: diferenças entre revisões

Sem alteração do tamanho ,  05h58min de 4 de junho de 2015
→‎Mitologia e nomes: Corrigi um erro de digitação.
m (Foram revertidas as edições de 187.60.41.126 (usando Huggle))
(→‎Mitologia e nomes: Corrigi um erro de digitação.)
A prática grega de transplantar os nomes dos deuses para os planetas foi quase com certeza emprestada dos babilônicos. Esses nomearam Phosphoros a partir de sua deusa do amor, [[Ishtar]], Pyroeis do deus da guerra, [[Nergal]], Stilbon do deus do conhecimento, [[Nabu]], e Phaeton do chefe dos deuses, [[Marduque]].<ref name= nergal>{{cite web|first=Kelley L.|last=Ross|year=2005|title=The Days of the Week|url=http://www.friesian.com/week.htm|publisher=The Friesian School|accessdate=2008-08-23}}</ref> Há muitas concordâncias entre as convenções de nomes grega e babilônica para que elas tenham surgido separadamente,<ref name=practice /> mas a tradução não era perfeita. Por exemplo, o babilônico Nergal era o deus da guerra, portanto os gregos o identificaram com Ares. Entretanto, diferentemente de Ares, Nergal também era o deus da peste e do submundo.<ref>{{Cite book|title=Martian Metamorphoses: The Planet Mars in Ancient Myth and Tradition|first=Ev|last=Cochrane|year=1997|publisher=Aeon Press|url=http://books.google.com/?id=jz3eqRGuM0wC&pg=PP9&dq=ares+nergal+planet+pestilence|accessdate=2008-02-07|isbn=0965622908}}</ref>
 
Hoje em dia, a maioria das pessoas no mundo ocidental conhece os planetas pelos nomes derivados do panteão de deuses olímpicos. Enquanto os gregos modernos ainda utilizam os seus nomes antigos para os planetas, outras línguas europeias, em função da influência do [[Império Romano]] e mais tarde da [[Igreja Católica]], usam os nomes romanos (ou do latim) em lugar dos gregos. Os romanos, que, como os gregos, eram [[Religião protoindo-europeia|indo-europeus]], compartilhavam com eles um [[Mitologia romana|panteão comum]] com nomes diferentes, mas careciam da rica tradição narrativa que a poética cultura grega havia atribuído a [[Mitologia grega|seus deuses]]. Durante o período final da [[República Romana]], os escritores romanos pegaram emprestado muito da narrativa grega e a aplicaram ao seu próprio panteão, a ponto de eles ficarem virtualmente indistinguíveis.<ref>{{Cite book|title=Greek Mythography in the Roman World|first=Alan|last=Cameron|year=2005|publisher=Oxford University Press|isbn=0195171217}}</ref> Quando os romanos estudaram a astronomia grega, deram aos planetas os nomes dos seus próprios deuses: [[Mercúrio (mitologia)|MércurioMercúrio]] (para [[Hermes]]), [[Vênus (mitologia)|Vênus]] ([[Afrodite]]), [[Marte (mitologia)|Marte]] ([[Ares]]), [[Júpiter (mitologia)|Júpiter]] ([[Zeus]]) e [[Saturno (mitologia)|Saturno]] ([[Cronos]]). Quando os planetas subsequentes foram descobertos nos séculos XVIII e XIX, a prática de nomeação foi mantida com [[Netuno (mitologia)|Netuno]]. Urano é uma exceção, uma vez que é nomeado por uma [[Urano (mitologia)|divindade grega]] e não pelo seu correspondente romano (Caelus).
 
Alguns [[Roma antiga|romanos]], seguindo uma crença possivelmente originária da [[Mesopotâmia]], mas desenvolvida no [[Egito ptolemaico]], acreditavam que os sete deuses a partir dos quais os planetas foram nomeados passavam turnos de uma hora cuidando de assuntos na Terra. A ordem dos turnos era Saturno, Júpiter, Marte, Sol, Vênus, Mercúrio e Lua (do planeta mais distante para o mais próximo).<ref name=zerubavel>{{Cite book| first=Eviatar|last=Zerubavel|year=1989|publisher=University of Chicago Press|isbn=0226981657|title= The Seven Day Circle: The History and Meaning of the Week|page=14|url=http://books.google.com/?id=aGahKeojIUoC&pg=PA14&lpg=PA14&dq=seven+day+week+egypt+mesopotamia|accessdate=2008-02-07}}</ref> Portanto, o primeiro dia era iniciado por Saturno (1ª hora), o segundo pelo Sol (25ª hora), seguido pela Lua (49ª hora), Marte, Mercúrio, Júpiter e Vênus. Como cada dia era nomeado pelo deus que o iniciava, esta também era a ordem dos [[dias da semana]] no [[calendário romano]], depois que o ciclo nundinal foi rejeitado - o que ainda é preservado em muitas línguas modernas.<ref name="weekdays">{{Cite journal| first=Michael|last=Falk|title=Astronomical Names for the Days of the Week|journal=Journal of the Royal Astronomical Society of Canada|year=1999|volume=93|pages=122–133|url=http://adsabs.harvard.edu/cgi-bin/nph-bib_query?1999JRASC..93..122F}}</ref> Os nomes em inglês Sunday, Monday e Saturday são traduções diretas desses nomes romanos. Os outros dias foram renomeados a partir de '''[[Tyr|Tiw]]''' (Tuesday), '''Wóden''' (Wednesday), '''[[Thor|Thunor]]''' (Thursday) e '''Fríge''' (Friday), os deuses anglo-saxões considerados similares ou equivalentes a Marte, Mercúrio, Júpiter e Vênus, respectivamente.
8 731

edições