Diferenças entre edições de "Rainha-mãe"

1 byte adicionado ,  00h11min de 5 de junho de 2015
sem resumo de edição
Não há equivalente masculino ao termo. Se [[Alberto de Saxe-Coburgo-Gota]] não tivesse morrido antes de sua esposa, a rainha Vitória, ele não seria chamado de "príncipe-pai".
 
A avó ou bisavó de um monarca reinante que foi rainha-mãe em referência a um monarca anterior na mesma linha é uma "viúva rainha mãe" e detém o estilo de [[Sua Majestade|Majestade]]. Porém, tais circunstâncias raramente acontecem. São conhecidos doistrês exemplos:
#a rainha [[Maria de Teck|Maria de Teck]], esposa do rei [[Jorge V do Reino Unido|Jorge V]] da [[Reino Unido|Grã-Bretanha]], que foi rainha-mãe com respeito a seus filhos [[Eduardo VIII do Reino Unido|Eduardo VIII]] e [[Jorge VI do Reino Unido|Jorge VI]] e que sobreviveu para ser a avó da reinante rainha [[Isabel II do Reino Unido|Isabel II]] de [[1952]] até [[1953]];
#a rainha [[Maria Pia de Saboia]], esposa do rei [[Luís I de Portugal|D.Luís I]] de [[Portugal]], que foi rainha-mãe no reinado de seu filho [[Carlos I de Portugal|D.Carlos]] e sobreviveu para ser a avó do rei [[Manuel II de Portugal|D.Manuel II]], reinante entre [[1908]] e [[1910]].
#a rainha [[Maria Cristina das Duas Sicílias|Maria Cristina das Duas Sicílias]], esposa do rei [[Fernando VII|Fernando VII]] da [[Espanha]], que foi rainha-mãe no reinado de sua filha [[Isabel II da Espanha|Isabel II da Espanha]] e sobreviveu para ser a avó do rei [[Afonso XII de Espanha]], reinante entre [[1874]] e [[18851878]].
 
== Exemplos de rainhas-mãe ==
Utilizador anónimo