Diferenças entre edições de "Crista neural"

942 bytes removidos ,  00h31min de 11 de junho de 2015
correções ortograficas, revisão das referencias
(Adicionado fotos e comentarios sobre a evolução da crista neural, assim como mostrar os principais genes relacionados ao processo migratorio)
Etiquetas: Editor Visual Espaçamento excessivo
(correções ortograficas, revisão das referencias)
Durante o processo de indução da crista neural, os padrões da sinalizações de BMP, WNT e FGF fazem com que sejam expressos diversos fatores de transcrição(tais como Pax3/7, Dlx5, Mxs1/2, Tfap2a) na região da borda da placa neural. Estes fatores de transcrição por sua vez ativam uma outra série de fatores de transcrição que irão especificar o destino das células da crista neural. Dentre estes fatores, os mais relevantes para a diferenciação das NCC's são os fatores de transcrição da famílias Snail, Fox e Sox. <ref>Meulemans, Daniel, and Marianne Bronner-Fraser. "Gene-Regulatory Interactions in Neural Crest Evolution and Development." ''Developmental Cell'' 7.3 (2004): 291-99. Web. </ref>
 
Para que a migração das células da crista neural ocorra da maneira correta é necessário que haja mudanças morfológicas nestes grupos celulares de forma a serem capazes de realizar a transição de epitélio para mesênquima (EMT)[2p51]<ref>Nieto, M. Angela. "The Ins and Outs of the Epithelial to Mesenchymal Transition in Health and Disease." ''Annu. Rev. Cell Dev. Biol. Annual Review of Cell and Developmental Biology'' 27.1 (2011): 347-76. Web. </ref>. Dentre estas mudanças morfológicas estão a perda da adesão com células vizinhas, a capacidade de atravessar a lâmina basal e a expressão de certos fatores necessários para a migração eficiente tais como [[integrinas]]. A perda da adesão celular deve-se ocorre através da quebra das junções aderentes e das tight junctions. A migração correta deste grupo celular depende fortemente da expressão de Rho GTPases que regularão as vias migratórias das células.<ref>Raftopoulou, Myrto, and Alan Hall. "Cell Migration: Rho GTPases Lead the Way." ''Developmental Biology'' 265.1 (2004): 23-32. Print. </ref>
 
== Células da crista neural e o câncer ==
 
== Tipos de crista neural ==
As células da crista neural se diferenciam em diversas estruturas no embrião conforme sua localização no eixo antero-posterior do embrião. Elas podem ser divididas em quatro tipos: crista neural cranial, crista neural cardíaca, crista neural vagal e sacral e crista neural do tronco. A principal diferença entre as crista neural cranial e a truncal é que a crista cranial não apresenta a expressão de genes Hox enquanto na truncal o contrário ocorre. Esta característica é um dos fatores para as diferenças no processo de determinação e diferenciação deste tipo celular. Acredita-se que a ausenciaausência dos genes hox na crstacrista neural cranial foi um dos fatores queevolutivos para o surgimento das estruturas faciais nos vertebrados.
 
=== Crista neural cranial ===
 
== Referências ==
1.     Huang, X., and Saint-Jeannet, J.P. (2004). "Induction of the neural crest and the opportunities of life on the edge". Dev. Biol. 275, 1-11.
 
2.    Selleck ,M.A., Bronner-Fraser, M. (1995) “Origins of the avian neural crest: the role of neural plate-epidermal interactions”. Development 121, 525-538
 
3.   Sasai, Y., and De Robertis, E.M. (1997). “Ectodermal Patterning in Vertebrate Embryos”. Dev. Biol. 182, 5-20
 
4. Brault, V., et al. (2001). “Inactivation of the b-catenin gene by Wnt1-Cre-mediated deletion results in dramatic brain malformation and failure of craniofacial development”. Development 128, 1253-1264
 
5.   Ikeya, M.,et al. (1997). “Wnt signaling is required for expansion of neural crest and CNS progenitors”. Nature, 389. 966–970
 
6.    Mayor, R.,  Guerrero, N., and  Martı´nez, C. (1997). “Role of FGF and ''Noggin ''in Neural Crest Induction”. Dev. Biol. 189, 1-12
 
7.    Gilbert, S.F.(2000). Developmental Biology. 6th edition. (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK10065/ )
 
8.    Le Lièvre ,C.S., Le Douarin, N.M. (1975) “Mesenchymal derivatives of the neural crest: analysis of chimaeric quail and chick embryos”. J Embryol Exp Morphol, 34, 125-154
{{Esboço-embriologia}}