Música sertaneja: diferenças entre revisões

19 bytes adicionados ,  12h40min de 11 de junho de 2015
m
Revertidas edições por 189.73.88.167 para a última versão por Salebot (com AVT)
m (Revertidas edições por 189.73.88.167 para a última versão por Salebot (com AVT))
[[File:Tonico e Tinoco.jpg|thumb|right|200px|Tonico & Tinoco.]]
[[File:Inezita_Barroso.jpg|thumb|left|200px|Inezita Barroso.]]
Foi em [[1929]] que surgiu a PRIMEIRA música sertaneja como se conhece hoje. Ela nasceu a partir de gravações feitas pelo [[jornalista]] e caciana[[escritor]] olisk[[Cornélio Pires]] de ''"[[Caipira#Contos ou causos do caipira|causos]]"'' e fragmentos de cantos tradicionais rurais do [[Interior de São Paulo|interior paulista]], sul e triângulo [[Minas Gerais|mineiros]], sudeste [[Goiás|goiano]] e [[Mato Grosso|matogrossense]].<ref name="Música-Sertaneja-CRAVO-ALBIN"/> Na época destas gravações pioneiras, o gênero era conhecido como música caipira, cujas letras evocavam o modo de vida do homem do interior (muitas vezes em oposição à vida do homem da cidade), assim como a beleza bucólica e romântica da paisagem interiorana (atualmente, este tipo de composição é classificada como "música sertaneja de raiz", com as letras enfatizadas no cotidiano e na maneira de cantar).<ref group=nota>Nesta período, segundo a professora e pesquisadora Marta de Ulhôa Carvalho, ''"os cantadores interpretavam modas de viola e toadas, canções estróficas que após uma introdução da [[viola]] (repique) falavam do universo sertanejo numa linguagem essencialmente épica, muitas vezes satírico-moralista e menos frequentemente amorosa. Os duetos em vozes paralelas eram acompanhadas pela viola caipira, instrumento de cordas duplas e vários sistemas de afinação (como cebolinha, cebolão, rio abaixo) e mais tarde também pelo violão."'' - CARVALHO, Marta de Ulhôa. Musica sertaneja em Uberlândia. Uberlândia: UFU, 1993</ref>
 
Além de Cornélio Pires e sua "Turma Caipira", destacaram-se nessa tendência, mesmo que gravando em época posterior, as duplas [[Alvarenga e Ranchinho]], [[Torres e Florêncio]], [[Tonico e Tinoco]], [[Vieira e Vieirinha]], entre outros, e canções populares como ''"Sergio Forero"'', de Cornélio Pires, ''"O Bonde Camarão"'' de Cornélio Pires e Mariano, ''"Sertão do Laranjinha"'', de [[Ariovaldo Pires]] e ''"Cabocla Tereza"'', de [[Ariovaldo Pires e João Pacífico]].<ref name="Música-Sertaneja-CRAVO-ALBIN"/>
14 553

edições