TAP Air Portugal: diferenças entre revisões

105 bytes adicionados ,  13h21min de 11 de junho de 2015
Em 2012, a TAP esteve envolvida num processo de privatização em que o principal interessado, e único no fim do processo, foi o empresário [[Germán Efromovich]]. No dia 20 de Dezembro, o Governo português decidiu adiar para 2013 a venda da TAP.<ref>[http://noticias.pt.msn.com/efromovich-diz-que-n%C3%A3o-fecha-a-porta-a-nova-proposta-pela-tap-1 Efromovich diz que não fecha a porta a nova proposta pela TAP], 20 de dezembro 2012</ref> Depois, ambas as partes concluíram que foi uma falha de comunicação que deitou por terra o negócio da TAP.<ref>http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2012/12/28/governo-e-efromovich-concluiram-que-negocio-da-tap-nao-avancou-devido-a-falha-de-comunicacao</ref> Germán Efromovich garantiu que ía continuar interessado na privatização da TAP, e o governo decidiu adiar o processo até 2014<ref>[http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/governo_portugues_nao_descarta_venda_da_tap_a_efromovich.html http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/governo_portugues_nao_descarta_venda_da_tap_a_efromovich.html]</ref>.
 
No dia 13 de Novembro de 2014, o Governo anunciou que o processo de privatização foi reaberto. A forma de privatização seria realizada com a venda directa de 66% do capital da companhia aérea - sendo 61% da venda a investidores directos; 5% para os trabalhadores da TAP SGPS; os restantes 34% ficariam na posse do Governo durante dois anos. A data para a entrega das propostas de aquisição da empresa era o dia 15 de Maio de 2015 e, neste dia, os interessados que apresentaram as suas foram a[[David companhiaNeeleman]], aéreaCEO brasileirada [[Azul Linhas Aéreas Brasileiras |Azul Linhas Aéreas]] e da [[JetBlue Airways]], juntamente com o seuempresário CEOPortuguês [[DavidHumberto NeelemanPedrosa]], [[Germán Efromovich]], CEO da [[Avianca Brasil|Avianca]], e [[Miguel Pais do Amaral]].<ref>[http://www.publico.pt/economia/noticia/efromovich-ja-entregou-proposta-de-compra-pela-tap-1695749 Público]</ref><ref>[http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/tres_candidatos_a_compra_da_tap.html Jornal de Negócios]</ref> Após uma primeira análise das propostas, Pais do Amaral seria excluído da corrida à privatização da TAP pois a sua "proposta não era vinculativa" e, assim sendo,"não cumpria um dos requisitos do caderno de encargos”.<ref>[http://observador.pt/2015/05/21/governo-rejeita-proposta-de-pais-do-amaral-para-a-tap/ "Governo exclui proposta de Pais do Amaral para a TAP" - Jornal Público]</ref>
 
No dia 11 de Junho de 2015, foi confimado que a proposta de [[David Neeleman]] e de [[Humberto Pedrosa]] havia sido aceite pelo Governo Português.
Utilizador anónimo