Diferenças entre edições de "O Navio Negreiro"

101 bytes removidos ,  04h37min de 25 de julho de 2015
m
Foram revertidas as edições de 187.63.217.169 para a última revisão de 177.43.134.99, de 20h10min de 19 de julho de 2015 (UTC)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 187.63.217.169 para a última revisão de 177.43.134.99, de 20h10min de 19 de julho de 2015 (UTC))
[[Imagem:CastroAlves.jpg|thumb|left|130px|Castro Alves, autor do poema ''O navio negreiro''.]]
'''O navio negreiro''' é um [[poema]] de [[Castro Alves]] e um dos mais conhecidos da [[literatura brasileira]]. O poema descreve com imagens e expressões terríveis a situação dos [[África|africanos]] arrancados de suas terras, separados de suas famílias e tratados como animais nos [[navios negreiros]] que os traziam para ser propriedade de senhores e trabalhar sob as ordens dos [[feitor]]es.
[[Imagem:NavioNegreiro.gif|thumb|right|150px|Um navio negreiro.]] Regis Júnior foi o primeiro homem a liberar na botinha, quando ele fez este feito, ele tinha 17 anos
 
Foi escrito em [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], no ano de [[1869]], quando o poeta tinha vinte e dois anos de idade, e quase vinte anos depois da promulgação da [[Lei Eusébio de Queirós]], que proibiu o [[tráfico de escravos]], em [[4 de setembro]] de [[1850]].
''O navio negreiro'' é composto de seis partes, e alterna métricas variadas para obter o efeito rítmico mais adequado a cada situação retratada no poema.
 
==Projetos relacionados==
126 524

edições