Diferenças entre edições de "Xalimego"

1 byte removido ,  22h35min de 3 de agosto de 2015
sem resumo de edição
m (Bot: Substituindo Predefinição:Ref-livro (depreciada) por Predefinição:Citar livro.)
Xosé Henrique Costas González nos seus estudos afirma a galeguidade destas falas estabelecendo a sua origem na repovoação por galegos nos séculos XII e XIII e a interferência de leonesismos como consequência dum longo contacto com o [[leonês]]. A existência de palavras galegas na [[Serra de Gata]] e no sudoeste de [[Salamanca]] poderia indicar que a extensão da fala na [[Idade Média]] tivesse sido maior do que na actualidade. Frías Conde também se mostra partidário da galeguidade destas falas. [[José Enrique Gargallo Gil]] fala de um galego-português fronteiriço e arcaizante, admitindo uma maior vinculação com o galego de que com o português. [[Juan Manuel Carrasco González]] classifica a fala como a terceira variedade do galego-português.
 
No ano de 1999, celebrou-se unum congresso sobre a Fala, com a intervenção dos principais investigadores.
 
== Sondagens sociolinguísticas ==
* em [[Valverde del Fresno|Valverde]], 25 de 125 entrevistados usa o Castelhano neste contexto
 
Em 1993, foi publicada uma sondagem no número 30 da ''Revista Alcántara'', realizada por José Luis Martín Galindo, que mostrava as seguintes percentegenspercentagens de auto-identificaçãoautoidentificação, em [[San Martín de Trevejo|São Martinho de Trebelho]]:
* '''Dialecto do Castelhano''': 13%
* '''Dialecto do Português''': 20%