Abrir menu principal

Alterações

125 bytes adicionados ,  00h55min de 23 de agosto de 2015
 
=== Código de Direito Canônico ===
[[Ficheiro:Maxim of Bulgaria 2011 1.jpg|thumb|direita|300px|[[Patriarca da Bulgária|Patriarca]] [[Máximo da Bulgária]].]]
De acordo com o [[Código de Direito Canônico]] (1983), ''"o título de patriarca e de [[primaz]], além da prerrogativa de honra, não implica, na [[Igreja Latina]], nenhum poder de regime, a não ser que conste o contrário quanto a algumas coisas, por privilégio apostólico ou por costume aprovado."'' [[Jesus Hortal]], [[canonista]] brasileiro comentador da edição brasileira do [[Código de Direito Canônico]] assim esclarece o título de patriarca:
{{citação2|Patriarca (literalmente, "superpai") é um título de longa tradição na Igreja. Designou originariamente os bispos de [[Alexandria]], [[Antioquia]] e [[Roma]]. Posteriormente, a esses três, foram acrescentados outros dois: os de [[Constantinopla]] e [[Jerusalém]]. Juntos formam a "[[Pentarquia]]", que, na mentalidade [[Igreja Ortodoxa|ortodoxa]], seria uma espécie de organismo colegiado de direção eclesial. No ocidente, portanto, há um único patriarca, no sentido histórico: o [[papa]]. No oriente, pela multiplicação dos ritos, há também uma multiplicidade de patriarcas católicos. Todos eles têm verdadeira jurisdição sobre os metropolitanos, os [[bispo sufragâneo|bispos sufragâneos]] e os fiéis. Por outra parte, no ocidente, o papa foi concedendo, em caráter honorífico, esse título a alguns [[prelado]]s. Todos os patriarcas ocidentais, exceto o papa, carecem de qualquer jurisdição que lhes advenha do título.}}