Diferenças entre edições de "Teoria atômica"

1 775 bytes removidos ,  20h29min de 24 de setembro de 2015
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 200.135.19.1, com Reversão e avisos.)
Etiquetas: Editor Visual Remoção considerável de conteúdo
 
== História ==
A Teoria atômica havia sido proposta por filósofos, como [[Descartes]], antes dela ter uma base experimental.<ref name="williamson.p3" /> Havia, desde os tempos antigos, duas hipóteses sobre a composição da matéria: ou ela seria formada por partículas que não poderiam ser mais divididas, ou não haveria nenhum limite à divisibilidade da matéria. A primeira ideia costuma ser atribuída aos [[epicurista]]s, porém suas origens podem ser ainda mais antigas. A cosmogenia de [[Demócrito]] se baseia nesta ideia, que ele derivou de [[Leucipo]]. Segundo Daubeny, [[Mosco]], um fenício que floresceu antes da [[Guerra de Troia]], teria estas ideias, assim como as [[mônadas]] de [[Pitágoras]], cuja origem seria egípcia. Segundo Mr. Colebrooke, citado por Daubeny, os [[hindus]] também tinham, no passado, uma teoria atômica.<ref name="daubeny.p.5">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.5 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA5 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref>
 
Pela teoria atômica de [[Epicuro]], não havia nada além de matéria e espaço, sendo a matéria formada por formas geométricas inquebráveis, de várias formas, como redondas, quadradas, com raios, etc, porém em uma quantidade finita de formas distintas. Estes átomos possuíam duas propriedades intrínsicas de movimento, um tendência natural para descer e o movimento causado pelas suas colisões, que faria os átomos se afastarem. Além destes dois movimentos, segundo Epicuro, alguns átomos possuiriam um terceiro movimento, que os faria descer em trajetórias oblíquas ou curvas.<ref name="daubeny.p.8">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.8 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA8 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref> Os sólidos seriam produzidos por estes átomos quando eles estivessem em forma compacta, porém líquidos, ceras, madeira ou vapor quando eles estivessem menos compactos.<ref name="daubeny.p.9">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.9 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA9 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref>
 
A teoria atômica teve, como oposição, a [[teoria dos quatro elementos]] de [[Empédocles]], segundo a qual toda matéria é formada por [[terra (elemento)|terra]], [[ar (elemento)|ar]], [[fogo (elemento)|fogo]] e [[água (elemento)|água]], misturados em proporções distintas.<ref name="daubeny.p.11">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.11 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA11 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref>
 
== Oposição à Teoria ==
[[Leibnitz]] se opôs à teoria atômica, porque ela contrariava dois de seus dogmas, a teoria da continuidade e a doutrina da razão suficiente.<ref name="daubeny.p.17">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.17 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA17 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref>
 
Os átomos deveriam ser infinitamente duros e inelásticos, então, quando houvesse a colisão de dois átomos vindos em direção oposta, eles deveriam imediatamente interromper seu movimento, ou seja, passariam de um estado de movimento rápido para um estado de repouso, contrariando a lei da continuidade, pela qual nenhuma mudança pode se dar de forma abrupta, sem passar pelos estágios intermediários.<ref name="daubeny.p.17" /><ref group="Nota">Os motivos de Leibnitz para se opor à teoria atômica com base na doutrina da razão suficiente são tão obscuros, segundo Daubeny, que não cabem no seu ensaio sobre a teoria atômica.</ref>
 
Os argumentos dos [[cartesiano]]s contra a teoria atômica tem por base a matemática, pois nenhum corpo, do ponto de vista matemático, pode ser considerado indivisível.<ref name="daubeny.p.17" />
 
[[Abbé Boscovich]], um discípulo de Leibnitz, propôs que toda matéria era formada de pontos (no sentido matemático), que se repeliriam quando estivessem muito próximos, mas que se atrairiam se muito distantes.<ref name="daubeny.p.19">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.19 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA19 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref> Para explicar as propriedades da água (em seus três estados), Boscovich supôs que duas partículas de água se repeliriam quando muito próximas, e haveria, de acordo com a distância as separando, regiões onde haveria atração e regiões onde haveria repulsão.<ref name="daubeny.p.20">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter I'', p.20 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA20 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref>
 
== Evidências da teoria ==
Utilizador anónimo