Abrir menu principal

Alterações

466 bytes adicionados, 05h43min de 27 de setembro de 2015
sem resumo de edição
|influências = [[Vanguarda Popular Revolucionária]](VPR)
}}
'''Yoshitane Fujimori''' ([[Mirandópolis]], [[19 de maio]] de [[1944]] - [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], [[5 de dezembro]] de [[1970]]) foi um [[guerrilheiro]] brasileiro, integrante da [[luta armada]] contra a [[ditadura militar brasileira|ditadura militar]] instalada no país em [[1964]]. A luta armada de esquerda tinha o objetivo primordial de implantar outro tipo de ditadura, a do proletariado. Filho de Tadakazu Fujimori e Harue Fujimori.<ref name="cemdp.sdh.gov.br">{{citar web|url=http://cemdp.sdh.gov.br/modules/desaparecidos/acervo/ficha/cid/178|titulo=Acervo - Mortos e desaparecidos políticos|publicado=Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos|acessodata=14/06/2014}}</ref>
 
SeuFoi morto pelas forças de segurança de São Paulo, e seu corpo foi enterrado como indigente no Cemitério de [[Vila Formosa]].<ref>{{citar web|url=http://www.istoe.com.br/reportagens/114862_A+VOZ+DOS+MORTOS+DE+VILA+FORMOSA|titulo=A voz dos mortos de Vila Formosa|publicado=Isto É|acessodata=21/06/2011}}</ref>
É um dos casos investigados pela [[Comissão da Verdade]], que apura mortes e desaparecimentos na [[ditadura militar brasileira]].
 
ÉSua ummorte dosé casos investigadosinvestigada pela [[Comissão Nacional da Verdade]], que apura mortes e desaparecimentos na [[ditadura militar brasileira]].
<ref name="cemdp.sdh.gov.br">{{citar web|url=http://cemdp.sdh.gov.br/modules/desaparecidos/acervo/ficha/cid/178|titulo=Acervo - Mortos e desaparecidos políticos|publicado=Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos|acessodata=14/06/2014}}</ref>
 
==Biografia==
TécnicoFilho de Tadakazu Fujimori e Harue Fujimori, era técnico em [[eletrônica]],. filiouFiliou-se à [[VPR]] (Vanguarda Popular Revolucionária) e, foi um dos mais ativos combatentes do período,. participouParticipou de diversas ações de [[guerrilha urbana]] entre 1968 e 1970. EleFujimori tinha uma estreita ligação com [[Carlos Lamarca]], considerado o maior inimigo do [[regime militar brasileiro]]. Para não ser identificado pelos órgãos repressoresde segurança do regime, Fujimori usava codinomes: Edgar e Japonês. Ele assassinou o pequeno empresário Estanislau Ignácio Correa em 07 de novembro de 1968, quando o seu carro foi roubado e, o industrial, que estava desarmado e sozinho, foi morto com três tiros<ref>MIR, Luís. A Revolução Impossível. São Paulo: Bestseller, 1994 </ref>. O corpo foi retirado e seu carro levado pelos militantes da [[VPR]], depois abandonado ao se deparar com uma viatura policial.<ref>Folha de S.Paulo de 08.11.1968, 2.ª Edição, página 16.</ref> Fujimori também comandou a repetição do assalto no [[Banco do Estado de São Paulo]] que foi assaltado em 1968 duas vezes pela [[VPR]].<ref>LAQUE, João Roberto. Pedro e Os Lobos: OS Anos de Chumbo na Trajetória de um Guerrilheiro Urbano. Editora Editorial, S./D., p. 222</ref>
 
Em 7 de novembro de 1968, Fujimori matou, com três tiros, o empreiteiro de obras Estanislau Ignácio Correa, durante uma ação da VPR para roubar o carro do empresário. <ref>[http://acervo.folha.com.br/fsp/1968/11/08/437/ Industrial morto com 3 tiros]. ''[[Folha de S.Paulo]] (acervo), 8 de novembro de 1968, 2ª edição, página 16.</ref> O empresário, embora desarmado, reagiu, pois levava uma pasta contendo dinheiro para o pagamento dos seus operários. Fujimori atirou. O corpo de Estanislau foi retirado do veículo, e o carro foi levado pelos militantes da [[VPR]]. Pouco depois, o motor "apagou", e o carro foi abandonado. A pasta que continha o dinheiro ficou no banco de trás. <ref name=laque >LAQUE, João Roberto. ''Pedro e Os Lobos: Os Anos de Chumbo na Trajetória de um Guerrilheiro Urbano''. Editora Editorial, S./D.</ref>{{Rp|218}} <ref>MIR, Luís. ''A Revolução Impossível.'' São Paulo: Bestseller, 1994 </ref>
Fujimori foi um dos militares que acompanharam [[Carlos Lamarca]] na quebra do cerco imposto em uma área de treinamento da VPR no [[Vale do Ribeira]], em [[São Paulo]]. Nesse episódio, ele assassinou a coronhadas de [[fuzil]] [[FN FAL]] o [[tenente]] da [[Força Pública]] (hoje, [[Polícia Militar]]) paulista [[Alberto Mendes Junior]].<ref>{{Citar livro|sobrenome=Gaspari|nome=Elio|título=As Ilusões Armadas: A Ditadura Escancarada|editor=Companhia das Letras|edição=2002|url=http://books.google.com.br/books?id=_yuLTjvQxgMC&pg=PA1&dq=A+ditadura+escancarada&hl=pt-BR&ei=atYATv2YG8OWtweO5M3vDQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=3&ved=0CDgQ6AEwAg#v=onepage&q=A%20ditadura%20escancarada&f=false|isbn=85-359-0299-6}}pg.197</ref>
 
Fujimori também comandou o segundo assalto realizado pela [[VPR]] ao [[Banco do Estado de São Paulo]], na rua Iguatemi, em 1968.<ref name=laque />{{Rp|222}}
 
Fujimori foi um dos militaresmilitantes que acompanharam [[Carlos Lamarca]] na quebra do cerco imposto ema uma área de treinamento da VPR, no [[Vale do Ribeira]], em [[São Paulo]]. Nesse episódio, ele assassinoumatou, a coronhadas de [[fuzil]] [[FN FAL]], o [[tenente]] da [[Força Pública]] (hoje, [[Polícia Militar do Estado de São Paulo]]) paulista [[Alberto Mendes JuniorJúnior]] .<ref>{{Citar livro|sobrenome=Gaspari|nome=Elio|título=As Ilusões Armadas: A Ditadura Escancarada|editor=Companhia das Letras|edição=2002|url=http://books.google.com.br/books?id=_yuLTjvQxgMC&pg=PA1&dq=A+ditadura+escancarada&hl=pt-BR&ei=atYATv2YG8OWtweO5M3vDQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=3&ved=0CDgQ6AEwAg#v=onepage&q=A%20ditadura%20escancarada&f=false|isbn=85-359-0299-6}}pg.197</ref>
 
==Morte==
No dia [[5 de dezembro]] de 1970, Fujimori passava pela pela Praça Santa Rita de Cássia, no Bosque da Saúde, na [[cidade de São Paulo]], junto com outro guerrilheiro, [[Edson Quaresma]], quando foram reconhecidos por uma patrulha do [[DOI-CODI]] do [[II Exército]], que começou a persegui-los. Os agentes metralharam o automóvel, ferindo ambos os guerrilheiros. Edson correu para um rua lateral onde foi alcançado e morto. Yoshitane, foi ferido e, segundo testemunhas, chegou vivo ao [[Doi-Codi]] .<ref>[http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/05/10/cadaveres-de-militantes-eram-expostos-no-doi-codi-como-trofeu-de-vitoria-diz-ex-sargento.htm diversos"Cadáveres tirosde militantes eram expostos no DOI-Codi como troféu de vitória", foidiz mortoex-sargento]. naPor OperaçãoFernanda Calgaro. Bandeirantes ([[OBANUOL]]), 10 de maio de 2013.</ref><ref>{{citar web|url=http://www.avozdopovodoinga.jex.com.br/aqui+e+agora/para+nao+esquecer+jamais+historia+de+edson+neves+quaresma+e+yoshitane+fujimori+-cxxvii|titulo=PARA NÃO ESQUECER JAMAIS! História de EDSON NEVES QUARESMA e YOSHITANE FUJIMORI -CXXVII|acessodata=21/06/2011}}</ref> Mas, a morte de Fujimori envolve uma polêmica: mesmo estando muito ferido, ele chegou com vida noao [[DOI-CODI]]. Depois, apareceu morto.<ref>{{citar web|url=http://www.mndh.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=614|titulo=Imprensa denuncia outro torturado que ainda está na ativa|publicado=Movimento Nacional de Direitos Humanos|acessodata=15/06/2014}}</ref> O agente da repressão que estava envolvido em sua morte era Alcides Cintra Bueno Filho.<ref name="desaparecidospoliticos.org.br">{{citar web|url=http://www.desaparecidospoliticos.org.br/pessoa.php?id=120&m=3|titulo=Yoshitane Fujimori|publicado=Centro de Documentação Eremias Delizoicov|acessodata=13/06/2014}}</ref> Já os legistas[[legista]]s que atestaram o laudo médico de Fujimori foram Armando Canger Rodrigues e [[:pt:Harry Shibata|Harry Shibata]].<ref name="desaparecidospoliticos.org.br"/>
 
SolicitadaA porsolicitação Alcidesda Cintranecrópsia Buenode FilhoFujimori, afeita solicitação dapor necrópsiaAlcides deCintra FujimoriBueno Filho, diz que o corpo deveria ser fotografado de frente e perfil. Nunca foram encontradas fotos do cadáver. EleO corpo deu entrada no [[Instituto Médico Legal]] quatro horas após oa provável horáriohora deda morte. Foram encontradas cinco balas no corpo de Fujimori. O laudo registra que uma delas atingiu as costas e as outras quatro foram disparadas na cabeça, - uma na região auricular direita. Na opinião da relatora, era praticamenteé improvável que, emdurante um tiroteio, uma pessoa morrerseja comatingida por quatro tiros na cabeça, afinalpois dificilmente o atirador conseguiria acertar quase todos os tiros no mesmo lugar.<ref name="cemdp.sdh.gov.br"/>
 
==Investigação póstuma==
Os documentos relativos à autópsia de Fujimori foram enviados pela [[Comissão Nacional da Verdade#Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos (CEMDP)|Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos]] para ser feito um laudo do perito Celso Nenevê. Ele queFoi ele quem produziu a prova mais importante utilizada pela relatora. Analisando o trajeto dos disparos, o perito chegou aà conclusão de que, das quatro balas que atingiram o rosto de Fujimori, três delas penetraram na face direita e foram disparadas com o corpo de Fujimori em posição inferior, ou seja, ele estava caído, deitado ou, virado de bruços. A [[Comissão Nacional da Verdade#Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos (CEMDP)|CEMDP]], devido apor maioria dos votos, considerou que Edson Quaresma e Yoshitane Fujimori foram executados sob a guarda dos militares. Os processos foram relatados em conjunto, mas as votações foram diferentes, já que as discussões foram feitas separadamente.<ref name="cemdp.sdh.gov.br"/>
 
{{Referências}}
Seu corpo foi enterrado como indigente no Cemitério de [[Vila Formosa]].<ref>{{citar web|url=http://www.istoe.com.br/reportagens/114862_A+VOZ+DOS+MORTOS+DE+VILA+FORMOSA|titulo=A voz dos mortos de Vila Formosa|publicado=Isto É|acessodata=21/06/2011}}</ref>
 
==Ver também==
* [[João Carlos Haas Sobrinho]]
* [[Lista de mortos e desaparecidos políticos na ditadura militar brasileira]]
 
{{Referências}}
 
[[Categoria:Opositores da ditadura militar no Brasil (1964–1985)]]