Capitalismo: diferenças entre revisões

28 bytes adicionados ,  00h06min de 3 de outubro de 2015
m
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 189.18.22.222, com Reversão e avisos.)
Enquanto alguns estudiosos vêem o mercantilismo como o primeiro estágio do capitalismo, outros argumentam que o capitalismo não surgiu até mais tarde. Por exemplo, [[Karl Polanyi]], observou que "o mercantilismo, com toda a sua tendência para a comercialização, nunca atacou as salvaguardas que protegeram [os] dois elementos básicos do trabalho de produção e da terra de se tornar os elementos do [[comércio]]"; assim atitudes mercantilistas para o regulamento da economia estão mais próximas das atitudes [[Feudalismo|feudais]], "eles discordavam apenas sobre os métodos de regulação."
 
Além disso, Polanyi argumentava que a marca do capitalismo é a criação de mercados generalizadas para o que ele referia como "mercadorias fictícias": [[terra]], [[Trabalho (economia)|trabalho]] e [[dinheiro]]. Assim, "não foi até [[1834]] um [[mercado de trabalho]] competitivo, com sede na [[Inglaterra]], portanto, não pode-se dizer que o capitalismo industrial, como um sistema social, não existiu antes desta data."<ref>Polanyi, Karl. The Great Transformation. Beacon Press, Boston.1944.p87</ref>
 
Evidências de comércio mercante de longa distância, orientado e motivado pelo lucro foram encontradas já no segundo milênio aC, com os antigos mercadores [[assírios]].<ref>Warburton, David, Macroeconomics from the beginning: The General Theory, Ancient Markets, and the Rate of Interest. Paris: Recherches et Publications, 2003.p49</ref> As primeiras formas de mercantilismo da época formaram-se já no [[Império Romano]] e, quando este expandiu-se, a economia mercantilista também foi ampliada por toda a [[Europa]]. Após o [[Queda do Império Romano|colapso do Império Romano]], a maior parte da economia europeia passou a ser controlada pelos poderes feudais locais e mercantilismo entrou em declínio. No entanto, o mercantilismo persistiu na [[Arábia]]. Devido à sua proximidade com países vizinhos, os [[árabes]] estabeleceram [[Rota de comércio|rotas de comércio]] para o [[Egito]], [[Pérsia]] e [[Império Bizantino]]. Como o [[islã]] se espalhou no [[século VII]], o mercantilismo espalhou-se rapidamente para a [[Espanha]], [[Portugal]], [[Norte da África]] e [[Ásia]]. O sistema mercantilista finalmente retornou à Europa no [[século XIV]], com a propagação mercantilista de [[Império espanhol|Espanha]] e [[Império português|Portugal]].<ref>[http://history.howstuffworks.com/european-history/capitalism3.htm The Rise of Capitalism]</ref>
Alguns comentaristas argumentam que, embora o crescimento econômico sob o capitalismo levou a uma democratização no passado, não poderá fazê-lo no futuro, como os regimes [[Autoritarismo|autoritários]] têm sido capazes de gerir o crescimento econômico sem fazer concessões a uma maior [[liberdade política]].<ref>{{Citar web|autor=Mesquita, Bruce Bueno de|url=http://www.foreignaffairs.org/20050901faessay84507/bruce-bueno-de-mesquita-george-w-downs/development-and-democracy.html|título=Development and Democracy|data=2005-09|acessodata=26 February 2008|publicado=Foreign Affairs}}</ref><ref>{{Citar web|autor=Single, Joseph T.|url=http://www10.nytimes.com/cfr/international/20040901facomment_v83n4_siegle-weinstein-halperin.html?_r=5&oref=slogin&oref=slogin&oref=slogin&oref=slogin|título=Why Democracies Excel|data=2004-09|acessodata=26 February 2008|publicado=New York Times}}</ref> Estados que têm grandes [[Sistema econômico|sistemas econômicos]] capitalistas têm prosperado sob [[Sistema político|sistemas políticos]] autoritários ou opressores. [[Singapura]], que mantém uma [[economia de mercado]] altamente aberta e atrai muitos investimentos estrangeiros, não protege certas [[liberdades civis]], como a liberdade de opinião e de [[Liberdade de expressão|expressão]]. O setor (capitalista) privado na [[República Popular da China]] tem crescido exponencialmente e prosperou desde o seu início, apesar de ter um governo autoritário. O governo de [[Augusto Pinochet]] no [[Chile]], levou ao [[crescimento econômico]] através de meios autoritários para criar um ambiente seguro para investimentos e o capitalismo.
 
Em resposta às críticas do sistema, alguns defensores do capitalismo têm argumentado que suas vantagens são apoiadas por pesquisas empíricas. Índices de Liberdade Econômica mostram uma correlação entre as nações com maior [[liberdade econômica]] (como definido pelos índices) e pontos mais altos em variáveis ​​como [[renda]] e [[expectativa de vida]], incluindo os [[pobrePobreza|pobres]]s, nessas [[nações]].
 
== Benefícios políticos ==
805

edições