Abrir menu principal

Alterações

23 bytes adicionados, 20h06min de 13 de outubro de 2015
m
sem resumo de edição
Desde quando o ex-presidente [[Luiz Inácio Lula da Silva]] lançou o projeto da refinaria, em 2005, ela tinha orçamento estimado em cerca de US$ 2,5 bilhões. A previsão de investimentos já subiu quase sete vezes, segundo o último relatório quadrimestral do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
 
== Capacidade de refino prevista ==
O parque de refino da Abreu e Lima será orientado principalmente para produção de [[óleo diesel]], o derivado de maior consumo no País. Cerca de 65% dos derivados ali produzidos serão de [[óleo diesel]], 27% a mais do que o normal, e com baixíssimo teor de [[enxofre]]. O diesel é o derivado de maior importação do Brasil e sua produção no [[Nordeste]] permitirá atender à crescente demanda por derivados na região e o excedente poderá abastecer ainda o restante do mercado nacional.
 
O plano de negócios da Petrobras de 2008 passou a prever uma ampliação na capacidade de refino da Abreu e Lima para 240 mil barris por dia, existindo a possibilidade de uma nova expansão para até 500 mil barris por dia, o que a tornaria a maior refinaria do país.<ref>Plano Estratégico Petrobras 2020 e Plano de Negócios 2008 - 2012 http://petrobrasri.infoinvest.com.br/modulos/doc.asp?arquivo=00951070.WAN&doc=ian350.doc&language=ptb</ref> Esta iniciativa não se concretizou e a refinaria irá produzir 230 mbpd, com partida prevista para 2014, a um custo previsto de 17,1 bilhões de dólares.<ref>'"Refinaria pernambucana da Petrobras caminha para ser a mais cara do mundo"'http://economia.ig.com.br/empresas/industria/2012-07-19/refinaria-pernambucana-da-petrobras-caminha-para-ser-a-mais-cara-do-mundo.html</ref>
 
== A construção da refinaria ==
As primeiras obras relacionadas ao projeto de construção da unidade de refino tiveram início em 2007. Ainda em 2009 foi iniciada a [[construção civil]] dos prédios administrativos e de suporte da refinaria, incluindo a construção da casa de força, concluída em junho de 2009, com potência total instalada de 150 MW, que suprirá as grandes necessidades de energia da refinaria. A previsão era de que até 2011 estivessem concluídas as obras e tivesse início seu funcionamento, contudo isso não aconteceu.
 
Para fortalecer sua política de gestão social, a Petrobras está priorizando também a contratação de fornecedores locais para a Refinaria Abreu e Lima.<ref>''"Petrobras busca fornecedores locais para a Refinaria Abreu e Lima"'' '''Diario de Pernambuco''', 05/08/2009, http://www.diariodepernambuco.com.br/Economia/nota.asp?materia=20090805184757&assunto=69&onde=Economia</ref> Para a primeira fase da obra, a terraplanagem, foram contratadas 2 800 pessoas, sendo que 95% dos trabalhadores foram arregimentados no próprio estado de Pernambuco – uma das premissas do empreendimento. As chuvas normalmente intensas nesta região (1 500&nbsp;mm/ano) provocaram alagamentos em todo o Estado e atrasos no cronograma desta etapa das obras.<ref>''"Chuvas atrasam obras de Abreu e Lima"'', '''Tn Petróleo''', 08/04/2008, http://www.tnpetroleo.com.br/clipping/imprimir/id/508</ref><ref>''"Refinaria demite por causa das chuvas"'', '''Power''', 23/04/2009, http://www.power.inf.br/pt/?p=6786</ref>
 
== Histórico: projetos e planejamento ==
Desde os anos 1970 se discutia a necessidade de construção de uma refinaria capaz de processar simultaneamente o petróleo pesado nacional e o importado da [[Venezuela]], na época o maior produtor de petróleo da [[América do Sul]]. Os primeiros projetos discutidos entre o governo e a Petrobras já previam a instalação de uma refinaria no Norte ou Nordeste do Brasil, para baratear os custos de frete e aumentar a geração de emprego e renda na região. Um pré-acordo com a Venezuela prevendo a garantia do fornecimento para esta refinaria chegou a ser fechado, mas não foi implementado.
 
 
===Disputas políticas===
 
A Petrobras atribui a elevação dos custos de construção da Refinaria Abreu e Lima, que saltaram da previsão de investimentos iniciais de US$ 2,5 bilhões para um custo final de US$ 20 bilhões, ao aumento da infraestrutura e da capacidade instalada de refino total em relação ao que era previsto inicialmente, às novas tecnologias que serão incorporadas para o tratamento da emissão de gases, à alta dos preços de serviços e equipamentos em função do aquecimento da indústria do petróleo até meados de 2008, além de fatores conjunturais imprevisíveis, como a variação da taxa de câmbio e encarecimento dos equipamentos importados.<ref>''Petrobras nega superfaturamento em obras de terraplanagem da Refinaria Abreu e Lima'', '''Agência Brasil''', 26/08/2009 http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/08/26/materia.2009-08-26.4832174506/view</ref> Além disso a Petrobras explica que o custo médio de investimento por barril refinado subiu no mundo inteiro entre 2005 e 2008, passando de US$ 20 mil para US$ 50 mil por barril.<ref>PETROBRAS. ''Refinaria de Pernambuco''. 30 de agosto de 2009. http://www.blogspetrobras.com.br/fatosedados/?p=6862</ref>
 
 
===Denúncias de Corrupção===
 
Durante o processo de apuração das irregularidades ocorridas na Petrobras, entre elas a construção da Refinaria de Abreu e Lima, [[Paulo Roberto Costa]], ex-diretor de Abastecimento da Petrobras e ex-diretor do Conselho de Administração da refinaria, em processo de delação premiada, revelou a ocorrência de superfaturamento por parte das empresas envolvidas em cartel que se teria instalado para fornecer para a Companhia.
 
{{Referências|col=2}}
{{referências}}
 
{{Refinarias da Petrobras}}
[[Categoria:Economia de Pernambuco]]
[[Categoria:Refinarias da Petrobras]]
[[Categoria:Refinarias envolvidas na Operação Lava Jato]]
19 794

edições