Diferenças entre edições de "Morsa"

1 byte adicionado ,  22h19min de 20 de outubro de 2015
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 179.172.13.226, com Reversão e avisos.
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 179.172.13.226, com Reversão e avisos.)
| mapa_legenda = Ocorrencia = Azul
}}
A '''morsa''' é um [[animalia|animal]] de grande porte que vive nas águas do [[Ártico]]. Uma fêmea adulta chega a 2,60 [[metros]] de comprimento e pode pesar de 800400 até 1.250 kg. O macho adulto é ainda maior, podendo ter mais de 3 a 4,50 [[metros]] de [[comprimento]]. Os machos adultos do Pacífico podem pesar até 1700 kg e, entre pinípedes, são ultrapassados ​​em tamanho apenas pelas duas espécies de [[elefante marinho|elefantes marinhos]]. A morsa é a única espécie viva na família Odobenidae e no género ''Odobenus''. Subdivide-se em três subespécies: [[morsa do Atlântico]] (''O. rosmarus'') que vive no [[oceano Atlântico]], a [[morsa do Pacífico]] (''O. rosmarus divergens'') que habita no [[oceano Pacífico]] e ''O. rosmarus laptevi'', que vive no mar de Laptev.
 
A morsa é imediatamente reconhecida por suas presas proeminentes, bigodes e grande volume. As morsas possuem uma [[pele]] enrugada e áspera que vai se tornando cada vez mais espessa ao longo de sua vida (15 a 30 [[ano]]s). Para nadar usam a nadadeira caudal. Deslocam-se mal em terra, utilizando as nadadeiras anteriores e andando quase aos saltos. Seu focinho tem um sólido bigode e dois enormes caninos ou presas que podem chegar a 1,1090 metrocentímetros nas fêmeas e ultrapassar 1,8010 metro de comprimento nos machos. As presas são usadas para arrancar [[moluscos]] e [[caranguejo]]s do fundo do mar desgastando-se ao longo dos anos. Elas residem principalmente em habitats rasos nas prateleiras oceânicas, gastando uma proporção significativa de sua vida no gelo do mar em busca da sua dieta preferida de moluscos bivalves bentônicos. É uma vida relativamente longa animal. Sociável, a morsa é considerada uma espécie-chave nos ecossistemas marinhos do Ártico.
 
A morsa tem desempenhado um papel de destaque nas culturas de muitos povos indígenas do Ártico que caçaram a morsa pela sua [[carne]], pele, [[gordura]], [[presas]] e ossos. Nos séculos 19 e início do 20, a morsa foi o objeto de exploração comercial pesado ​​de gordura de [[baleia]] e marfim e com isso, as morsas acabaram rapidamente. Sua população mundial, desde então, se recuperou, embora as populações do Atlântico e Laptev permanecem fragmentados e em níveis historicamente deprimidos.
41 863

edições