Diferenças entre edições de "Dodecafonismo"

Sem alteração do tamanho ,  19h58min de 22 de outubro de 2015
Schoenber era muito cuidadoso com nomenclaturas, por isso denominou seu sistema como dodecafônico, que significa, como descrito no início do texto, "doze sons" e não doze tons.
m (Remoção predefinição)
(Schoenber era muito cuidadoso com nomenclaturas, por isso denominou seu sistema como dodecafônico, que significa, como descrito no início do texto, "doze sons" e não doze tons.)
 
== História ==
Como o esgotamento do [[sistema tonal]] no início do século XX os compositores buscaram maneiras alternativas de organização das notas musicais,<ref>[http://mat.fc.ul.pt/noticias/doc/Abstracts/CarlotaSimoes270303/csimoes.html''A reorganização do som no século XX (Resumo da palestra de Carlota Simões)'']. Sítio do Departamento de Matemática da Universidade de Lisboa). 16/03/2010 - 2h50.</ref> posteriormente denominadas [[atonalismo]], que não fossem baseadas na polarização de um eixo harmônico central como ocorre no tonalismo. Schoenberg compôs algumas peças desta maneira, porém, logo considerou o atonalismo demasiadamente sem regras. Construiu, então, um método para organizar os doze tonssons da [[escala cromática]] igualmente. Essa técnica foi apresentada como "sistema dos 12 tonssons", que logo ficou conhecida como [[dodecafonismo serial]].
 
Décadas depois, compositores como [[Pierre Boulez]] e [[Milton Babbitt]] ampliaram o conceito original e criaram o [[serialismo integral]]. Nesta variação da técnica todos os parâmetros musicais, como [[duração (música)|duração]], [[timbre]], [[altura (música)|altura]] e [[intensidade (acústica)|intensidade]] são ordenados segundo os princípios elaborados por Schoenberg.
Utilizador anónimo