Diferenças entre edições de "Carcassonne"

75 bytes removidos ,  10h10min de 2 de novembro de 2015
sem resumo de edição
== Geografia ==
=== Localização ===
Carcassona situa-se no sul de França, na região natural conhecida como o Carcassès ou o Carcassonnais, uma planície limitada pela [[Montanha Negra]] a norte, o {{ilc|[[maciço das Corbières||Corbières (região)|Corbières (montanhas)}}]] a leste, a planície do [[Lauragais]] a oeste e o vale do Aude a sul.
 
Em termos [[Geologia|geológicos]], planície é constituída por [[Depósito sedimentar|depósitos]] recentes trazidos pelo Aude e provenientes dos Pirenéus. Esses depósitos são chamados [[molassa]] de Carcassona, a qual se carateriza por uma alternância de [[arenito]], [[conglomerado]]s e [[marga]]s arenosas fluviais datadas do [[Eoceno]].
Após a tomada da cidadela, as terras dos Trencavel foram dadas a um dos barões do norte, o célebre Simão de Monforte. O filho deste e sucessor do viscondado de Carcassona, {{ilc|Amalrico&nbsp;VI|Amalrico VI de Monforte|Amalrico VI de Montfort|Amaury VI de Montfort}}, doou depois as suas terras ao rei de França, que as integrou no domínio real em 1224.<ref name=ladur /> Em 1234 foi instalado na cidade um tribunal da [[Inquisição]].Em 1240, {{ilc|Raimundo&nbsp;II Trencavel|Raimundo II Trencavel|Raimundo Trencavel II|Raimond II Trencavel}}, filho de Raimundo Rogério, liderou uma tentativa de revolta dos carcassonenses, o que levou o rei [[Luís IX de França|São Luís]] a perseguir a população da cidade, que foi depois autorizada a estabelecer-se na outra margem do Aude, onde foi fundada uma nova cidade. Foi então criada uma ''bastide'' por baixo da cidadela,<ref name=hc401 /> tornando Carcassona uma cidade bicéfala onde cresceu uma rivalidade feroz entre a cidadela e a nova cidade baixa, tanto em termos sociais como em termos económicos. A ''bastide'' Saint-Louis prosperou gradualmente a ponto de ultrapassar a cidadela, que acaba por perder todo o poder e influência política.
 
Em 1248 a cidade baixa foi dotada de um consulado (governo municipal autónomo). A cidade passou então a ser governada por seis cônsules com a ajuda dos notáveis locais. No {{séc|XIV}}, a cidade era o principal centro de produção têxtil de França, que usava como matéria prima a [[lã]] proveniente dos rebanhos da [[Montanha Negra]] e dasdo {{ilc|Corbières|[[Maciço das Corbières|Corbières (região)|Corbières (montanhas)}}]]. Os têxteis eram exportados para os grandes entrepostos comerciais da época, como [[Constantinopla]] e [[Alexandria]].<ref name=pan52 />
 
Em 1348 a [[Peste negra|peste]] assolou Carcassona e o resto do país pela primeira; a epidemia foi recorrente até ao século seguinte. No mesmo período, a [[Guerra dos Cem Anos]] provoca numerosos danos. O [[Eduardo, o Príncipe Negro|Príncipe Negro]] devastou a cidade baixa pelo fogo em 1355, mas poupou a cidadela, devido ao facto de que um cerco vitorioso seria muito longo e atrasaria as suas [[Pilhagem|pilhagens]].<ref name=gui97 /> A ''bastide'' foi parcialmente reconstruída (apenas metade) e fortificada em 1359. A indústria de tecidos de lã foi também reiniciada e desenvolveu-se. Apesar de Carcassona nunca ter sido visitada pelo rei {{lknb|Luís|XI|de França}} {{nwrap|r.|1461|1483}}, este confirmou os privilégios da cidade e não hesitou em defendê-la em março de 1462.<ref name=ord407 /><ref name=ord409 /><ref name=ord220 />
NotaNT|
1=Os ''États de Languedoc'' eram assembleias do tipo dos [[Assembleia dos Estados Gerais|Estados Gerais]] para legislar sobre assuntos políticos da província de [[Languedoque]].
}}<ref name=devic /> realizada em 1569, durante o auge das [[Guerras religiosas na França|guerras religiosas]] no grande refeitório dos [[Regra de Santo Agostinho|Agostinhos]] na cidade baixa de Carcassona, sob a presidência por ordem real de António&nbsp;II de Dax, {{ilc|bispo de Alet|DiocesdeDiocese de Alet|lk=Alet-les-Bains}}. O texto ilustra bem as preocupações e debates que animavam as reuniões dos ''Estados'' e atestam que a cidade ainda conservava a sua importância política no Languedoque.<ref name=hlang45 />
 
[[Imagem:France carcassonne cassini.png|thumb|left|Mapa de Carcassona em 1780 na [[Carta de Cassini]]]]
Além desses dois teatros, há mais duas salas de espetáculos: o auditório instalado na antiga capela do colégio dos [[jesuítas]] e a "Chapeau rouge", na Rua Trivalle, no sopé da cidadela.
 
O {{ilc|Museu de Belas Artes de Carcassonne||Museu de Belas Artes de Carcassona|Musée des beaux-arts de Carcassonne}} ocupa o antigo ''[[présidial]]'' (tribunal do [[Antigo Regime]]) situado nos boulevards da cidade baixa. Possui uma coleção de pinturas ocidentais dos séculos XVII a XIX, uma coleção de [[faiança]]s, [[tapeçaria]]s e objetos de arte.<ref name=musba /> Entre as obras do seu acervo destaca-se um grande [[telescópio]] que foi usado por [[Napoleão Bonaparte|Napoleão]] durante a sua viagem de regresso da [[ilha de Elba]] em 1815 e estava esquecido desde um fogo ocorrido nos arquivos do museu em 1942; foi redescoberto em 2011.<ref name=vuenap />
 
A biblioteca tem um fundo importante de documentos antigos e preciosos, como por exemplo o único exemplar conhecido do [[manuscrito]] do romance ''[[Flamenca]]'', considerado um protótipo do romance de [[amor cortês]], ou os arquivos do filósofo [[Ferdinand Alquié]].