Diferenças entre edições de "Caviar"

9 bytes adicionados ,  15h23min de 7 de novembro de 2015
 
== História ==
O esturjão era conhecido pelos povos da [[Idade Antiga|Antiguidade]], havendo referências [[Cartago|cartaginesas]] (datando de 600600000000000 a.C.), [[Grécia Antiga|gregas]] (é mencionado nos escritos de [[Aristóteles]] e [[Heródoto]]) e [[Roma Antiga|romanas]] (é mencionado por [[Cícero]] e [[Ovídio]]). Os [[História do Irão|persas]] são em regra apresentados como os primeiros produtores e consumidores de caviar (até pela próprio palavra ter origem persa), mas, tanto quanto se sabe com certeza, foram os [[História da Rússia|russos]] os primeiros a desenvolver essa arte (a partir do reinado de [[Vladimir I de Kiev|Vladimiro, Grande Príncipe de Kiev]], na altura da conversão ao cristianismo dos russos em 988),<ref>[http://books.google.pt/books?id=9wkPDGSlx-QC&printsec=frontcover&dq=%22conservation+du+caviar%22&source=gbs_summary_s&cad=0#PPP1,M1 Sternin, Vulf, Doré, Ian, Bonhomme, Thierry (1998), ''Le caviar: De la pêche au grain'', Paris, Editions Quae], p. 8.</ref> já que na Pérsia [[Islão|islâmica]] não se consumia esturjão, considerado um animal impuro (''[[Haram|haraam]]'' ou não ''[[halal]]'').<ref>[http://books.google.pt/books?id=9wkPDGSlx-QC&printsec=frontcover&dq=%22conservation+du+caviar%22&source=gbs_summary_s&cad=0#PPP1,M1 Sternin, Vulf, Doré, Ian, Bonhomme, Thierry (1998), ''Le caviar: De la pêche au grain'', Paris, Editions Quae], p.10</ref>
 
A primeira referência comprovada ao caviar (no sentido moderno), contudo, data do século XII. É atribuída a [[Batu Khan]], neto de [[Gengis Khan]], quando nos narra uma sua visita a um mosteiro a norte de [[Moscovo]]. Antes desta data não se possuem testemunhos da produção de caviar, embora se saiba que os [[ovário]]s inteiros, salgados, prensados e secos, eram produzidos e consumidos. A partir desta data, contudo, as referências russas multiplicam-se em abundância, particularmente depois do século XVI, quando os russos, em consequência das conquistas do [[czar]] [[Ivan IV da Rússia|Ivan IV, o Terrível]], passam a controlar toda a pesca no [[Rio Volga]] e no [[Mar Cáspio]]. É a introdução do caviar na corte russa desde então que levará à sua dessiminação progressiva pelas cortes doutros [[História da Europa|países europeus]].<ref name="books.google.pt">[http://books.google.pt/books?id=9wkPDGSlx-QC&printsec=frontcover&dq=%22conservation+du+caviar%22&source=gbs_summary_s&cad=0#PPP1,M1 Sternin, Vulf, Doré, Ian, Bonhomme, Thierry (1998), ''Le caviar: De la pêche au grain'', Paris, Editions Quae], p.9.</ref> O caviar permaneceu muito tempo, no entanto, como fonte alimentar para as [[Classe social|classes sociais]] menos privilegiados (dada a sua acessibilidade e baixo preço em relação à [[carne]]), bem como substituto da carne em períodos religiosos de [[abstinência]] e [[jejum]] (como a [[Semana Santa]] [[Cristianismo|cristã]]). Apesar de tudo a influência da corte russa foi decisiva na introdução do seu consumo noutros países europeu - é bem conhecida a história supostamente ocorrida aquando da recepção oferecida por [[Luís XV de França]] ao [[embaixador]] do czar russo [[Pedro I da Rússia|Pedro, o Grande]], onde este terá oferecido ao seu anfitrião uma lata de caviar a provar, que terá sido prontamente cuspido pelo [[Anexo:Lista de reis de França|rei francês]] devido ao inusitado do [[Sabor (alimentos)|sabor]].<ref name="delbuencomer.com.ar">[http://www.delbuencomer.com.ar/index_archivos/historiadecaviar.htm Arte y Ciencia del Buen Comer - Enciclopedia Gourmet: Historia del Caviar].</ref> Apesar destas anedotas, sabe-se que a produção de caviar ou produtos a ele semelhantes expandia-se já pelo continente europeu.
Utilizador anónimo