Diferenças entre edições de "Corpo negro"

4 bytes removidos ,  14h04min de 8 de novembro de 2015
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 189.83.141.18 (Mudança suspeita não justificada. Erro de concordância.), com Reversão e avisos.
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de 189.83.141.18 (Mudança suspeita não justificada. Erro de concordância.), com Reversão e avisos.)
|isbn= 85-700-1309-4 }}</ref>. Na natureza não existem corpos negros perfeitos, já que nenhum objeto consegue ter absorção e emissão perfeitas.
 
Independente da sua composição, verifica-se que todos os corpos negros à mesma temperatura T emitem radiação térmica com mesmo espectro. De mesmo modo, todos os corpos, com temperatura acima do zero absoluto, emitem radiação térmica. Conforme asa temperaturastemperatura dasda fontesfonte luminosa aumenta, o espectro de corpo negro apresenta picos de emissão em menores comprimentos de onda, partindo das [[ondas de rádio]], passando pelas [[microondas]], [[infravermelho]], [[luz visível]], [[ultravioleta]], [[raios x]] e [[radiação gama]]. Em temperatura ambiente (cerca de 300K), corpos negros emitem na região do [[infravermelho]] do espectro. À medida que a temperatura aumenta algumas centenas de [[graus Celsius]], corpos negros começam a emitir radiação em comprimentos de onda visíveis ao olho humano (compreendidos entre 380 a 780 nanômetros). A cor com maior comprimento de onda é o vermelho, e as cores seguem como no [[arco-íris]], até o violeta, com o menor comprimento de onda do espectro visível.
 
Um bom modelo de corpo negro são as estrelas, como o Sol, no qual a radiação produzida em seu interior é expelida para o universo e consequentemente aquece o nosso planeta. A cor branca do Sol corresponde a uma temperatura superficial da ordem de 5750K<ref>{{citar web|URL = http://www.sciencemadesimple.com/sky_blue.html|título = Why is the Sky Blue?
136 592

edições