Abrir menu principal

Alterações

2 bytes adicionados ,  18h38min de 11 de novembro de 2015
sem resumo de edição
Após os assassinatos de [[Cômodo]] ([[192]]) e de [[Pertinax]] ([[193]]), impôs-se pelas armas contra os partidários de [[Dídio Juliano]] e foi proclamado [[Imperador romano|imperador]] por suas tropas, jurando vingar a morte de seu predecessor, chegando até a acrescentar Pertinax ao seu nome.
 
Para combater [[Pescênio Níger]], que havia sido proclamado imperador pelas legiões do Oriente, marchou para a Itália, encontrando pouca resistência, e, depois que a maioria do senado o apoiou, Dídio Juliano foi morto e os pretorianos que haviam assassinado Pertinax fugiram. Tendo de enfrentar dois candidatos rivais ao trono - Níger no Oriente e [[Clódio Albino]] no Ocidente, preferiu enganar temporariamente este último associando-o ao trono, enquanto se dirigia ao Oriente para enfrentar Níger, que foi finalmente derrotado e morto em ''[[Antioquia]]'' ([[194]]), cidade do sul da [[Anatólia]], a atual [[AntakyaAntáquia]]. Puniu severamente as cidades e as províncias desleais - especialmente Antioquia, que perdeu parte do seu território, e [[Bizâncio]], que continuara a resistir mesmo depois da morte de Níger, sendo tomada de assalto e saqueada - e iniciou (195) a invasão da [[Mesopotâmia]], onde subjugou os árabes [[Osroena|osroenos]], [[Adiabene|adiabenos]] e [[cenitas.]]
 
A [[1 de junho]] de [[193]], o senado condenou Dídio Juliano à morte, aplanando assim o caminho de Severo, que se apresentou em Roma com o seu exército a [[9 de junho]] daquele ano. O assassino de Juliano foi um dos pretorianos que o levaram para o poder. À sua chegada a Roma, Severo convidou a guarda pretoriana a um banquete no seu acampamento. Porém, quando os pretorianos chegaram foram desarmados por uma força de soldados de Severo, que executaram os assassinos de Pertinax. Severo substituiu os pretorianos por soldados originários da [[Panônia]].