Abrir menu principal

Alterações

44 bytes removidos ,  19h45min de 11 de novembro de 2015
sem resumo de edição
== Etimologia ==
 
O nome de ''Gallia'' é mencionado pela primeira vez no [[{{AC|Século II a.C.]]|x}} por [[Marco Pórcio Catão|PorciusPórcio Catão]], mas é muito provável que tenha sido empregado antes. No entanto seria com a ''[[Guerra das Gálias]]'' de [[Júlio César]] que o termo seria largamente difundido.
 
Não se sabe ao certo a etimologia do termo [[latim]], homónimo do «galo» nessa língua, mas pode ser ele mesmo emprestado do céltico. Talvez seja do termo ''galiã'' que devia designar a força, termo restituído segundo o velho irlandês ''gal'' «fúria guerreira», galês ''gallud'' «poder», bretão ''galloud'', idem<ref>[[Pierre-Yves Lambert]], ''La langue gauloise'', Ediçõess Errance 1994. p. 194.</ref>. Os ''galli'' seriam portanto «os fortes» ou «os furiosos»<ref>[[Christian Goudineau]], ''Étude philologique et archéologique sur l'emploi des..'', Antiquités nationales.</ref>.
 
== História ==
[[FicheiroImagem:Map Gallia Tribes Towns.png|thumb|300px|leftesquerda|[[Mapa]] da Gália em aproximadamente [[58|58 d.C.]]]]
 
'''Gália''' era o nome romano dado, na [[Antiguidade]], para as terras dos [[celta]]s na Europa ocidental. A Gália compreende o atual território da [[França]], algumas partes da [[Bélgica]] e da [[Alemanha]] e o norte de [[Itália]]. Dividia-se em duas regiões:
* [[Gália Cisalpina]] (aquém dos [[Alpes]], relativamente aos romanos), que compreendia a [[Itália]] setentrional e foi por muito tempo ocupada por tribos [[Gauleses|gaulesas]];
* [[Gália Transalpina]] (além dos [[Alpes]]), vasta região (a costa sul da atual [[França]] e seu interior), situada entre os Alpes, os [[Pirenéus]], o [[Atlântico]] e o [[Rio Reno]].
[[Ficheiro:Gaule -59.png|300px|right|thumb|Os diferentes povos gauleses antes da conquista romana.]]
Habitada por grande número de [[tribo]]s [[celta]]s (gaulesas, entre outras), [[iberos]], [[lígures]], [[armóricos]], a Gália Transalpina foi o centro de uma civilização influenciada, desde o [[século VI a.C.]], por duas correntes de civilização helênica ([[Mediterrâneo]] e [[Alpes]]). A Gália tinha forte organização religiosa (assembleia anual dos [[druida]]s). Os Gauleses dedicavam-se principalmente à [[agricultura]] e dividiam as terras por tribos. Nos séculos [[século III a.C.|III]] e [[século IV a.C.|IV a.C.]], invadiram o norte da Itália.
 
[[FicheiroImagem:Gaule -59.png|300px|right|thumb|Os diferentes povos gauleses antes da conquista romana.]]
As lutas civis enfraqueceram-na: em [[222 a.C.]], o território ao sul dos [[Alpes]] foi declarado [[província romana]], sob a denominação de [[Gália Cisalpina]]; em [[125 a.C.]], os [[Roma Antiga|romanos]] anexaram o corredor do [[Ródano]] e o [[Languedoc]]. O [[rio Rubicão]] fazia parte da fronteira com a própria Itália. A área ao norte do [[rio Pó]] era conhecida como [[Gália Transpadana]] e ao sul como [[Gália Cispadana]]. Do outro lado dos Alpes tinha a [[Gália Transalpina]], ou simplesmente [[Província]] (de onde provém a denominação atual [[Provença]]) após sua anexação em [[121 a.C.]] Sua capital era [[Narbo]].
 
Habitada por grande número de [[tribo]]s [[celta]]s (gaulesas, entre outras), [[iberos]], [[lígures]], [[armóricos]], a Gália Transalpina foi o centro de uma civilização influenciada, desde o [[{{AC|século VI a.C.]]|x}}, por duas correntes de civilização helênica ([[Mediterrâneo]] e [[Alpes]]). A Gália tinha forte organização religiosa (assembleia anual dos [[druida]]s). Os Gauleses dedicavam-se principalmente à [[agricultura]] e dividiam as terras por tribos. Nos séculos [[século III a.C.|III]] e [[século {{AC|IV a.C.|IV a.C.]]x}}, invadiram o norte da Itália.
[[Ficheiro:Gaul Soldiers.JPG|thumb|300px|Soldados gauleses.]]
 
As lutas civis enfraqueceram-na: em [[{{AC|222 a.C.]]|x}}, o território ao sul dos [[Alpes]] foi declarado [[província romana]], sob a denominação de [[Gália Cisalpina]]; em [[{{AC|125 a.C.]]|x}}, os [[Roma Antiga|romanos]] anexaram o corredor do [[Ródano]] e o [[LanguedocLanguedoque]]. O [[rio Rubicão]] fazia parte da fronteira com a própria Itália. A área ao norte do [[rio Pó]] era conhecida como [[Gália Transpadana]] e ao sul como [[Gália Cispadana]]. Do outro lado dos Alpes tinha a [[Gália Transalpina]], ou simplesmente [[Província]] (de onde provém a denominação atual [[Provença]]) após sua anexação em [[{{AC|121 a.C.]]|x}} Sua capital era [[Narbo]].
[[Júlio César]] recebeu o comando das duas províncias gálicas em [[59 a.C.]]. De [[58 a.C.|58]] a [[51 a.C.|51]] a.C., apoderou-se progressivamente de toda a Gália, apesar da oposição de vários chefes, nomeadamente de [[Vercingetórix]], que, em [[52 a.C.]], após ter promovido uma sublevação geral dos gauleses, se rendeu na [[Alésia]] sitiada. César, ao longo das [[guerras gálicas]], expandiu a Gália Transalpina até o [[Atlântico]], o [[canal da Mancha]] e o [[Rio Reno]].
 
[[FicheiroImagem:Gaul Soldiers.JPG|thumb|300px|Soldados gauleses.]]
A [[cidadania romana]] foi estendida à Gália Transpadana por César em [[49 a.C.]] e toda a Gália Cisalpina foi incorporada à [[Itália (província romana)|Itália]] por [[César Augusto|Augusto]], deixando com isto de ser [[Província romana|província]] (a Gália Cispadana havia recebido a cidadania romana em [[90 a.C.]]).
 
[[Júlio César]] recebeu o comando das duas províncias gálicas em [[{{AC|59 a.C.]]|x}}. De [[58 a.C. {{AC|58]] a [[51 a.C.|51]] a.C.x}}, apoderou-se progressivamente de toda a Gália, apesar da oposição de vários chefes, nomeadamente de [[Vercingetórix]], que, em [[{{AC|52 a.C.]]|x}}, após ter promovido uma sublevação geral dos gauleses, se rendeu na [[Alésia]] sitiada. César, ao longo das [[guerras gálicas]], expandiu a Gália Transalpina até o [[Atlântico]], o [[canal da Mancha]] e o [[Rio Reno]].
[[Ficheiro:Comic History of Rome p 089 Initial A A Gaul.jpg|thumb|left|200px|[[Charge]] retratando um [[Gauleses|gaulês]].]]
 
A [[cidadania romana]] foi estendida à Gália Transpadana por César em [[{{AC|49 a.C.]]|x}} e toda a Gália Cisalpina foi incorporada à [[Itália (província romana)|Itália]] por [[César Augusto|Augusto]], deixando com isto de ser [[Província romana|província]] (a Gália Cispadana havia recebido a cidadania romana em [[{{AC|90 a.C.]]|x}}).
[[César Augusto|Augusto]], em [[27 a.C.]], dividiu a Gália a norte dos Alpes em [[Gália Narbonense]], que ficou sob o controle do [[Senado romano|Senado]], e [[Gália Lugdunense]] ou [[Gália Lionense|Lionense]] ([[Lyon]]), [[Gália Aquitânia]] e [[Gália Belga]], que ficou sob sua própria administração. Lyon era a jurisdição da assembleia provincial das "Três Gálias".
 
[[FicheiroImagem:Comic History of Rome p 089 Initial A A Gaul.jpg|thumb|leftesquerda|200px|[[Charge]] retratando um [[Gauleses|gaulês]].]]
Sob o [[Império Romano|Império]], a Gália desfrutou de uma prosperidade efetiva; contudo, no [[século I]] d.C., houve algumas agitações [[nacionalismo|nacionalistas]] ([[Cláudio Civilis]], [[69]]). Os romanos protegeram a região contra as invasões germânicas, desenvolveram aí trabalhos públicos, e grandes cidades foram fundadas: [[Lyon]], [[Arles]], [[Tolosa (França)|Tolosa]], [[Bordéus]], [[Lutécia (Paris)|Lutécia]] ([[Paris]]). Por outro lado, a Gália foi [[cristianismo|cristianizada]]. No final do [[século III]], alguns imperadores criaram um [[Império das Gálias|"império gálico"]] semi-independente, que serviu como engodo contra as invasões germânicas. O império ocidental, o império gálico, foi devastado pelos [[germanos]] ([[godo]]s, [[huno]]s e [[vândalo]]s) no [[século III]]. O território da Gália fracionou-se quando, no [[século V]], foi invadida pelos [[visigodos]], pelos [[burgúndio]]s e pelos [[francos]]. Só voltou a unir-se sob o reinado do rei franco [[Clóvis I|Clóvis]], por volta do ano [[500]].
 
[[César Augusto|Augusto]], em [[{{AC|27 a.C.]]|x}}, dividiu a Gália a norte dos Alpes em [[Gália Narbonense]], que ficou sob o controle do [[Senado romano|Senado]], e [[Gália Lugdunense]] ou [[Gália Lionense|Lionense]] ([[LyonLugduno]], atual [[Lião]]), [[Gália Aquitânia]] e [[Gália Belga]], que ficou sob sua própria administração. Lyon[[Lugduno]] era a jurisdição da assembleia provincial das "Três Gálias".
 
Sob o [[Império Romano|Império]], a Gália desfrutou de uma prosperidade efetiva; contudo, no [[{{DC|século I]] d.C.|x}}, houve algumas agitações [[nacionalismo|nacionalistas]] ([[Cláudio CivilisCivil]], [[69]]). Os romanos protegeram a região contra as invasões germânicas, desenvolveram aí trabalhos públicos, e grandes cidades foram fundadas: [[Lyon]]Lugduno, [[Arles]], [[Tolosa (França)|Tolosa]], [[Bordéus]], [[Lutécia (Paris)|Lutécia]] ([[Paris]]). Por outro lado, a Gália foi [[cristianismo|cristianizada]]. No final do [[século {{séc|III]]}}, alguns imperadores criaram um [[Império das Gálias|"império gálico"]] semi-independente, que serviu como engodo contra as invasões germânicas. O império ocidental, o império gálico, foi devastado pelos [[germanos]] ([[godo]]s, [[huno]]s e [[vândalo]]s) no [[século {{séc|III]]}}. O território da Gália fracionou-se quando, no [[século {{séc|V]]}}, foi invadida pelos [[visigodos]], pelos [[burgúndio]]s e pelos [[francos]]. Só voltou a unir-se sob o reinado do rei franco [[Clóvis I|Clóvis]], por volta do ano [[500]].
 
{{Referências}}