Diferenças entre edições de "Associação Latino-Americana de Integração"

m
Foram revertidas as edições de 177.202.216.59 para a última revisão de Luan, de 23h00min de 14 de setembro de 2015 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 177.202.216.59 para a última revisão de Luan, de 23h00min de 14 de setembro de 2015 (UTC))
 
== Criação ==
A ALADI foi criada pelo [[Tratado de Montevidéu]] [[1980]] (TM80), assinado em [[12 de abril]] de [[1980]], que substituiu e deu continuidade ao processo iniciado pela [[ALALC|Associação Latino Americana de Livre Comércio (ALALC)]].
 
A [[Segunda Guerra Mundial]] trouxe, em curto prazo, mudanças favoráveis à economia dos países latino-americanos, uma vez que eles encontraram, nas nações devastadas, mercados aos seus produtos primários. Entretanto, passado algum tempo, os países devastados pela [[Guerra]] reorganizaram suas economias, de forma a impulsionar os seus setores agrícolas e industriais. Essa reorganização afetou negativamente a economia dos países latino-americanos produtores de bens primários, que ficaram desprovidos de mercados compradores e rentáveis. Era preciso, então, que fossem implantadas medidas de correção a esse cenário e fossem encontradas fontes alternativas de emprego para as populações latino-americanas, que cresciam significativamente. Foram iniciados, então, programas de industrialização para atender às necessidades de abastecimento de bens de consumo duradouros e bens de capital. Tendo isso em vista, bem como considerando ser necessário captar maiores investimentos para o desenvolvimento de parques industriais, os países latino-americanos entenderam que era preciso ampliar os pequenos mercados, de forma a diminuir os custos de produção em massa e aumentar os rendimentos, permitindo, dessa maneira, melhores possibilidades de concorrência. Assim, em [[1960]], [[Argentina]], [[Brasil]], [[Chile]], [[México]], [[Paraguai]], [[Peru]] e [[Uruguai]] assinaram o tratado (também chamado de tratado de Montevidéu) que criava a [[ALALC]], cujo objetivo era ampliar a integração econômica entre os países, por meio da ampliação do tamanho de seus mercados e de seu comércio recíproco. Aderiram ao tratado, posteriormente, outros países, quais sejam: [[Colômbia]], [[Equador]], [[Bolívia]], [[Panamá]] e [[Venezuela]].
105 578

edições